quinta-feira, maio 19, 2022

Eslováquia confirma a entrega de obuseiros Zuzana 2 à Ucrânia

De acordo com informações publicadas pela página Aktuality.sk, o Ministro da Defesa da Eslováquia, Jaroslav Naď, confirmou que os militares ucranianos estão treinando no uso de obuseiro auto-propulsado Zuzana 2 8x8 de 155mm que será entregue à Ucrânia. 

Citando informações do Ministro da Defesa da Eslovaca, Jaroslav Naď, a Eslováquia ainda não assinou o contrato com Ucrânia para a entrega de Zuzana 2, mas os veículos de artilharia já estão em produção e podem ser entregues nas próximas semanas. 

Em abril de 2022, o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy solicitou mais armas dos Estados Unidos e da Europa, incluindo sistemas de artilharia e munição. 

Em 9 de abril de 2022, o reconhecimento do Exército informou que a Eslováquia se ofereceu para vender o Zuzana 2 à Ucrânia. Este sistema de artilharia foi desenvolvido pela empresa eslovaca Konstrukta Defense e produzida pela Slovak Company ZTS Defense. 

A Eslováquia já demonstrou seu apoio à Ucrânia em sua luta contra as forças de ocupação russas, fornecendo um sistema de mísseis de defesa aérea S-300, de produção soviética, herdado pelo país após o fim da Checoslováquia em 1993. 

O Zuzana 2 é um obus autopropulsionado de 8x8 e uma versão atualizada do Zuzana de 155 mm/45 eslovaco, versão do Dana de calibre 152 mm 8x8. Em 2018, a Eslováquia ordenou 25 unidades de Zuzana 2, e os primeiros veículos de artilharia foram entregues ao exército eslovaco em julho de 2021. 

O Zuzana 2 é baseado no chassi de caminhão modificado Tatra 8×8. O armamento principal consiste em um canhão de calibre de 155 mm/52. A arma tem uma faixa de disparo máxima de 41 km com munição de alcance prolongado. Este veículo de artilharia é equipado com um sistema de carregamento automático que permite uma faixa de disparo máximo no modo automático de 5 rodadas por minuto ou 5 rodadas em um minuto.

sábado, maio 14, 2022

Obuseiros americanos M777A2 já estão à defender Ucrânia

Os 89 dos 90 obuseiros americanos M777A2 de 155 mm já foram entregues à Ucrânia, a maioria dos quais está na linha de frente, informou o Departamento de Defesa dos EUA, escreve Censor.net. 

Quase 370 militares ucranianos foram treinados para usar os M777A2, 30 militares fizeram o curso de manutenção e mais 17 estão passando por um treino técnico de duas semanas. 


M777A2 é um canhão britânico de longa distância de 155 mm, com peso de 4,2 toneladas, fabricado pela BAE Land Systems. A distância de disparo é de 24 km (obuses convencionais) ou até 40 km (obus M982 Excalibur). É possível efectuar de até dois tiros por minuto no modo normal ou sete – no regime máximo. 



No dia 11 de maio, o jornalista ucraniano Yuri Butusov anunciou que os militares ucranianos destruíram, com ajuda do M777A2, o seu primeiro canhão autopropulsado russo 2S3 “Acacia”.

Para ver o vídeo faça click na imagem


domingo, maio 01, 2022

As histórias de estrangeiros que estão lutando pela Ucrânia

O franco-atirador canadense Volly, ex-analista de inteligência dos EUA Malcolm Nancy, bem como milhares de voluntários da França, Grã-Bretanha, Estados Unidos, China, Polónia e outros países agora estão lutando pelo lado da Ucrânia. Cada um tem sua própria motivação: alguns têm um desejo forte de ajudar, outros têm contas pessoais com os russos. 

Polaco/polonês Bolek vive na Alemanha e trabalha como canalizador/encanador. Ele tem esposa, três filhos e dois netos. Muitos anos atrás, ele serviu no exército polaco/polonês com um atirador de elite, mas na luta até uma invasão em escala completa da Rússia não participou na defesa da Ucrânia. 

Na Ucrânia, ele está combater há quase dois meses. Ficou sob fogo no polígono de Yavoriv. E assim que a região de Kyiv foi libertada ele estava em Bucha. Aqui viu as atrocidades dos russos com seus próprios olhos. 

“Os russos são piores que os animais. Porque os animais matam apenas quando têm fome. E os russos, quando se sentem impotentes, começam a matar, torturar, estuprar crianças, maltratar os soldados [POW]”. 

