quarta-feira, Abril 23, 2014

David Duchovny afinal é um ucraniano



https://twitter.com/davidduchovny/status/452219746365476864
O actor norte-americano David Duchovny, famoso pelo seu papel na série “Ficheiros Secretos” descobriu recentemente que é ucraniano, embora durante muito tempo pensou que não era...


Eis o que David Duchovny escreveu no seu twitter:

Eu cresci achando que era russo apenas para descobrir recentemente que eu era ucraniano este tempo todo. Nunca é tarde demais para mudar. [I grew up thinking I was Russian only to find recently that I've been Ukrainian all along. Never too late to change.]

A frase, publicada em 4 de abril de 2014 já teve 2,311 retweets e foi colocada como frase favorita por 1,445 usuários.

terça-feira, Abril 22, 2014

Terror e selvajaria separatista nos territórios ocupados

Jornalista Simon Ostrovsky: raptado pelos separatistas
Os que procuram as manifestações do extremismo, fascismo e intolerância política, étnica e religiosa, perseguições e raptos dos jornalistas na Ucrânia, deveriam olhar para o leste do país, aos burgos dos movimentos separatistas. As suas últimas façanhas: rapto do jornalista americano e do tenente-coronel da polícia ucraniana, a tortura pública (!) do ativista ucraniano.

O jornalista Simon Ostrovsky de nacionalidade americana e israelita, repórter da "Vice News", foi raptado pelas forças separatistas pró-russas no leste da Ucrânia na terça-feira última.

De acordo o jornal gazeta.ru, Ostrovsky foi “levado” pela milícia na cidade de Sloviansk. A publicação escreve que o auto-proclamado “prefeito do povo”, Vyacheslav Ponomarev, realizou uma conferência de imprensa em que anunciou que Ostrovsky “estava bem”.

Simon Ostrovsky fez uma série de reportagens da Ucrânia. A sua peça mais famosa em que ele pergunta um soldado russo: “Você vai disparar contra mim?”, após o soldado exigir que ele parasse as filmagens.

Ler mais:

Além disso, na noite de 19 de abril os separatistas sequestraram o chefe da polícia ferroviária da esquadra (delegacia) de Slovyansk, o tenente-coronel Oleh Prokhorov (na foto em baixo, à esquerda, fardado).
Tenente-coronel Prokhorov em uniforme
Sabe-se que tenente-coronel resistiu, mas os atacantes mascarados e armados com as armas automáticas, em superioridade numérica invadiram a residência do Prokhorov e na frente de sua esposa e seus dois filhos o levaram para um destino desconhecido.

As informações sobre o desaparecimento do polícia foram confirmadas pela chefe do Setor de Relações Públicas dos Ministério do Interior da Ucrânia, Olha Chornohor. De acordo com Chornohor, a polícia desenvolve as ações para apurar todas as circunstâncias do desaparecimento do tenente-coronel Prokhorov, escreve Pravda.com.ua

No entanto, sabe-se que na segunda-feira, 21 de abril, Prokhorov entrou em contato com a sua família por telefone, dizendo-lhes que estava bem, informa Korrespondent.net

Mas a selvajaria maior aconteceu na cidade de Rubezhne (região de Luhansk), onde os separatistas pró-russos espancaram brutalmente e amarraram à uma árvore (!) o músico e ativista público ucraniano Vasil Lyutiy, pelo “crime” de dirigir o comício “Pela unidade da Ucrânia”. O facto de espancamento foi confirmado pela polícia local.

Músico e ativista ucraniano Vasyl Lyutiy amarrado à uma árvore. Quem é fascista aqui?
Recordamos que no dia 21 de abril os separatistas atacaram brutalmente o comício pró-Ucrânia na cidade de Rubezhne, onde foram agredidos e feridos vários manifestantes indefesos, além disso foram feridos dois policiais, diz Facenews.ua

Terror separatista e resistência ucraniana nos territórios ocupados



Todos aqueles que procuram pelo extremismo, fascismo e intolerância política, étnica e religiosa, perseguições e raptos dos jornalistas na Ucrânia, deveriam olhar para o leste do país, aos burgos dos movimentos separatistas.   

