sexta-feira, Agosto 22, 2014

Moscovo é novamente ucraniana

No sudeste de Moscovo, na rua Remizov, nas imediações da estação de metro “Nagornaya”, uma torre metálica de energia elétrica foi pintada às cores ucranianas, informa Pravda.com.ua

Desta vez a “culpa” não foi dos ativistas, mas dos funcionários da empresa que gere as redes elétricas de Moscovo (MOESK). A torre deveria ser pintada em cores corporativas da empresa: azul, amarelo e branco. Por alguma razão misteriosa, os pintores não usaram a cor branca, pagando mais uma vez o tributo à Ucrânia.

Mas a sintomática foi a resposta das autoridades moscovitas, o capataz e cinco trabalhadores foram levados à esquadra de polícias mais próxima (!), onde foi registada uma ocorrência administrativa. A câmara municipal local prometeu publicamente que a torre será pintada segundo as normas originais, desta vez, com uso de cor branca.

A edição on-line Vedomosti que noticiou o caso, pergunta ironizando: “se alguém sabe para onde foi a tinta branca?” Nos comentários, os usuários da Internet respondem que sim, sabem, toda a tinta branca disponível foi usada para pintar os camiões do exército, para os transformar em “coluna da aldrabice humanitária russa”.

Bónus

A cidade de Kyiv se prepara para a parada militar, programada para o dia da Independência nacional, 24 de agosto. Embora na sociedade ucraniana existem algumas vozes discordantes da ideia, a maioria dos cidadãos apoia a iniciativa. Ainda mais, devido ao facto do que o equipamento que irá desfilar, assim como as unidades que participarão no desfile, de seguida marcharão para a zona da OAT, onde defenderão o país contra a invasão russa.
https://www.youtube.com/watch?v=W0zKmg5A4tc&feature=youtu.be

chefe interino da Academia Militar da cidade de Odessa, major-general da Forças Armadas da Ucrânia (FAU), Oleh Gulyak, apresentou o novo uniforme do exército ucraniano. Este uniforme é universal ao máximo, é próximo das padrões da NATO e é totalmente fabricado na Ucrânia.

https://www.youtube.com/watch?v=D1craLyCcD4

quinta-feira, Agosto 21, 2014

Mercenários russos: abatidos, traídos e esquecidos

Na batalha sangrenta na zona de Lutuhyne foi aniquilada a 1ª companhia dos para-quedistas (unidade militar № 74268), integrada na Divisão aerotransportada de Pskov (Rússia). Após o bombardeamento bem-sucedido, efetuado pela Força Aérea da Ucrânia, os restos foram aniquilados pela 24ª Brigada do exército ucraniano e pelos voluntários do batalhão especial “Shtorm” (Odessa).

Blindado russo BMD-2 capturado

Apesar do desmentido apressado do exército russo, o jornalista ucraniano Roman Bochkala (TV Inter), reuniu as diversas provas demonstrando que o BMD-2 capturado, pertence às forças armadas regulares da federação russa.

O número do bordo do blindado é 275, pertencente à 1ª companhia de para-quedistas da unidade militar № 74268, integrada na Divisão para-quedista de Pskov (comandante do pelotão, o 1º tenente Pavel (?) Popov).

As forças ucranianas que participaram diretamente na captura dos blindados (no total foram capturados dois BMD-2), são militares da 24ª Brigada das FA da Ucrânia e a unidade especial “Shtorm” de Odessa. O combate decorreu próximo da vila de Heorgiivka, no distrito de Lutuhyne. Nas fotos podemos ver o blindado e a sua metralhadora PK (em cima, sobre o feno), com uma placa que contêm o nome do seu operador, soldado Surnachev N. D. (Nikita Surnachev). O mesmo nome com os mesmos iniciais está mencionado no jornal do controlo noturno de pessoal (foto em baixo), assim como os nomes dos outros militares russos, que, tudo indica, agora estão a combater na Ucrânia.