Bolek está convencido de que, se os russos não pararem na Ucrânia, eles farão atrocidades na Polónia e ainda mais em toda a Europa. Foi exatamente assim que ele explicou a sua esposa e filhos o seu desejo de defender Ucrânia: “expliquei a eles que é melhor eu ir à guerra do que eles estariam obrigados à isso quando os russos invadirem a Europa”. 

O argentino Ignacio vive em Buenos Aires. Tem produção de esferográficas. Mora com um cachorro e adora passar um tempo com os amigos. Sua vida habitual mudou quando soube que à mil quilômetros de sua casa começou uma guerra. 

“O povo ucraniano sofre com a agressão russa. E antes de tudo, quero ajudar. Minha tarefa como boa pessoa é ajudar outras pessoas boas. 

Ignacio é o reservista das forças armadas da Argentina. Ele nunca esteve na guerra antes, mas acredita que agora recebe excelente experiência, porque as forças armadas da Ucrânia têm algo a aprender. Ele não veio sozinho, mas com um amigo da Colômbia. E embora os dois jovens, como muitos outros legionários, não falam ucraniano, encontram uma linguagem perfeita com seus irmãos de armas – e não apenas com os ucranianos. 

Senad da Bósnia vive entre dois países: Polónia e França. Em Varsóvia, ele tem esposa e filhos e, na França, ele trabalha, tem um negócio de construção. Senad nunca esquecerá o que aconteceu em seu país, natal, Bósnia e Herzegovina, há 27 anos. 

Era uma vez, muitos russos vieram à minha terra e mataram meus parentes. Meus conhecidos. Eles destruíram meu país enquanto a Ucrânia está sendo destruída hoje”. 

Então, em 1995, Senad, seus parentes e amigos também lutaram. O homem lembra que os bósnios foram mortos de maneira muito cruel – os russos fizeram isso. É por isso que ele tem contas pessoais com eles. E ele está pronto para morrer, mas para derrotar os russos. 

Eu e todos os homens da Legião Internacional – não precisamos de voltar vivos. Se morrermos, a bandeira ucraniana ficará orgulhosamente pendurada em nossos caixões e teremos orgulho de retornar à nossa terra. Ao contrário dos cães russos que apodrecerão em solo ucraniano”. 

Senad acredita que se os russos não sejam parados aqui e agora, o mundo pode esquecer a segurança. Portanto, na guerra russa-ucraniana, ele também protege sua família que vive na Polónia. Afinal, depois que os russos o mataram em 1995, ele não dará mais a eles outra chance. 

Ler a fonte em ucraniano. 

Blogueiro: dado que continuamos à receber as perguntas dos brasileiros que querem defender Ucrânia, aqui vem, mais uma explicação para todos os interessados: 

1.      Devem contactar o adido militar da Ucrânia no vosso país ou no país mais próximo.

2.      Sozinhos, custeando as suas próprias despesas, se deslocar à Polónia.

3.      Seguir as demais instruções das autoridades competentes da Ucrânia.

4.      Estar mentalmente e fisicamente preparados para a morte, captura ou ferimentos em combate.

5.      Boa sorte para todos!

6.      Tudo será Ucrânia!

segunda-feira, abril 25, 2022

Jovens atrizes ucranianas mortas pelos ocupantes russos em Mariupol

Os ocupantes russos mataram em Mariupol de duas pequenas atrizes ucranianas – Elizaveta e Sonia. As meninas pertenciam ao grupo teatral local chamado “Concepciya” e participavam na peça baseada na série literária “Crónicas de Nárnia”. 

A notícia triste foi confirmada pelo assessor do prefeito de Mariupol, Petró Andryushchenko, no seu canal no telegram: “A guerra pega os melhores. Duas meninas morreram em Mariupol, duas pequenas atrizes magníficas Elizaveta e Sonia”. 

Ele observou que há algum simbolismo neste triste evento, já que a série “Crónicas de Nárnia” foi escrita durante os bombardeamentos da Grã-Bretanha pelos nazis(tas). 

“Que simbolismo triste, levando em consideração que as “Crônicas de Nárnia” nasceram no metro de Londres durante o bombardeio dos nazis(tas) da Grã -Bretanha. Somos muito solidários à família e aos parentes e nunca esqueceremos os nossos anjos talentosos. Não há e não poderá haver desculpa aos ocupantes. Vingaremos”, – acrescentou Petró Andryushchenko. 

Além disso, no dia 21 de abril 308 moradores da cidade ucraniana de Mariupol, entre os quais quase 90 crianças foram deportados, contra a sua vontade para a cidade russa de Vladivostok. Os ucranianos foram retirados à força do quente Mar Azov e do agradável clima da Ucrânia – levados às depressivas e longínquas regiões da Rússia. 

