terça-feira, Julho 29, 2014

Os terroristas e a viagra dos pobres

As forças ucranianas liquidaram em Lysychansk um grupo de franco-atiradores terroristas e capturaram o sistema de mísseis anti-aéreos Strela-10 (SA-13 “Gopher”).

No decorrer da Operação anti-terrorista (OAT) em Lysychansk, as forças ucranianas liquidaram um grupo de franco-atiradores terroristas, escondidos em um abrigo reforçado e capturaram diverso armamento, incluindo as modernas espingardas de precisão de fabrico russo, informou o porta-voz da OAT, Oleksiy Dmytrashkovskiy.

“A unidade dos atiradores dos terroristas foi encontrada em um esconderijo subterrâneo. Os para-quedistas tiveram que efetuar várias explosões para perfurar as fortíssimas paredes do esconderijo, feitos de betão armado. A unidade dos franco-atiradores foi aniquilada. Além disso, as forças da OAT capturaram as espingardas moderníssimas dos franco-atiradores, usados pelos sabotadores”, – disse ele.

Além disso, em Lysychansk foi capturado um camião que transportava os mísseis, usados pelo sistema SA-13 e diverso armamento ligeiro.

Nas vésperas, o comandante do batalhão da defesa territorial “Donbas”, Semen Semenchenko, agradeceu na sua página do FB a liderança das Forças Armadas da federação russa pelo conteúdo dos armazéns que os seus homens encontraram em Lysychansk.   

“O batalhão “Donbas” agradece a liderança das FA da FR pelo conteúdo dos armazéns capturados aos terroristas em Lysychansk. Diversas “Mukha” (RPG-18), “Shmel” (RPO-A Shmel), morteiros, 43 caixas com as respetivas minas, um grande número de munições....”

Semenchenko publicou na sua página a foto das caixas abertas, retiradas dos armazéns, por isso todos os curiosos poderão ver que estes estavam cheios.

“Especialmente bem sabia a carne enlatada de Lipetsk com o leite condensado de Tula. Quase tudo foi entregue aos moradores locais e um pouco ficou para nos. Bem saboroso. Pena que o pão devemos transportar de Artemovsk. Será que nos mandem o pão de Rostov-no-Don?”, – brincava o comandante Semenchenko.


Informa o serviço de imprensa do batalhão “Donbas”

No dia 26.07.2014 o batalhão especial da Guarda Nacional da Ucrânia “Donbas”, capturou o armazém do batalhão (terrorista) “Prizrak” (Fantasma), situado nas instalações da fábrica vidraceira de Lysychansk.

No armazém estavam dois blindados ligeiros, mísseis anti-aéreos, mísseis anti-tanque, morteiros, armamento ligeiro, viaturas ligeiras, carros-cisterna com gasolina e gasóleo, o grande número de fardamentos e insígnias do batalhão “Prizrak”.

No armazém também estavam cerca de 800 (!) caixas com ajuda humanitária, nomeadamente as rações de combate e as conservas de fabrico russo. Os alimentos serão entregues aos moradores locais, que dado à ocupação da cidade estão privados dos fornecimentos e necessitam da ajuda humanitária. Neste momento o batalhão “Donbas” está à tratar destes fornecimentos.

Além disso, no armazém foi encontrada uma coleção de conhaque e cinco caixas de medicamento “EREKTIL” que é uma cópia barata do “Viagra”. Nos diversos escritórios, usados pelos terroristas, foram achados os passaportes russos e a base de dados do batalhão com os dados pessoais dos seus membros.

RIP Vitaly V. Poddubniy

No dia 26 de julho, morreu em combate o militar do batalhão “Donbas” Vitaly V. Poddubniy, pseudónimo “Svat” (Casamenteiro). Vitaly com mais três companheiros caiu numa emboscada, mas ele foi a única vítima mortal. Vitaly deixou a esposa, filha de 3,5 anos e um filho mais velho. Vitaly V. Poddubniy era construtor civil de profissão, os companheiros do batalhão o recordam como pessoa gentil, otimista e enérgica, que amava a filha e sempre acalmava toda a gente. Foi voluntário, antes de entrar no “Donbas”, fazia parte da auto-defesa da cidade de Berdyansk (FONTE).