Por exemplo, o passaporte do Krygin N. S. (foto em baixo), indica que o seu titular nasceu na província de Pskov, na Rússia, em 1994. O que por sua vez mostra na Ucrânia combatem os jovens soldados russos, sem muita experiência militar.
Passaporte e o seguro de vida
Mas existem outras provas do envolvimento direto do exército russo na invasão da Ucrânia. Assim, a esposa de um dos militares da Divisão de Pskov, informou Roman Bochkala sobre a maneira como o seu marido veio parar na Ucrânia:

Os nossos maridos recentemente foram enviados para a Ucrânia. Tipo, exercícios militares. Eles próprios não sabiam exatamente para onde serão enviados. De lá para cá não houve nenhum telefonema, nenhuma saudação deles. Estamos sentadas e choramos por eles”.

Escreve Roman Bochkala: É possível que as lágrimas serão maiores à cada dia que passa. A Divisão de Pskov perdeu os homens. Os caixões de zinco, com os jovens que morreram não se sabe por que razão, serão, em breve, enviados para Rússia. Se a mulher disse a verdade, então o cinismo do Putin em relação aos próprios cidadãos é especial. Que exercícios militares são possíveis no estrangeiro?
Estatuto de combate de tropas aerotransportadas. Parte III. Pelotão. Companhia
Por mais que não queiramos (admitir) isso, mas estamos a lidar com uma invasão militar real. A Federação da Rússia deve ser reconhecida como o agressor. E os cidadãos da Rússia devem, finalmente, entender quem lhes é mais caro – a família e os amigos, que são enviados para a Ucrânia até a morte certa ou anão excêntrico, que decidiu conquistar o mundo.

Tudo indica que, no já citado jornal de controlo de pessoal, podemos conferir a lista do pessoal da Divisão para-quedista de Pskov (também conhecida como a 76ª Divisão da Guarda aerotransportada de assalto), à participar na invasão da Ucrânia. Os ativistas sociais ucranianos já identificaram as páginas pessoais dos diversos membros da Divisão, inseridas na rede social russa VK (é bem possível que em breve poderão ser apagadas, desativadas, mudarão de nome, etc).

№ 3 http://vk.com/id165236495 - Kostya (Konstantin) Taborovets
№ 29 http://vk.com/id249449318 - Alexander Bezbabnykh
№ 37 http://vk.com/id165236495 - Slava Vekshin, Makushino, Rússia
№ 43 http://vk.com/andersen835 - Andrey Lukyanov, Novosibirsk, Rússia
№ 44 http://vk.com/vanek.tkachenko95 - Ivan Tkachenko
№ 54 http://vk.com/id199324339 - Marsel Suleymanov, Mitro-Ayup, Rússia

Outros dois membros do BMD-2 capturado (provavelmente):
https://vk.com/id95243113 - Ilyukha (Ilya) Maximov, Pskov, Rússia
https://vk.com/id159612910 - Pavel Popov, Pskov, Rússia
O estatuto geral do exército russo (livrinho verde)
O Ministério da Defesa da Rússia nega categoricamente o envolvimento dos seus militares na invasão da Ucrânia. Escreve a blogueira ucraniana Inna Nurzhynskaya: “o Ministério da Defesa russo se recusou a receber os prisioneiros de guerra, militares da unidade № 74268 que sobreviveram”.

Por sua vez, a imprensa ucraniana noticiou que em poder do batalhão “Donbas” estão 22 terroristas, dois dos quais são moradores e naturais da Chechénia, cinco militares do exército regular russo fardados e dois cidadãos da Eslováquia de origem sérvia, escreve Newsru.ua

O teor do desmentido russo

O Ministério da Defesa da Rússia negou a informação sobre a captura do seu BMD-2 e chamou esta informação de “falsa”. Nas palavras do porta-voz oficial do Ministério, major-general Igor Konashenkov, o exército ucraniano também possui “as quantidades bastantes dos BMD-2”.

