sábado, março 02, 2013

Os bordados do GULAG


O museu memorial de Lviv, Cadeia na Lonckoho, apresenta uma pequena exposição dos bordados ucranianos, feitos nos campos de concentração e cadeias soviéticas.

As prisioneiras ucranianas bordavam nos bocados de pano, que tinham que esconder durante constantes rusgas prisionais. Na cadeia de Lonckoho, elas usavam as espinhas de peixe como agulhas e as linhas eram retiradas da própria roupa. Os motivos são na sua maioria bíblicos: Madredeus, menino Jesus… Num dos bordados está escrito: “Oh, Maria, nós salva no cativeiro…” Um outro bordado é assinado pelas iniciais M.K.M. – Kateryna Melnytska de Sokal, foi presa em 1948 e condenada aos 5 anos de campos de concentração. Pela ajuda aos insurgentes foi novamente condenada aos 13 anos de GULAG, foi enviada ao Kengir, perto da Karaganda. O bordado foi entregue ao museu pelo seu filho Petró. Ele conta que a sua mãe, mesmo dezenas de anos depois, não queria recordar o cativeiro, para não se lembrar das torturas sofridas às mãos do NKVD.

Na exposição também podem ser vistos os postais natalinos e do Ano Novo, impressos pela OUN na Europa Ocidental nos anos 1950. A reedição dos postais foi feita pela NGO juvenil Borec.

Fonte:

Sem comentários: