quinta-feira, dezembro 31, 2015

Feliz Ano Novo 2016!

Nas vésperas do Ano Novo 2016, o nosso blogue deseja felicitar todos os nossos leitores em redor do mundo com as palavras da piloto ucraniana, Nadia Savchenko, desde verão de 2014 capturada pelos terroristas e desde ai ilegalmente presa na Rússia.  
Ucranianos,
Tivemos os feriados difíceis, mas amargamente alegres!
Nós sabemos não perder a fé e até mesmo gozar com a morte.
A liberdade é mais valiosa do que a vida!
A Ucrânia é mais valiosa do que qualquer coisa no mundo!
Nós, ucranianos merecemos o melhor!
Nós merecemos uma vida digna e livre. E certamente teremos tudo muito melhor do que há agora!
Com fé no coração!
Felicito-vos com os feriados de inverno!
Nadia Savchenko
30.12.2015

As felicitações do Ano Novo do regimento “Azov”
https://www.facebook.com/ICTVchannel/videos/928081590574559

Blogueiro: e o nosso blogue está feliz, pois desde junho de 2010 até 31 de dezembro de 2015 teve 701.832 visitas, ultrapassando o marco de 700.000 visitas em 4,5 anos. É uma pequena grande obra que foi conseguida graças à vocês, os nossos queridos leitores!

domingo, dezembro 27, 2015

A fraternidade sangrenta do “povo irmão”

Nas vésperas do Ano Novo e do Natal ortodoxo, a propaganda russa lançou os diversos projetos com o mesmo nome de código: “os povos irmãos”. Nas páginas especialmente criadas e nos sítios já existentes, aparece a narrativa do diálogo pseudo fraterno: “Mi-mi-mi, não temos nada para dividir, tudo isso é a política suja, enquanto somos irmãos!

Como em todos os outros semelhantes projetos do Kremlin, a base é a forma impessoal: “política suja”. Sem nenhuma explicação por parte da propaganda russa, sobre a autoria desta política suja, que trouxe as “desavenças” aos “povos irmãos”.   

Quem esqueceu, vamos recordar:
- Intrusão na política interna de um Estado soberano “fraterno”;
- anexação e ocupação da península ucraniana da Crimeia;
- ocupação militar de uma parte do território no leste da Ucrânia e apoio ao enclave terrorista no território ucraniano;
- tortura de prisioneiros de guerra ucranianos;
- assassinatos dos cidadãos ucranianos nos territórios ocupados;
- assassinatos dos cidadãos ucranianos nos territórios da Ucrânia (por exemplo, o bombardeamento da cidade de Mariupol em 24.01.2015);
- a propaganda anti-ucraniana aguda na mídia russa durante os dois últimos anos;
- o roubo descarado da propriedade [estatal e privada] ucraniana, a destruição das fábricas e indústrias, remoção dos equipamentos à Rússia.

E quando as putas “fraternais” com uma mão declaram os “laços inquebráveis” entre as nações, e com a outra, levam ao suicídio o menino de 18 anos de idade, apenas pela sua posição pró-ucraniana, lembrem-se: na Ucrânia não foi tocado nenhum russófilo. Mesmo nas cidades da linha de frente. Mesmo no estado da guerra. Por isso e por outros, recebam o nosso, “vão mas é para o c@ralho”, coletivo e coloquem o debaixo da vossa árvore de Natal. Agora vocês terão de viver com isso quase uma eternidade (por Yaroslav Matjushyn).

RIP Vlad Kolesnikov (2 de junho de 1997 – 25 de dezembro de 2015)
Na cidade russa de Zhigulyovsk, no dia do Natal, suicidou-se Vlad Kolesnikov (18), jovem russo que se tornou conhecido pela sua posição pública em apoio à Ucrânia.
Em junho de 2015, Vlad veio à sua escola técnica vestindo uma t-shirt com bandeira da Ucrânia e slogan “Devolver a Crimeia!”, ele também tinha colocado um banner antiguerra, na cidade de Podolsk, onde vivia na altura. As repressões não tardaram: Vlad foi expulso da escola, a polícia russa foi “investigar” onde ela arranjou a t-shirt “subversiva”, o seu avô, adorador do regime, mandou o jovem para casa do pai em Zhigulyovsk.     