Sobre os documentos oficiais encontrados no blindado, o major-general Konashenkov explicou que estes são feitos em formulários que já não se usam no exército russo. Em relação aos passaportes, cartões de crédito, seguros, e outros documentos pessoais dos militares russos, Konashenkov acusou a secreta ucraniana SBU de “comprar os bens roubados”. Sem precisar onde e à quem SBU comprou os tais bens supostamente roubados.
Jornal do controlo do material
Fonte:

Bónus

Nesta quinta-feira foi anunciado que a polícia de Moscovo requalificou o processo-crime conta os quatro ativistas que colocaram a bandeira da Ucrânia no arranha-céus em Moscovo. Eles já não são acusados de vandalismo, mas de vandalismo. Significa que os agora detidos podem ser condenados até sete (!) anos de prisão.


Já em Varsóvia se preparam para colorir o seu próprio aranha-céus estalinista (Palácio da Cultura e de Ciência), nas cores da bandeira ucraniana, tudo para celebrar o dia 24 de agosto, o 23º aniversário da Independência da Ucrânia. O jogo das cores poderá ser visto entre os dias 22 à 25 de agosto, informa Hromadske.tv  

Moscovo é ucraniana por três horas

No centro de Moscovo, na manha do dia 20 de agosto, no topo de um dos 7 aranha-céus soviéticos da época estalinista, foi hasteada a bandeira da Ucrânia. Além disso, a estrela metálica que também se situa no topo do mesmo edifício foi parcialmente pintada de azul, seguindo o padrão da bandeira ucraniana.

“Detetada” às 7h15 de manha, a bandeira ucraniana foi retirada por alpinistas municipais por volta das 10h05, permanecendo sob a cidade por cerca de três horas.   

Um dos primeiros à publicar a foto da bandeira no seu twitter foi Emin Kalantarov, o fotógrafo do jornal “Izvestia”. O mesmo Kalantarov escreveu que a pessoa que estava retirar a bandeira, primeiro tirou uma foto selfie, tendo o símbolo da Ucrânia como o pano do fundo.

A polícia moscovita recebeu as ordens imediatas de “busca e apreensão”, rapidamente detendo 4 jovens com algum equipamento de montanhismo, levando-os, de seguida, à esquadra da polícia “Tagansky”. O local onde foi hasteada a bandeira é um edifício de moradias de luxo com 26 (32) andares e 176 metros de altura.

Fonte:

Todos os heróis detidos são cidadãos da Rússia, moradores da cidade de Moscovo e dos arredores (FONTE), eis os seus nomes:

Aleksey V. Shyrokozhukhov, 25 anos;
Yevgenia V. Korotkova, 26 anos;
Aleksandr Y. Pogrebov, 33 anos;
Anna V. Lepeshkina, 35 anos.
 

Todos eles foram acusados de “vandalismo”, todos eles se arriscam às penas que podem ir até 3 anos da cadeia efetiva.

O caso já é uma fonte de piadas e desmotivadores na Internet russa e ucraniana. Uma anedota típica reza que: “Putin exige ao mayor de Moscovo, Sobianin, que as vendas de tintas azul e amarela sejam efetuadas apenas sob a condição de apresentação de um documento válido da identificação pessoal”.
Bónus

Escreve o blogueiro ucraniano Andriy Tsaplienko:

Eu tenho orgulho de conhecer este rapaz. Pessoas como ele, realmente são o futuro da região de Donbas e o futuro da Ucrânia. Petró Zubar de 16 anos levou e mais de um mês escondia na sua casa o brasão da Ucrânia, arrancado pelos ocupantes do edifício do Conselho Municipal de Artemovsk.

Iniciativa “As nossas cores”

O presidente da Ucrânia, Petró Poroshenko, exortou todos os ucranianos, descendentes e amigos, em todos os lugares da Ucrânia e do mundo, hastear a bandeira ucraniana, decorar as suas casas, carros e escritórios com as cores nacionais, amarelo e azul, no dia da Independência nacional, 24 de agosto!