RIP Pavló Leyba

No dia 25 de julho, nos arredores de Lysychansk, morreu o jovem-militar, natural da região de Bukovyna, Pavló Leyba (18), vítima do ferimento na cabeça (FONTE).

RIP aos voluntários do batalhão “Aydar”

Nas últimas 24 horas (27.07.2014) o batalhão “Aydar” participou em três diferentes operações nos três frentes diferentes nos arredores da cidade de Lutuhyne. O batalhão perdeu 11 homens e teve 10 feridos, o 12º combatente, um operador do blindado, pertencia às FA da Ucrânia, mas morreu, combatendo lado-a-lado com os homens do “Aydar” (os nomes dos que tombaram pela Ucrânia). O número de 23 combatentes ucranianos mortos, que aparece na imprensa, na realidade se refere à toda a frente da batalha na região nas últimas 24 horas.  

Glória aos Heróis! 

Grisalho aos 5 anos...

Vocês sabem o que é ficar com o cabelo grisalho aos 5,5 anos?! Aconteceu com o menino ucraniano Sasha (Olexander), na cidade de Lysychansk, após os terroristas disparavam nas suas costas e gritavam: é pá, o rapaz é muito rápido!” 


O menino não falou durante 7 dias. Só depois começou contar algo: sobre o papagaio Kesha, que ficou surdo, sobre a porquinha-da-Índia Dasha que começou o morder fortemente. Não tiveram o tempo de levar os animais até a cave e o pequeno ficava muito preocupado com eles.

No apartamento do Sasha agora vivem os rapazes da Guarda Nacional da Ucrânia. Nos apartamentos dos vizinhos também. Diferentemente da maioria dos residentes locais, que primeiro, recebem o pão e depois, afastando-se um metro, maldizem os, os pais do Sasha decidiram montar no seu quintal e na sua casa uma espécie do posto da Guarda Nacional. E agora na porta do banheiro, ao lado dos roupões caseiros está encostada uma pistola automática. Mas eles não são nada contra, muito pelo contrário. E não interessa que em vez dos vasos com as flores nas janelas agora estão sacos com arreia. E no sofá-cama desdobrável  dormem alguns soldados. E não interessa de tudo a aparência atual da sua moradia – o mais importante que essa moradia existe. Muitos, tiveram nos seus apartamentos os tapetes estilhaçados pendurados nas paredes metralhadas. Os terroristas montavam as suas posições de combate logo nos quintais. De propósito, transformando as pessoas em alvos.

....Sasha foi salvo da sua cabeleira grisalha pelo melhor amigo – soldado da Guarda Nacional. Exatamente graças à ele o rapaz começou falar novamente. Foi o soldado que propôs mudar o penteado grisalho para a “máquina zero”. Mas apareceu um outro problema – quando Sasha fica sentado, é possível notar na sua roupa os pequenos cabelinhos, o seu cabelo começou cair muito.

A mãe do Sasha está grávida. Quase não chora. Acostumou-se....

Entre os amigos deles há muitos que se juntaram às milícias separatistas. E muitos dos que estavam lá, disparavam contra os seus.

A própria cidade gradualmente volta à vida. Mas de maneira muito sofrível. Aqui até agora lutam pelo pão. Vocês nem imaginam até que ponto é uma imagem horrível: 
https://www.youtube.com/watch?v=pAg0n7T5NHw

Os separatistas assaltaram todas as lojas da cidade.

Sasha, ao despedir-se, agora diz: “Glória à Ucrânia”. Segura a mãe pela mão, com um orgulho  masculino, depois olha para a câmara e diz assim, para nos acalmar: não há medo, não fiquem assustados, agola estalemos todos bem”.

P.S. O 5º canal da TV ucraniana prepara um filme sobre as pessoas que aprendem a viver sem a guerra. Estas histórias curtas são apenas parte deste projeto global.

Fotos@: Yan Dobronosov

Vídeo (Sasha com os soldados da Guarda Nacional):
https://www.youtube.com/watch?v=X_ggnP6XMfQ

A boa nova!

Na localidade de Debaltsevo as forças ucranianas capturaram o terrorista sérvio, Bratislav Zivkovic (na foto em baixo no meio, com a cara destapada), o líder do bando terrorista «Jovan Sesic», juntamente com o franco-atirador sérvio que vocês poderiam ver no vídeo-amador terrorista: «Ah, o meu cu está todo estilhaçado! Ah, mataram o Santa».

segunda-feira, Julho 28, 2014

A rota de Estaline

O próprio Estaline não voava no seu avião (por medo, tal como diversos outros ditadores), mas possuía o piloto pessoal e em sinal de grande respeito, como um casaco do seu próprio ombro, às vezes agraciava os barões do partido com o voo: você será levado pelo meu piloto pessoal!