Na entrevista à rádio Liberdade, Vlad contou que no comissariado militar russo tinha dito que não queria servir no exército [russo] e não queria ir à guerra contra os seus irmãos [ucranianos]. No seu telefone celular ele tinha o hino da Ucrânia [...] que ligou e disse: “Rapazes, eu não vou à guerra no exército russo”.
O Vlad apoiava Ucrânia ativamente no seu Facebook, participava em uma série de comunidades russas na oposição. Infelizmente, não teve o apoio da própria família e se tornou a vítima da atual agressiva e militarista sociedade russa:

“Os relacionamentos com as pessoas são simplesmente horríveis – já prometeram [me] espancar, atiraram contra me a lama e bolas de neve, [recebo] os insultos constantes, cotoveladas e empurrões nos corredores [da escola]. Uma [pessoa] até me esmurrou na cara (não muito, felizmente). Eu não posso ir à polícia (lá, ainda no verão, deixaram claro que não me vão ajudar, e, cito, “até eu próprio te dava um murro na cara pelas tais coisas...”). Em Zhigulyovsk podem fazer comigo tudo e mais alguma coisa. Desesperadamente procuro, para onde posso ir”, escreveu Vlad em novembro ao jornalista da rádio Liberdade

Em 25 de dezembro Vlad Kolesnikov tomou uma dose letal de medicamentos. A polícia informou que não consegui salva-lo (rádio Liberdade). 
Não esquecermos todos aqueles que deram a vida pela Ucrânia!
Na frente da batalha ou na retaguarda, na Ucrânia ou no estrangeiro!
Pedimos à Deus que tenha a misericórdia e piedade da alma imortal do Vlad! 

sexta-feira, dezembro 25, 2015

Ucrânia: o exército precisa de olhos!

Os voluntários ucranianos do grupo Back and alive (Volte e Vivo!) produziram o calendário de 2016 com os retratos dos militares da 95ª Brigada das FAU que defenderam o aeroporto de Donetsk, passaram pelo Sloviansk e pelo Debaltseve.

O preço do calendário é de 500 UAH (21,77 USD): você compra o calendário, os militares recebem os termovisores; o público fica com as imagens dos heróis, estes ficam com as suas vidas. Tudo é muito simples. Os primeiros 100 calendários terão o autógrafo de um dos heróis, pois hoje eles são as verdadeiras estrelas da Ucrânia.
Os créditos fotográficos: Oleksandr Camera, Julia Kochetova. Os fundos revertem à favor da ONG Back and Alive para o apoio à 14ª e à 59ª Brigadas do exército ucraniano.
Encomendar: enviar o e-mail ao calendar2016@savelife.in.ua com tema «Kalendar».
Bónus: agradece-se a divulgação desta informação; quem comprar logo três ou mais calendários terá o direito de ser fotografado pela própria Julia Kochetova.
O mais terrível na guerra é ser indefeso...
Cada noite os nossos militares arriscam as suas vidas por causa da falta dos termovisores.
Participem na ação social de recolha de fundos!
+380 44 3383338

Ajudar ao projeto:
PayPal@savelife.in.ua (medicina, roupas, transporte)
Western Union / Moneygram (miras e termovisores): Irina Turchak + 38 (068) 500 88 00
Cartão do PrivatBank em Euros: 4149 4978 1421 1670 (Dmytro Mikulsky)
Cartão do PrivatBank em USD: 4149 4978 1421 1696 (Dmytro Mikulsky)
Projeto Back and Alive  
Líder do projeto: Vitaly Deynega

quinta-feira, dezembro 24, 2015

As histórias de soldados: a batalha pela colina 307,5 (Debaltseve)

O realizador ucraniano Ivan Kravchyshyn, em colaboração com a página Censor.net.ua, apresenta a sua nova curta documental do ciclo “Histórias de Soldados”. As estórias dos militares ucranianos que mostraram a sua coragem e as capacidades táticas e estratégicas no campo de batalha.

Como todas as guerras, a guerra russo-ucraniana é composta por um sem número de pequenas batalhas, cujos heróis e protagonistas, ficam muitas vezes são desconhecidos e até esquecidos.
O blindado T-64 dos russos-terroristas queimado
A curta que se segue é a história da batalha pela colina 307,5 nos arredores de Debaltseve em 25 de janeiro de 2015.  Nesta colina foi formado o ponto defensivo da 17ª Brigada de blindados do exército ucraniano, o nome de código “Valera” (Valério). O ponto foi reforçado com a unidade de mísseis guiados antitanque e morteiros SPG-9. Desde o dia 12 de outubro de 2014 no ponto foi colocado o pessoal do 3º pelotão da 1ª companhia do Batalhão de infantaria da montanha da 128ª Brigada das FAU (ler mais sobre a batalha).