“Nas vésperas do dia da Independência, nos começamos a iniciativa “As nossas cores”, que é dedicada à bandeira ucraniana. Simbolicamente, que neste dia foi pintada às nossas cores, talvez, o maior arranha-céus em Moscovo. Exorto os ucranianos em todo o mundo, onde quer que estejam, nas vésperas do aniversário da Independência, decorar as suas casas, escritórios, carros com as nossas cores nacionais. Glória à Ucrânia!” – diz o presidente, citado pela TSN.ua

https://www.youtube.com/watch?v=B6AFt1uQ2V0

quarta-feira, Agosto 20, 2014

Made in Ucrânia: os blindados populares

Blindado popular ucraniano: "Escorpião"
O nosso blogue já escreveu sobre o projeto do batalhão “Donbas”, chamadoCoche Popular”. Hoje queremos vos mostrar o projeto dos blindados populares, chefiado e supervisionado pelo voluntário ucraniano Dmytro Vovnyanko (na foto em baixo, contando nas suas próprias palavras).




Muitíssima coisa tive que fazer nesta guerra, mas nunca construí os blindados. Então, tive que começar à construí-los...



Na primeira foto aparece o blindado ligeiro "Escorpião" na base de chassi do UAZ. Armamento – metralhadora de grande calibre 12,7 mm. No outro caso (foto em baixo) a metralhadora é uma DShK.

O aparelho construído, usando essa tecnologia, já há um mês que luta com sucesso na frente de batalha e vocês podem rir, mas os rapazes sem medo o usam contra os blindados BTR. A metralhadora de calibre 12,7 mm rasga a armadura do BTR facilmente, enquanto a máquina (ucraniana) permanece inatingível ao armamento do BTR, a sua torre blindada simplesmente não consegue virar-se tão rapidamente.
Blindado na base do pick-up "Nissan" 
É difícil atingir essa máquina com RPG – a sua linha baixa não permite “apanha-la” na mira. A máquina aguenta a bala de calibre 5,45 mm (do Kalashnikov), o novo blindado ligeiro russo “Tigre” é furado com a mesma bala facilmente. E um saber-fazer dos rapazes (duas fotos, em baixo) que aguenta as balas de 5,45 mm. A chapa de aço, camada de cantoneiras, uma nova chapa... A armadura do “Tigre” russo está à anos-luz.


Em fim, queridos homens com as habilidades de serralheiro ou de reparação automóvel. Se vocês estão preocupados como “o que será com a pátria e com todos nos” e desejam, não com as palavras, mas com a rebarbadora, máquina de soldar e pé-de-cabra reforçar a defesa do seu próprio país, mandem me uma mensagem privada. Sempre demos as boas-vindas aos rapazes com as mãos experientes.

RIP Vadym Rychkov
Tetiana e Vadym na zona da OAT
No dia 22 de junho de 2014 o nosso blogue contou a história da Tetiana Rychkova, a voluntária engajada na OAT, que conduzindo a sua própria carrinha “Fiat”, levava os mais diversos mantimentos às unidades do exército ucraniano que combatiam os terroristas no leste do país. O seu marido, Vadim Rychkov, se alistou no exército ucraniano ainda em março de 2013; mas no último dia 17 de agosto ele morreu em combate, defendendo a Ucrânia até o seu último esforço.

A inquebrável Tetiana escreveu no Facebook:

“Ontem no meu mundo tudo virou. Mas é o meu mundo. Glória eterna aos Heróis!” e numa outra postagem: “Petró Oleksiyivych (Poroshenko), foi o primeiro, logo pela manha, que me manifestou as suas condolências. Ele prometeu vingar todos os mortos. E eu acredito nele. Pois caso contrário eu vou me alistar nas nossas forças armadas! E vou vingar!”

terça-feira, Agosto 19, 2014

A batalha de Ilovaysk em curso

O batalhão da Guarda Nacional “Donbas”, o batalhão do Ministério do Interior “Dnipro”, o 40º Batalhão da defesa territorial “Kryvbas”, as unidades da 93ª Brigada mecanizada e da 17ª Brigada blindada, em resultado das ações decisivas libertaram dos terroristas um ponto estratégico à leste do Donetsk – cidade de Ilovaisk.


