sábado, junho 14, 2014

Tragédia de Luhansk: Ucrânia decreta o luto nacional

Na madrugada do dia 14 de junho os terroristas de Luhansk derrubaram, nas proximidades do aeroporto da cidade, o avião IL-76 que transportava os militares da 25ª Brigada Aerotransportada das forças armadas da Ucrânia.

Os terroristas usaram um sistema portátil de mísseis (PZRK) de fabrico russo, disparando no momento em que o avião se preparava para a aterragem. Dados preliminares indicam que todos os 40 para-quedistas e 9 membros de tripulação, pertencentes à Brigada de transporte aéreo de Melitopol morreram na explosão que se seguiu.

Uma câmara Web mostrou o momento de explosão nas imediações do aeroporto de Luhansk (a explosão se dá em 00:51:15):
https://www.youtube.com/watch?v=D92fFrLl1Go

O presidente ucraniano, Petró Poroshenko, convocou a reunião extraordinária do Conselho Nacional da Defesa e Segurança (RNBO):

“Todos responsáveis por um acto terrorista cínico desta envergadura serão obrigatoriamente castigados. Ucrânia quer a paz. Mas os terroristas levarão uma resposta adequada”, – disse o presidente da Ucrânia. Além disso, ele decretou o dia 15 de junho como o dia de luto nacional em memória dos militares que morreram.
Cidade de Khmelnitskiy
“É uma grande perda não só para as famílias dos nossos militares, mas para todo o país. Ucrânia está de luto, mas decididamente continuamos a luta pela paz”, – disse Petró Poroshenko. Ele também deu a indicação ao Gabinete dos Ministros de auxiliar às famílias dos militares que perderam a vida no atentado terrorista.

Nas províncias de Luhansk e Dnipropetrovsk em memória dos militares que tombaram foi decretado o luto de dois dias, escreve Gordonua.com

Heróis não morrem!


Nas vésperas, no dia 12 de junho, morreu em combate o capitão, comandante do Batalhão №113 da Auto-defesa territorial de Chernihiv, membro do Estado-maior da “Auto-defesa popular” de Chernihiv, membro do partido VO Svoboda (Liberdade), Oleksii Konovalov.

3 comentários:

Anónimo disse...

Nao adianta se a fronteira com a Russia nao for tomada pelo exercito ucraniano. E por ela que a Russia fornece armamentos e por onde entram os mercenarios pagos por moscou. A prioridade deveria ser a ocupacao imediata das fronteiras. Os mercenarios ficarao encurralados e sem acesso a armas.

Luiz G. Souza disse...

Também penso assim. A retomada dos postos fronteiriços sob domínio dos terroristas deveria ser a prioridade do governo ucraniano. É preciso controlar a fronteira, de cabo a rabo, para impedir a entrada de terroristas e armas vindas da Rússia!

Anónimo disse...

Também penso assim. A fronteira deve ser controlada, de cabo a rabo, pelas forças ucranianas, para impedir o acesso de terroristas e armamentos vindos da Rússia!