Mas o maior cinismo nesta situação são as declarações de autoridades oficiais da ocupação russa: 

No ponto de estadia temporária, as crianças terão aulas adicionais, porque há dificuldades com a aprovação do programa, há dificuldades com a língua russa”, disse o vice – presidente interino do governo da região russa de Primorye – a ministra de Educação Elvira Shamonova. 

Cidadãos ucranianos raptados na Ucrânia pelos ocupantes russos
Os ocupantes russos “defenderam” ucranianos, cujos filhos mal compreendem a língua russa através de uma deportação. Tal como nas décadas 1930-1950 procediam as autoridades comunistas da União Soviética.

sábado, março 05, 2022

Furar o bloqueio informativo do regime russo

O atual regime russo optou pelo bloqueio informativo do seu próprio povo, proibindo na Rússia, as redes sociais como Facebook, Twitter ou YouTube. A nossa obrigação é informar o povo russo sobre as atrocidades cometidas por seus dirigentes e em seu nome. 

Para ajudar Ucrânia, gastando apenas um pouco do seu tempo e sem correr nenhum perigo, você precisa de ir ao Google Maps, procurar qualquer um restaurante, museu ou hotel na Rússia e nas críticas descrever o que se está a passar na Ucrânia. Adicionar as fotos. É uma forma de informar os russos para que eles saibam o que realmente está a acontecer na Ucrânia, uma vez que o regime do Putin censura toda a informação.

Uma coisa é certa, a Opinião Pública ainda é o poder!

#HelpUkraine #ajudeUcrânia

Juntos poderemos derrubar qualquer tirania! 

Poderá escrever o seu próprio texto em português e depois usar o Google tradutor para o traduzir ao russo. Ou então pode usar um texto já feito, que simplesmente pode copiar, para depois “colar” no local pretendido (operação “copy/past”, botão direito do seu rato).   

Российская армия бомбит украинские города, убивая мирных жителей. Сейчас все народы мира выступают против кремля, мы знаем, что русский народ не виноват, но мирные украинцы гибнут каждый день из-за преступных действий российского руководства. 

Blogueiro: o Procurador-Geral do Tribunal Penal Internacional em Haia pede à todos os interessados fornecer as evidências físicas dos crimes de guerra russos cometidos na Ucrânia (fotos, vídeos, documentos, etc.): otp.informationdesk@icc-cpi.int  

sexta-feira, março 04, 2022

Rússia escolha a chantagem nuclear do Mundo, atacando Zaporizhzhya

No dia 3 de Março a Rússia passou todas as linhas vermelhas imagináveis, escolhendo a chantagem nuclear da Europa e do Mundo. As forças invasoras russas começaram bombardeamento maciço das instalações da maior fábrica / usina nuclear da Europa, a estação nuclear de Zaporizhzhya. 

O director da Administração Estatal ucraniana de Zaporizhzhya, Oleksandr Starukh explicou, com referência ao chefe da estação nuclear que em resultado dos bombardeamentos russos estavam à arder s premissas do edifício da escola profissional e do edifício laboratorial. O edifício administrativo foi danificado, mas não ardeu. A equipa da estação aplicava todas as medidas para minimizar os danos. 

À partir das 4h00 doa dia 4 de Março, em o resultado dos bombardeamentos russos continuava à arder um dos edifícios do complexo educacional e de treino. O fogo estava lavrando o 3º, 4º e 5º piso de um edifício de cinco andares. Os ocupantes russos não permitiam à chegada dos bombeiros. 

Na cidade de Energodar na estação nuclear de Zaporizhzhya de momento funciona apenas um bloco energético, dos 6 instalados. A situação de radiação está normal e aparentemente não existe o perigo do incêndio. 

Nas imediações da estação nuclear de Zaporizhzhya na tarde do dia 3 de março decorreram os combates prolongados entre as forças russas e ucranianas. Os atacantes russos eram reforçados pelos combatentes caucasianos e as defesas ucranianas eram compostas pela Guarda Nacional da Ucrânia (NGU), com apoio da segurança da estação nuclear.



Além disso, o dia 3 de Março foi marcado pelos novos crimes de guerra russos: os bombardeamentos indiscriminados dos bairros residenciais de Kharkiv e de alguns outras cidades ucranianas.

quinta-feira, março 03, 2022

Borodyanka, o Stalingrad russo na Ucrânia

A pacata vila de Borodyanka, situada cerca de 35 km da capital ucraniana Kyiv, se tornou o local de uma das resistências mais ferozes dos ucranianos. E também é o novo local da vergonha militar e dos crimes de guerra russos – os bombardeamentos indiscriminados dos bairros residenciais.