A liderança do exército do setor “B”, observa a coordenação e a eficácia dos batalhões voluntários, atuando em conjunto com o exército, o que garantiu o sucesso do ataque. Na linha de combate estavam os comandantes dos batalhões “Donbas” e “Dnipro”, Semen Semenchenko e Yuriy Bereza, o inimigo sofreu grandes danos. Os terroristas desesperadamente tentam se agarrar ao Ilovaisk porque a sua tomada é um acesso directo às linhas de suplementos da aglomeração terrorista de Donetsk.

Infelizmente, na batalha pelo Ilovaisk tombaram como heróis dois militares do batalhão “Dnipro”, 7 foram feridos. Eu gostaria de falar sobre a tática. Talvez pela primeira vez nesta guerra, um papel crucial no sucesso deste ataque tiveram as iniciativas de pequenos grupos de infantaria, que fizeram a cobertura ousada dos flancos numa frente ampla, o que levou a um rápido colapso da resistência do inimigo. É impossível não mencionar as tripulações de veículos blindados e da artilharia das 93ª e 17ª brigadas. Eles não tinham nenhuma experiência de coordenação de combate com os voluntários, mas acreditaram, e passaram, onde o inimigo não esperava por eles.

Particularmente quero salientar que, talvez, pela primeira vez, as grandes unidades voluntárias usaram a flexibilidade tática, e a batalha foi vencida não por um impacto frontal, o que, infelizmente, muitas vezes foi utilizado pelas unidades voluntários desesperadas, que por vezes mostram a coragem que chega à imprudência. É importante que os comandantes entenderam e colocaram em prática as manobras táticas. Diante de um nó de resistência, as nossas unidades não pararam, mas identificaram os pontos fracos nas defesas do inimigo e golpearam no local onde o inimigo não esperava o ataque. Os comandantes também prestaram uma grande atenção à inteligência, a interação com artilharia e as baterias dos morteiros. Fico feliz que alguns dos meus humildes conselhos também tiveram alguma utilidade...

Quero advertir contra a euforia. As forças do inimigo na cidade não eram tão grandes, porque as reservas foram desviadas, como resultado das operações ativas das tropas ucranianas em outras áreas. Em particular, nos arredores de Mospino, Shakhtarsk, em Donetsk.

É importante mencionar na tomada Ilovaysk as ações ousadas e eficazes do 40º Batalhão da defesa territorial “Kryvbas”, da 93ª e 17ª Brigadas, que nos dias anteriores empurraram o inimigo fora das posições na periferia da Ilovaisk – pagando um alto preço. Alguns soldados morreram, muitos foram feridos. As reservas inimigas foram ocupadas. Havia o tempo para o melhor estudo das posições.

E as conclusões para o futuro.

Para as ações de assalto de sucesso, a concentração encoberta das forças na posição de ataque têm a suprema importância. A concentração noturna das nossas unidades mais próximo às posições inimigas, irá reduzir o tempo e a distância do avanço até o inimigo, reduzirá a precisão do fogo da artilharia inimiga. E se a (nossa) artilharia poderá organizar uma cortina de fumaça, então os observadores e os corretores (do fogo) inimigo serão pouco eficazes.

E eu quero dizer aos rapazes dos outros batalhões. Você faltaram aqui e muito. Espero me reunir com todos, iremos discutir.