Na cidade de Stakhaniv (região de Luhansk), dois estudantes ucranianos do secundário, pretendiam colocar a bandeira ucraniana numa das colinas da cidade. Em represália, os separatistas dispararam (!) contra os adolescentes.

Bohdan Dmytriiv (16) conta que polícia demorou a chegar 45 minutos, várias vezes simplesmente desligavam a chamada. Os polícias mostravam que odiavam os jovens pela sua posição pró-ucraniana e nem tentavam esconder isso. O investigador que questionou Bohdan possui no seu gabinete a fitinha de São Jorge, símbolo dos separatistas e das forças anti-ucranianas.

No fim, a polícia deteve agressores separatistas, libertando dois deles de seguida, pois disse não conseguir localizar os cartuchos e dessa maneira declarou não ter provas dos próprios disparos.

O próprio Bohdan explica a sua ação, loucamente destemida, de seguinte maneira: “Primeiro, achamos que será lindo, na colina no centro da cidade a bandeira ucraniana. Segundo, não quero fazer parte da Rússia, não quero viver ao lado dos drogados e bêbados” (caraterizando dessa maneira os separatistas locais, escreve o blogueiro Sergiy Ivanov).

Rubezhne (região de Luhansk)

O comício popular e absolutamente pacífico dos cidadãos que defendem Ucrânia unida foi atacado pelos separatistas muitíssimo agressivos, muitos deles armados com paus, alguns bêbados. Os médicos, professores, intelectuais ucranianos, muitos dos quais vieram com os filhos tiveram que fugir, perseguidos pelas criaturas de estatura forte.

A polícia ucraniana também foi agredida, um dos polícias teve a cabeça rachada, o dentista local, Rozhkov, teve uma profundíssima corte na face, escreve Citynews.net.ua

Sloviansk (região de Donetsk)

Os separatistas raptaram a jornalista ucraniana Irma Krat, acusada por eles de pertencer à Centena Feminina da Maydan, torturar (!) os titushky do anti-maydan e disparar contra os polícias de “Berkut”, informa Tyzhden.ua
 
Jornalista Irma Krat raptada pelos separatistas
Dado que a agência informativa russa, ITAR-TASS, já chamou a jornalista de “ativista do Setor da Direita” e tendo em contra outras informações sobre a mesma (FONTE 2 e FONTE 3) é possível pensar que se trata de mais uma operação propagandista anti-ucraniana e anti-Maydan, pensada para ser bem-sucedida, mas que decorreu como sempre...

Kramatorsk (região de Donetsk)
 
Carros vandalizados por causa da simbólica ucraniana
O morador da cidade de Kramatorsk, Serhiy Chachanidze, ucraniano de origem georgiana, gravou o apelo aos concidadãos e à liderança da urbe, dizendo que na cidade começou a caça aos cidadãos que defendem Ucrânia unida (VÍDEO).

domingo, Abril 20, 2014

Aliança nazi-bolchevique no Parlamento Europeu



No dia 17 de abril de 2014, o Parlamento Europeu adotou a resolução “Sobre a pressão russa sobre os países da Parceria Oriental e, em particular, a desestabilização da Ucrânia oriental (2014/2699 (RSP)).

Os 437 deputados votaram favoravelmente, 49 – contra e 85 se abstiveram. A análise do voto contra à resolução revela a formação de uma coligação de extrema-direita & extrema-esquerda no Parlamento Europeu. Essa aliança nazi-bolchevique poderá fortalecer após as legislativas europeias em maio próximo. As forças progressistas da Europa deveriam ficar tão preocupadas com o crescimento da extrema-esquerda, como eles costumam se preocupar com o crescimento da extrema-direita.

Fonte e lista completa dos nazi-bolcheviques:

Os eurodeputados portugueses que votaram contra Ucrânia:

João Ferreira – Partido Comunista Português
Inês Cristina Zuber – Partido Comunista Português
Alda Sousa – Bloco de Esquerda
Marisa Matias – Bloco de Esquerda