Em geral, o dia 3 de Março de 2022 foi arcado na Ucrânia pelos crimes de guerra russos, cerca de 15 cidades ucranianas foram vítimas dos bombardeamentos indiscriminados, de aviação e de artilharia. Na sua maioria os alvos eram puramente civis: casas particulares e bairros residenciais, sem nenhuma presença de alvos militares.   






quarta-feira, março 02, 2022

Ucrânia decide entregar os POW russos às suas mães

Ucrânia decidiu entregar os POW russos às suas mães, se estas concordarem em viajar até Ucrânia para buscar o filho. Pede-se a entrega dessa mensagem às ​​mães russas, cujos filhos foram capturados como POW durante a guerra russa movida contra Ucrânia.

O que precisa ser feito para libertar um POW russo? 

Os POW russos, possivelmente, os mais novos

1. Ligar para o número de telefone indicado no folheto para saber se o filho está vivo e tornou-se um POW ou morreu em combate, depois será preciso ir ao canal de Telegram chamado “Carga-200”: https://t.me/gruz_200_rus 

Ou se pode ligar à linha de ajuda do Ministério da Defesa da Ucrânia – “Volte vivo da Ucrânia”, são números multicanais.

+380894201860

+380894201861

+380894201862

Ou escreva ao seguinte e-mail: vernis_iz_ukraine@gmail.com 

POW russos que podem concorrer ao título "intelectuais do ano 2022", foram à uma esquadra da polícia ucraniana para pedir combustível, dessa forma garantiram que a) não participarão na guerra contra Ucrânia, b) justiça militar russa não os irá perseguir, se tornaram os POW ))) 

Uma vez que mãe receber a confirmação de que seu filho está vivo e tornou-se POW dos ucranianos, as mães dos soldados russos devem chegar à Kyiv. Dado que após a invasão do exército ruscista do Putin o espaço aéreo da Ucrânia foi fechado, é possível fazer isso de seguinte maneira: 

Chegar a cidade de Kaliningrado ou ao Minsk. De lá, viajar por terra até a fronteira polaca/polonesa. Lá a mãe será recebida e acompanhada até a cidade de Kyiv, onde o filho será-lhe entregue. Ucranianos, em contraste com os ruscistas de Putin não pretendem mover a guerra contra as mães ou contra os seus filhos capturados. 

Esperamos pelas mães russas em Kyiv!

Seguir o canal: https://t.me/gruz_200_rus

Canção ucraniana que poderá concorrer na Eurovisão 2022

O autor da composição por enquanto está desconhecido, logo que soubermos o seu nome iremos creditar a música. Canção dedicada aos drones Bayraktar TB2, que estão ter um papel essencial na defesa da Ucrânia. 

Algumas operações contra os invasores russos, conduzidos pelos Bayraktar TB2 e os seus operadores.




As perdas militares russas verificáveis na guerra contra Ucrânia

Divulgados os dados das perdas militares russas 100% verificáveis, com uma comprovação em foto ou vídeo. A lista é constantemente atualizada na medida em que as imagens adicionais se tornam disponível. As perdas reais russas são 3 à 4 vezes maiores. 
Arredores da vila de Bucha, cerca de 30 equipamentos russos destruídos numa distância de até 2 km

Esta lista inclui apenas veículos e equipamentos destruídos, que tenham a evidência em foto ou videográfica. Portanto, a quantidade de equipamentos destruídos é significativamente maior do que registrada aqui. Armas ligeiras, munições, veículos civis, reboques e equipamentos abandonados não estão incluídos nesta lista. Muitas das entradas listadas em 'abandonadas' estão atualmente localizadas na terra de ninguém que não é nem o controlo efetivo nem das forças de ocupação russas, nem da Ucrânia, e mais tarde os mesmos foram destruídos ou propositadamente danificados pelos militares ou civis ucranianos. Também já foram registados casos em que os farmeiros ucranianos rebocavam os equipamentos russos abandonados fora da batalha, para vender na sucata ou danificar de forma que os mesmos não poderão ser mais usados no esforço da guerra contra Ucrânia. 

A bandeira soviética é usada quando o equipamento em questão foi produzido antes de 1991. 

Perdas russas na cidade de Trostianets, região de Sumy

A Rússia perdeu 423 equipamentos, dos quais: 177 foram destruídos, 8 danificados, 107 abandonados e 131 capturados (consultar a fonte): 
As perdas militares russas mais realistas até às 9h00 do 2/3/22

48 tanques MBT

142 veículos blindados

28 veículos de engenharia / comunicação

25 sistemas de artilharia

20 sistemas antiaéreos

3 aviões de combate

6 helicópteros

93 camiões/nhões / jipes