Escreve o comandante do batalhão “Donbas”, Semen Semenchenko:

Estamos em Ilovaisk.
/.../
Durante a noite reforçamos as nossa posições na cidade, foi organizada a alimentação e assistência psicológica aos moradores que estavam nos porões de edifícios administrativos, nos abrigos anti-bomba. Para reforçar o sucesso, decidiu-se /.../ organizar uma limpeza noturna. Durante a noite foram destruídos três postos de controlo e quatro pontos de tiro do inimigo. Não ajudaram aos separatistas nem mesmo os disparos do “Grad” contra “Donbas” na cidade, que os terroristas efetuaram directamente à partir de Donetsk. Também foi bloqueado o movimento da coluna que deveria ajudar aos terroristas.

Até 5h00 de manha (19.08.2013), estava sob o controlo (ucraniano) cerca de dois terços da cidade, a cidade está completamente cercada. Pedimos os moradores para não deixarem os seus abrigos, tentaremos terminar tudo rapidamente. A companhia conjunta dos blindados das Forças Armadas da Ucrânia também não conseguiu entrar na cidade, mas pela manhã os blindados entraram, já estão com a gente. Glória à Ucrânia!

P.S. Não há perdas (mortais) no batalhão “Donbas”, os ligeiramente feridos recusaram-se a ser hospitalizado e estão nas fileiras.

O reacender da batalha (19.08.2014)

Escreve o jornalista Yuriy Butusov:

Uma verdadeira batalha decorre em Ilovaisk e nos seus arredores nestes momentos. Batalha, que começou ontem à noite, ainda está em curso, os terroristas trouxeram reforços e vão ao ataque. As grandes forças inimigas tentam recapturar a cidade e empurrar as nossas tropas que fizeram o cerco profundo da cidade. Um fogo forte da artilharia pesada e morteiros – os mercenários russos disparam contra a cidade de todos os tipos de armas, usam “Grad” – eles absolutamente não se preocupam com os civis.

Ilovaisk é fundamental para a libertação de Donetsk, é um acesso direto às linhas de fornecimento do agrupamento (terrorista) de Donetsk, uma ameaça direta ao cerco total de Donetsk, o acesso ao Zuhres e Khartsyzk ao sul, a ameaça ao grupo de mercenários em Shakhtarsk.

As unidades da 17ª Brigada de Tanques de Dnipropetrovsk, os grupos de artilharia da 93ª Brigada de Dnipropetrovsk e da 51ª Brigada de Volyn, em conjunto com os batalhões de “Dnipro”, “Donbas” e “Kryvbas” mantêm o controlo sobre a maior parte Ilovaisk e arredores, e continuam a avançar, apesar dos poderosos contra-ataques do inimigo. Também participa na batalha uma das unidades do batalhão “Azov”. O ataque mais grave do inimigo é efetuado contra as posições do 40º Batalhão “Kryvbas”. Quero mencionar a liderança do setor “B” (general Ruslan Homchak) – talvez pela primeira vez, foi estabelecida uma cooperação tática confiável entre o exército, as unidades da Guarda Nacional, o Ministério do Interior, organizado um sistema unificado de comunicações. Comportam-se heroicamente os soldados e comandantes dos batalhões que estão presentes diretamente nas formações de combate, dirigindo a batalha. Sim, aprenderam, aprenderam. E isso é apenas o começo. Orem pelos nossos – a situação é bastante grave.

Hoje estou indo para a zona da OAT.

Escreve o Ministro do Interior da Ucrânia, Arsen Avakov:
T-72 dos invasores russos, as FA da Ucrânia não possuem este tipo de blindados 
Ilovaisk. Combate pela sua libertação. Semen Semenchenko, o comandante do batalhão da Guarda Nacional “Donbas”, que já pelo segundo dia consecutivo está na frente da batalha foi ferido ​​por estilhaços.

O grupo da frente do ataque, que limpa Ilovaisk dos terroristas, foi atingido pelo fogo dos morteiros. Aguentaram, o ataque não parou. Entre os nossos – um soldado morreu e quatro foram feridos. Incluindo – Semen (Semenchenko). Estilhaços múltiplos. Todos foram retirados do campo de batalha para um hospital. Para já, os feridos estão fora do perigo.