A cópia desta mesma aeronave ficava na mesa de Estaline. Nas asas da “Rota de Estaline” muitas vezes voava a própria morte. Durante o Grande Expurgo caiam as cabeças, os lugares ficavam vagos, a destruição da elite comunista do primeiro escalão significava a promoção aos comunistas da segunda linha. E acontecia que Estaline, em sinal do favor especial enviava a “Rota de Estaline” à uma província distante, para buscar um fuhrer do partido pouco conhecido: você está sendo esperado em Moscovo e você será uma pessoa grande. Às vezes, o contrário: você está sendo esperado em Moscovo e você será...

O passageiro voa no avião, o alimentam, oferecem os vinhos caucasianos... É realmente esperado em Moscovo ... na cela da morte. Há informações, por enquanto não confirmadas, que o marechal soviético Vasili Blyukher em 1938 viajou para Moscovo na “Rota de Estaline”. Após disso, Blucher não voava mais: ele imediatamente foi colocado na cela de tortura. Sob tortura, ele acabou por morrer.

RIP Serhiy Bokhonko


Ele tinha apenas 22 anos, foi voluntário do batalhão “Donbas”. No seu enterro apareceu toda a sua aldeia natal, moradores das aldeias vizinhas. Serhiy foi sepultado ao lado da mãe, na aldeia de Yerky, província de Cherkassy (FONTE).

Russos rumo à liberdade

Um militar das Forças Armadas da federação russa e um oficial da secreta FSB se entregaram às autoridades ucranianas nos últimos dias.

O militar do exército regular russo, o radio-telefonista Andrey Balobanov (23.12.1994), confirmou que a parte russa envia às províncias ucranianas de Donetsk e Luhansk os seus militares profissionais, armamento e os equipamentos militares.

Não concordando com a agressão russa contra Ucrânia, o militar russo veio ao território ucraniano com a intenção de pedir auxílio político. O ex-soldado russo contou que a sua unidade militar foi colocada na província russa de Rostov em maio de 2014, todos os dias os oficiais diziam aos soldados que estes são preparados para defender os cidadãos ucranianos falantes do russo contra os alegados nazis e ativistas do Setor da Direita.

A sua unidade incorporava permanentemente os especialistas militares vindos das unidades especiais do GRU e os naturais do Cáucaso do Norte, que mais tarde ilegalmente entravam na Ucrânia. Ao território da Ucrânia também eram enviados os equipamentos militares, com as tripulações formadas pelos militares russos.

«Eu tomei a decisão de não participar nessa guerra fratricida e passei para o lado de Ucrânia. Este é o meu protesto contra a política da liderança da Rússia», – explicou Balobanov.

Este não é o primeiro caso em que os russos passam para o lado da Ucrânia. Dias antes o seu desejo de servir ao lado de tropas ucranianas na área da OAT expressou o ex-oficial do FSB – 1º tenente Ilya Bogdanov.

Fonte:

1º tenente do FSB quer participar na OAT

O 1º tenente do Serviço da guarda-fronteira da FSB da federação russa, Ilya Bogdanov, veio à Ucrânia para participar na Operação anti-terrorista como voluntário.

A mensagem de vídeo de Bogdanov foi divulgada pelo chefe da Direção da Informação da Guarda Nacional da Ucrânia, Yuriy Stets. “Deixei tudo e vim aqui como simples voluntário para fornecer toda a assistência possível através de minhas ações, da minha experiência para terminar a guerra civil, que no leste da Ucrânia é acendida pelo regime antipopular do Putin”, – disse o oficial russo.

Nas palavras do Bogdanov: “a consciência do homem não pode ficar tranquila quando a mentira é derramada 24/24 horas das telas de televisão, rádio, jornais, da Internet”.
www.youtube.com/watch?v=2AVpCZJw_mg

Yuriy Stets informou que Bogdanov é um inspector estatal de monitoramento e proteção dos recursos marinhos da Direção do exército da guarda-fronteira do FSB da Rússia, situada em Vladivostok. Os seus documentos foram verificados e parecem ser autênticos. Atualmente o oficial do FSB se encontra em Kyiv, a sua família está escondida para evitar a retaliação por parte dos serviços secretos russos. A decisão de permitir a participação de Bogdanov na OAT é estudada neste momento.