O nosso filme mostra apenas uma parte da batalha, o episódio em que a infantaria ucraniana, armada apenas com SPG-9 e RPG-7, conseguiu aniquilar 4 (dos 5 presentes) blindados terroristas da unidade mecanizada dos mercenários russos “August” (2 T-64 e 1 T-72). Dois dos blindados russos foram aniquilados pessoalmente pelo sargento Borys Lysiy, que foi condecorado pela ordem militar “Pela Coragem” do 3º grau.
O sargento Borys Lysiy
A curta usa as imagens dos militares ucranianos e também produzidas pelos terroristas russos, para demonstrar a sua percepção real daquele mesmo episódio (fonte). Chamamos a atenção aos monólogos dos russo-terroristas (fardamentos negros e capacetes soviéticos dos operadores de blindados, momento 9´45´´):
– Fomos alvejados por um canhão de longo alcance!
– Eles são especialistas! Como eram vestidos?!

O sargento Borys Lysiy: “se eles [os terroristas] agissem como profissionais ... sem querer nos esmagar com as suas lagartas .... fariam isso sem nenhuma dificuldade...”
https://www.youtube.com/watch?v=jIk_UqRnRuw

quarta-feira, dezembro 23, 2015

Estalinismo: as vítimas e os adoradores

Ninguém sabe o número certo das vítimas do Grande Terror estalinista. Os historiadores o avaliam em 1 milhão de pessoas. No seu pico, em 1937-38, NKVD fuzilava mais de 1.000 pessoas por dia, geralmente com um disparo na nuca.
As fotos mostram as vítimas do terror estalinista. Todas as fotos foram tiradas na última semana ou, mesmo, no último dia das suas vidas. Os autores das fotos são desconhecidos, os originais se encontram nos arquivos do FSB e do Arquivo Estatal da Federação Russa (GARF). As cópias, fornecidas pela sociedade russa Memorial, foram publicadas no livro do Tomasz Kizny e Dominique Roynette “La Grande Terreur en URSS 1937-1938”, Les Editions Noir sur Blanc, Lausanne, 2013 (ISBN 9782882503039; 40.00 €).
Quem são as vítimas?

Nikolay V. Abramov (1890-21/10/1937); russo; capataz de kolkhoze; fuzilado. 
Aleksandra I. Chubar (1903-28/08/1937); arménia; consultora; fuzilada.
Aleksey Zheltikov (1890-1/11/1937); russo; serralheiro; fuzilado.
Boris N. Rosenfeld (1908-13/07/1937); judeu; engenheiro; fuzilado.
Gavriil S. Bogdanov (1888-20/08/1937); russo; operário; fuzilado.
Vasili S. Kurenkov (1886-21/08/1937); trabalhador do sovkhoze; fuzilado.
Semen N. Krechkov (1876-25/11/1937); russo; padre da Igreja Ortodoxa; fuzilado.
Marfa I. Riazantseva (1866-11/10/1937); russa; reformada / aposentada; fuzilada.

Síndrome russa
Apesar disso, apesar da abertura dos arquivos, apesar de acessibilidade de informação sobre o terror e os crimes comunistas, o túmulo do Estaline na praça Vermelha de Moscovo, continua atrair as peregrinações dos adoradores do comunismo. Os loucos urbanos ainda em 2015 lhe trazem as flores e o transformam, literalmente, num ícone (fotos).
https://www.youtube.com/watch?v=qtIHOEz6zq0
Síndrome russa II

Na cidade russa de Penza, foi aberto o primeiro na Rússia, “Centro Estalinista”, cujo propósito principal é estudar o espólio do Estaline, propagar “as normas éticas e morais da sociedade soviética” e combater “à influência destrutiva pós-modernista na cultura e nas artes”.
O "Centro Estalinista" cidade de Penza, foto@penza-press.ru
O 1º secretário do Comité provincial do PC da FR (KPRF), Georgiy Kamnev, anunciou os projetos do centro para 2016: as “leituras estalinistas” em março e dezembro; colocação das imagens do Estaline nos transportes públicos em maio; as excursões dedicadas à arquitetura estalinista em junho e feira de livros estalinistas em julho. Nos planos imediatos do Centro está a formação do “conselho científico” e a criação de um prémio “Estaline” para os estudantes no valor 5.000 rublos (70,3 dólares), informa a agência noticiosa ucraniana UNIAN

terça-feira, dezembro 22, 2015

Natal vs Guerra das Estrelas

O artista ucraniano, Andriy Yermolenko, apresenta a sua nova coleção de T-shirts e camisolas, inspirada na saga de Guerra das Estrelas e, em geral, no universo pop, chamada “Choose your own Santa”.
A loja online Chapaev Street.com, na companhia do próprio artista, Andriy Yermolenko Art, oferecem a possibilidade de comprar as camisolas ao preço de 750 UAH (32 dólares) e T-shirts por 450 UAH (19 dólares), com ou sem uma caixa de presentes original.