Enviamos os rapazes da reserva para ajudar. Mantenhamos os dedos cruzados! Glória aos bravos guerreiros!

Informa Borys Filatov (o vice-governador da província de Dnipropetrovsk):

Com Semen (Semenchenko) tudo está OK. Estilhaços. Lutou na linha da frente como um leão. O levamos de helicóptero para Dnipropetrovsk. Por favor, não lhe levem as bananas e laranjas ao (hospital) “Mechnikov”. Só lhe faltava uma alergia. 

Míssil terrorista mata os refugiados na Ucrânia*

Um comboio de ônibus/autocarros com refugiados de Luhansk, no leste da Ucrânia, foi atingido por um míssil lançado por rebeldes nesta segunda-feira (18), causando um número ainda desconhecido de vítimas, disse um porta-voz dos militares ucranianos.

“Terroristas atiraram mísseis Grad contra um comboio de refugiados de Luhansk perto das áreas de Khryashchuvatye e Novosvitlivka... estamos esperando para saber quantos morreram”, disse um porta-voz da operação militar no leste.

Um porta-voz da auto-proclamada república popular de Donetsk disse não ter informações sobre o caso. Um veículo de comunicação dos rebeldes, no entanto, disse que os separatistas e forças ucranianas trocaram tiros de artilharia pesada na área em que os ônibus transitavam.

De acordo com o porta-voz do Conselho Nacional da Defesa e Segurança da Ucrânia (RNBO), vários refugiados foram mortos por separatistas, enquanto tentavam escapar da cidade de Luhansk, informa UOL.com.br (* o título do artigo é da responsabilidade deste blogue).

Por sua vez, o porta-voz do centro da Imprensa do Conselho Nacional da Defesa e Segurança da Ucrânia (RNBO), Andriy Lysenko, informou os jornalistas que o número exacto das vítimas é desconhecido, mas que estes são dezenas, incluindo muitas crianças, que eram transportadas separadamente dos adultos.

Andriy Lysenko informou também que a coluna tinha todos os sinais do que transportava os civis, como as bandeiras brancas. A informação sobre a saída da coluna foi divulgada entre a população civil, por isso não poderia ser secreta. O transporte foi providenciado, em parte, pelas forças armadas da Ucrânia.

“Antecipadamente, os militantes estavam à espera por essa coluna e dessa maneira a bombardearam completamente. Neste momento é impossível calcular o número exacto das vítimas”, – disse Lysenko, citado pela revista Tyzhden.ua

No entanto, a secreta ucraniana SBU, divulga as conversas interceptadas entre os terroristas da “rp” de Donetsk, sobre o bombardeamento da vila de Stepove. Uma ação dos terroristas, decorrida no dia 15.08.2014. Na conversa, eles explicam que irão culpar pelo sucedido as forças ucranianas da OAT (FONTE).

A conversa decorre entre o terrorista Volk (Lobo): o vice-chefe da “segurança estatal da rp de Donetsk” e a “Corsa”, batedora-corretora do sistema de mísseis “Grad”.

Corsa: – (no Stepnoe/Stepove) estão os pacíficos. Três casas nossas foram atingidas. Numa das casas – as crianças pequenas. Car@lho! Fico toda em febre!
Volk: – Sabes o que precisa? Eu, assim, foi para casa e agora meti (no copo) 150 (gramas de vodka) e simplesmente encaixei ao car@lho. Pois realmente, a cabeça fica tonta.

5 horas mais tarde...

Volk: – Está bem, ninguém sabe disso. Já mandamos a informação que foder@m os ucranianos, put@, contra (a população) pacífica. /.../ JÁ SE FAZIA ISSO, É A GUERRA...

https://www.youtube.com/watch?v=975AfXNpX50