Fonte:

OAT avança no terreno

É de recordar que no dia 27.07.2014 o exército ucraniano começou uma ofensiva sem precedentes, vinda das diversas direções contra as posções dos terroristas de Donetsk e de Luhansk. As forças armadas passaram de Debaltsevo até Torez, Shakhtarsk e Snizhne, cortando as posições terroristas ao meio, completando o seu cerco e aproximam-se do lugar da queda do MH17. Além disso, os ucranianos entraram ainda em dois bairros de Donetsk.

Equipamento militar russo é detetado em Rovenki (Luhansk)

Uma grande quantidade de material pesado russo entrou na Ucrânia, incluindo, neste vídeo, dois sistemas de mísseis antiaéreos SA-13, 7 blindados BMP e BTR, alguns camiões e pelo menos 7 peças de artilharia. Há ainda três autocarros que transportam os terroristas e um veículo TIR, parecido com o que costuma transportar os BUK, mas com uma lona:
https://www.youtube.com/watch?v=9EhlrAdiNrk

No entanto, há informação que algumas horas mais tarde, a coluna foi atacada com sucesso pelas forças ucranianas. Como informa uma testemunhas, após a separação da coluna em duas partes, está foi atacada primeiramente com sistemas “Grad” e depois com artilharia pesada ucraniana. Uma parte foi atingida e ardeu, outra consegui passar na direção da cidade de Shakhtarsk, onde foi recebida pelos tanques ucranianos enterrados nas suas posições. Há informação que a coluna tentará voltar, neste caso as forças ucranianas já estãao preparadas para recebe-la com as “prendas do Pai-Natal”, escreve Hvylya.org

domingo, Julho 27, 2014

Agressão russa nas redes sociais

O soldado do exército regular russo, Vadim Grigoryev, publicou no seu perfil na rede social VK a foto dos canhões russos num campo aberto com a seguinte legenda: “toda a noite alvejamos Ucrânia”.

De seguida, Grigoryev mudou a legenda da fotografia, retirando a referência à Ucrânia. Neste momento o seu perfil foi colocado em modo “escondido”, mas os peritos continuam ver o seu conteúdo (ver e ler mais: Shelled Ukraine).

Numa das passagens Vadim Grigoryev escreveu: «Já duas semanas nós estamos nos campos e sem se lavar na fronteira com Ucrânia. Toda a noite alvejamos Ucrânia».
Artilharia russa alveja o território da Ucrânia
O nosso Vadim tem um irmão, Alexander Grigoryev, (que já apagou o seu perfil) e um amigo, chamado Vanyok Zherebtsov (perfil também recém-apagado). Vanyok publicava as fotos com Vadim e o mapa da movimentação da sua unidade de artilharia até a cidade Rostov-no-Don.

Artilharia russa dispara contra o território da Ucrânia

Os EUA entregaram ao governo da Ucrânia as provas documentais dos disparos da artilharia da federação russa contra o território da Ucrânia.

As imagens de satélite confirmam a informação avançada pelo jornal The Wall Street Journal:

«As autoridades de defesa e diplomatas americanos afirmaram nesta quinta-feira (24.07.2014) que a Rússia está efetuar os disparos da artilharia através da fronteira, com o objetivo de alvejar as posições militares ucranianos e isso confirma que Moscovo agora está diretamente envolvido nas ações contra as tropas governamentais ucranianas». (FONTE 2).

O exército russo alveja os militares ucranianos da 79ª Brigada (o link em baixo corresponde ao vídeo real):
https://www.youtube.com/watch?v=keoLmPRFoCI
Fonte:

Bónus:

Escrever a carta à Nadia Savchenko – a oficial-piloto que participou como voluntária na Operação anti-terrorista no leste da Ucrânia. Capturada pelos terroristas, foi ilegalmente levada para a Rússia:
394045, Russian Federation, Voronezh, Antokolskogo str., № 6, SIZO № 3, Nadezhda Savchenko
394045, Российская федерация, г. Воронеж, ул. Антокольского, д. 6, СИЗО № 3, Надежде Савченко

Julgamento da Nadia Savchenko #SaveOurGirl

O tribunal russo da cidade de Voronezh começou o julgamento ilegal da militar ucraniana Nadia Savchenko, capturada em combate pelos terroristas e raptada pelas autoridades russas. A sentença será conhecida no dia 30 de Agosto. Nadia Savchenko continuará presa até lá (FONTE).