Bónus: Darth Vader sexy
Bónus 2: a vida no bestiário
Cidade de Luhansk, 2015 
A vida da “novoróssia” também não para. Quando em Luhansk inauguraram, com a pompa e circunstância, o busto do Estaline, em Donetsk foram mais longe e criaram uma organização juvenil, chamada “Zakharovets”, à imitar, pela estilística, os pioneiros soviéticos.
Mesmo para o nosso blogue, inicialmente foi um enigma. Mas quem é este o tal de “Zakharov”? Em que profundezas da história da “novoróssia” foi achado e em que se proezas se notabilizou?.. Afinal, tudo era muito mais simples, o fuhrer da “dnr”, Zakharchenko, tive a ideia brilhante de criar uma organização de jovens “zakharchenkistas” à sua imagem e semelhança. Apenas, coitado, achou que o seu apelido ucraniano não soava suficientemente bem para a tarefa. E assim, a juventude da “dnr” não se chamará “zakharchenkovets”, mas “zakharovets”. Mais curto e menos ucraniano...   

domingo, dezembro 20, 2015

A principal árvore de Natal da Ucrânia

Em Kyiv, na praça de Sofia, foi oficialmente inaugurada a principal árvore de Natal de toda Ucrânia. A página Nash Kyiv (Nosso Kyiv) recolheu nas redes sociais as diversas fotos que mostram os pormenores da festa dos miúdos e graúdos.
O nosso blogue publica as melhores imagens. Tal, como divulgamos o vídeo da belíssima canção “Bilia Topoli” (Junto ao Álamo), do grupo polaco-ucraniano Enej, dedicada aos heróis das Forças Armadas da Ucrânia (parte do filme documental Raide”). Pois são eles, na sua missão no leste do país garantiram e garantem aos ucranianos a paz e a tranquilidade. Sem os militares, voluntários e ativistas, Ucrânia não celebraria os Natais (católico e ortodoxo), nem o Ano Novo de 2016... 

https://www.youtube.com/watch?v=dsB45d3zP2E
O coração do Patriota
Os artistas ucranianos criaram uma muito original prenda metálica, chamada “Coração do Patriota”. Será muito útil à todos e à qualquer um que procura um souvenir ou uma lembrança interessante e única. Neste momento já é possível fazer pré-encomendas. Uma parte dos lucros reverte para ajuda aos militares ucranianos (por: Sviatoslav Pashchuk). Fazer a encomenda: http://agitcom.org/ua/decor/ua-heart

sábado, dezembro 19, 2015

Canção “World Support Ukraine” quer participar no Eurovisão-2016

Na Grã-Bretanha no concurso nacional de Eurovisão-2016 participará a cantora de Londres Diana Mess (20) com a canção, dedicada à guerra na Ucrânia, chamada “World, Support Ukraine”.
O projeto VSE.SVIT (UNI.VERSO) produziu o vídeo musical da composição que mostra a luta da Ucrânia contra a agressão russa, exortando as pessoas em todo o mundo apoiar os ucranianos. O vídeo mostra as imagens dos protestos da Diáspora ucraniana de Londres e os momentos da operação anti-terrorista (OAT) na Ucrânia. A autoria da canção pertence ao (falecido) músico ucraniano, Andriy Loboda, informa life.pravda.com.ua
A própria Diana Mess (nas fotos) escreveu no seu Facebook:
Finalmente me posso gabar do vídeo musical “World Suport Ukraine” do projeto VSE.SVIT. Francamente falando, tivemos que lutar para que a canção soa deste modo e que o vídeo seja igual ao que vocês estão à ver. Estou orgulhoso dos resultados alcançados pela minha equipa. Não tenho a pretensão de glamour ou da fama. Eu apenas acredito que a voz de cada pessoa que não é não indiferente à guerra sem sentido e sem fim no Donbas, poderá mudar a história. Eu acredito que junto com vocês, vamos apoiar a Ucrânia, e cantando essa música seremos ouvidos pelo mundo. Deus é Grande e Uno, nos salvará a Ucrânia! O mundo, nos apoie!
(Os fundos conseguidos com a venda da canção serão usados para os tratamentos médicos dos feridos e vítimas da guerra).

Agradecimentos: Ukrainian UK TV, Ukrainian Events in London, London Euromaidan, Ukraine Aid UK, BOG DA NOVA MUZYKA, Ben Robinson – pela foto da capa; pela canção escrita – banda Horta, pela Ucrânia livre  – os nossos bravos combatentes!
Glória à Ucrânia!
https://www.youtube.com/watch?v=tLi-FqESca8
O coração do Patriota
Os artistas ucranianos criaram uma muito original prenda metálica, chamada “Coração do Patriota”. Será muito útil à todos e à qualquer um que procura um souvenir ou uma lembrança interessante e única. Neste momento já é possível fazer as pré-encomendas. Uma parte dos lucros reverte para ajuda aos militares ucranianos que recebem coisas que precisam (por: Sviatoslav Pashchuk).