A jornalista ucraniana Iryna Storozhenko conta como decorreu o julgamento:

Penso sobre Nadia. Lembro o que ela dizia. Tal genuína, sincera, incondicional, forte, e até brincou e trollou o tribunal e a investigação. Sinta-se que o seu espírito é indomável. E isso é a coisa principal. O sistema judicial russo está podre e falso. O reino dos espelhos tortos. A juíza se esqueceu de incluir ao processo uma declaração sobre as circunstâncias da detenção, o procurador disse que eles pedirão a extensão da detenção da Nadia Savchenko: “até o final de outubro de dois mil e quatrocentos, oh, dois mil e catorze”, a tradutora, é uma criatura medrosa que todo o tempo estava a ser parva, pois não se atrevia à pronunciar as palavras cortantes da Nadia sobre má qualificação, mentiras e a violação de direitos. E claro, a pérola do Comité de Investigação da Federação Russa que o crime ocorreu na república popular de Luhansk :-)

A primeira coisa que ela perguntou, quando soube que para não será libertada: “Será que vou poder participar nas eleições no meu país?”. O juiz parece nem percebeu sobre o que se fala... Era visível como Nadia olha para o monitor para encontrar os rostos familiares, depois ela confessou que sente as saudades pelas pessoas e lhe falta a comunicação. Naquele momento, eu queria abraçá-la, apoia-la, para que ela poderia sentir isso. No intervalo eu veio atá a cela, acenei e mandei lhe os beijos. Ela não estava ver a sala muito bem. Ela não sabia que os seus familiares ou pelo menos os amigos mais próximos não estavam lá. Quando eu “falei” com ela, ela entendeu que ninguém dos familiares veio, e eu sou uma pessoa estranha, por isso, provavelmente, chorou. À mim também correram as lágrimas. Aquele momento a ligação inesperada era sentida por outros que mais tarde perguntaram se não somos parentes. No entanto, mais tarde, na interpretação da imprensa russa isso foi mostrado na seguinte formulação: “Havia outros que queriam apoiar a acusada de “cumplicidade no assassinato” dos jornalistas russos. Uma moça jovem mandava os beijos à Savchenko. Os oficiais de justiça posteriormente desligaram a câmara e o som para que isso não aconteça novamente durante os intervalos”...

Na entrevista ao LifeNews Nadia uma vez deu entender que não sabe o quanto sobre ela escrevem e falam no decorrer do seu cativeiro, não sabe até que ponto os ucranianos se preocupam com o seu destino. Portanto, após a troca de algumas palavras, nem se levantou a questão se devemos acenar-lhe com a nossa bandeira, que sempre possui Anastasia Rozlutska. Foi muito rápido no meio da multidão, quase correndo, não havia câmaras, não estava lá o juiz. Eu simplesmente estava mais perto. Na nossa consciência sabíamos que não violamos nada, pois a sessão foi encerrada. E Nadia respondeu em voz alta gritando: “Glória a Ucrânia”, e, em seguida, no “Glória aos Heróis”, que também inesperadamente, como uma explosão sacudiram a multidão, em resposta, eu senti uma forte empurrão. Era o guarda. Ele me levava à algum lugar. Em seguida, descobriu-se que apenas à porta. Enquanto na cabeça ocorreu que era para outro lugar...

Na rua, ao lado do meu operador da câmara que não entrou (no edifício), já estavam os membros do serviço de migração, que examinavam os documentos. Não fomos acusados de nada. Chegamos ao tribunal com o cônsul e os defensores dos direitos humanos. Por isso, familiarizando-nos com a legislação, fomos rapidamente liberados. Já voltando para casa entendemos o risco. Desculpem, todos à quem obriguei ficar preocupados, até que cruzamos a fronteira, especialmente aqueles que também era responsável por nós. Mas isso era muito importante. É importante que ela saiba que estamos com ela. Por acaso, é possível escrever lhe, as cartas são lhe entregues!

Finalmente, encontrei a foto! Alguém consegui!! Ela está a sorrir!!!

Escrever as cartas à Nadia Savchenko – a oficial-piloto que participou como voluntária na Operação anti-terrorista no leste da Ucrânia, capturada pelos terroristas, foi ilegalmente levada para a Rússia:

394045, Russian Federation, Voronezh, Antokolskogo str., № 6, SIZO № 3, Savchenko Nadezhda
394045, Российская федерация, г. Воронеж, ул. Антокольского, д. 6, СИЗО № 3, Савченко Надежде

A vida do bestiário terrorista (2)

O mundo separatista de Donbas, que terroristas exigem e alguns ingénuos ocidentais sugerem que seja ouvido, não para de surpreender com a sua bestialidade desmesurada. Na Internet foram publicadas fotos que caracterizam a moral e a maneira de pensar dos separatistas.

Nestes dias, na plataforma Instagram foram publicadas as fotos em que a moradora da cidade de Torez, Yekaterina Parkhomenko (usuária zolotosya) se gabava de possuir o rímel holandês, que obteve após o abate pelos terroristas pró-russos do Boeing-777 da Malaysian Airlines.

A criatura colocou no seu perfil na Instagram a foto do frasco de rímel azul e os auto-retratos, após usar a maquilhagem. Ela acompanhou as fotos com o comentário: “Rímel de Amesterdão, mais certo, do campo, é pá, você entenderam”. Depois, a dona Yekaterina admitiu que os cosméticos de moda lhe “mandou um saqueador conhecido” e que ela própria é uma “separatista” que “de todas as (coisas) ucranianas fica simplesmente nauseada e terrivelmente furiosa)”.

Mas o caso do rímel, roubado das pertences pessoais de passageiros mortos no meio de destroços de “Boeing” abatido que matou 298 pessoas, não é o único. A imprensa holandesa noticia que os parentes das vítimas dizem que quando tentam ligar para os telemóveis dos falecidos, lhes respondem os saqueadores que roubaram os seus telefones celulares do local do acidente. Uma grande parte dos objetos pessoais e bagagem de passageiros que morreram, apareceu nos mercados de roupa em segunda mão das cidades de Torez e Snezhnoe (Snizhne). Dos cartões de crédito, pertencentes aos passageiros do voo MH17 já tentaram retirar o dinheiro, usando as caixas ATM.

Mesmo os destroços do avião, o que representam um grande valor para a investigação de um acto terrorista, não estão protegidos contra a população local. Os terroristas armados russos sob ameaça de armas não deixam os especialistas internacionais se aproximarem ao local da tragédia; mas também não existe praticamente nenhuma proteção contra os moradores locais, e eles estão começando a tomar à conta dos destroços de avião para os vender às sucatas. É possível que, quando ao local da explosão chegarão os investigadores, eles não vão ter nada para investigar, pois duralumínio, material usado na construção dos aviões é muito apreciado pelos sucateiros.

O assessor do Ministro do Interior da Ucrânia, Anton Herashchenko, já emitiu uma declaração especial em inglês, dirigida a familiares das vítimas. Nela, ele pediu-lhes para contactar de imediato os bancos e bloquear os cartões de crédito pertencentes aos falecidos, para evitar o roubo das suas economias.

Fonte:

Reine Dalziel (na foto em cima), a esposa do piloto sul-africano Cameron Dalziel (43), uma das vítimas do atentado terrorista contra o voo MH17 foi obrigada cancelar de urgência os cartões de crédito do seu marido, após os mesmos foram usados pelos terroristas de Donetsk:

Alguns anúncios «progressistas» e «antifascistas» dedicados ao Barack Obama, divulgados no distrito Danilovsky em Moscovo. Como afirma a esquerda mundial, os “fascistas-nazistas” estão todos na Ucrânia...
As ruas de Moscovo: "Banana-Obama: não te engasgas!"

As ruas de Moscovo: "Carneiro Obama: tira as patas da Ucrânia"
O batalhão da defesa territorial “Azov”, deteve na província de Luhansk diversos terroristas caucasianos, que nas vésperas abandonaram a cidade, fugindo das forças ucranianas (o vídeo sobre “Azov” é aleatório, o link em baixo é certo para a notícia em questão):
https://www.youtube.com/watch?v=G9FXt1GPlVs