sábado, agosto 27, 2011

Ucraniano chefe dos moicanos

O piloto – aviador ucraniano Ivan Datsenko escapou a repressão comunista no fim da II G.M., se tornando o chefe dos índios moicanos no Canadá, conhecido pelo nome indígena de Poking Fire (Aquele Que Furou o Fogo) e o nome inglês John McKnober. 

Ivan Datsenko nasceu em 29 de Novembro de 1918 na aldeia de Chernechiy Yar, distrito de Dikanka, província de Poltava na Ucrânia Central. Estudou na escola incompleta na aldeia de Velyki Budnysha, em 1937 se formou na escola técnica veterinária da localidade de Pysarivshchina. No mesmo ano foi chamado a cumprir o serviço militar no Exército Soviético. Em 1940 Ivan Datsenko se graduou na Escola de pilotos militares “Chkalov” em Orenburg. Desde o início da guerra germano – soviética o tenente Ivan Datsenko é comandante da asa do 10° regimento da 3ª divisão do 3° corpo de aviação do longo alcance. O piloto ucraniano efectuou diversos bombardeamentos dos alvos militares e industriais na retaguarda profunda da Alemanha nazi. Participou na batalha de Stalingrado. Até o Agosto de 1943 efectuou 213 raids de combate na frente alemã, pelo que recebeu o patente do 1° tenente. Em 18 de Setembro de 1943 a Presidência do Conselho Supremo da URSS o patenteou com o título do Herói da União Soviética com atribuição da ordem “Lenine” e a medalha “Estrela Vermelha” (№ 1733). O respectivo Diploma do Conselho Supremo está conservado na escola veterinária de Pysarivshchina. 

Do herói ao “inimigo do povo” 

Em 19 de Abril de 1944 o avião do Ivan Datsenko foi abatido pelo fogo antiaéreo alemão nas proximidades da estação ferroviária Lviv–II na Ucrânia Ocidental. O piloto ucraniano conseguiu se ejectar e foi capturado pelos alemães. À partir daquele instante, a sua história tem duas versões. Uma diz que ele fugiu do cativeiro nazi, ultrapassou a linha da frente e se apresentou na sua unidade militar. No dia seguinte foi preso pela contra inteligência militar soviética SMERSH e após um apressado julgamento foi enviado aos campos de concentração de GULAG. Algures pelo caminho Ivan Datsenko consegui fugir dos carrascos do NKVD, foi procurado, mas não achado...  

Outra versão diz que capturado pelos alemães, ele ficou preso nos campos de concentração nazis e no fim da guerra passou para a zona de ocupação americana, da onde, provavelmente, usando uma identificação alheia conseguiu emigrar para Canadá. Essa versão parece mais provável por causa de diversos factores. O livro soviético “Pela Bravura e Coragem”, editado em 1973, lista todos os heróis da União Soviética naturais da região de Poltava (233 pessoas no total). Na página 105 se escreve o seguinte: “No dia 18 de Abril de 1944 (...) durante a tarefa de combate o corajoso “falcão” morreu com a morte heróica”. No mesmo 1944 os seus familiares receberam a carta oficial das autoridades militares soviéticas que confirmava a morte do Ivan Datsenko. A prática comum daquela época ditava que no caso de “traição”, seria lhe retirado o título do Herói da União Soviética e até o seu nome seria apagado de todas publicações e dos registos de condecoração. 

O índio ucraniano
Ivan Datsenko (Pocking Fire) no meio da sua tribo
Em 1967 em Montreal no Canadá decorria a Expo-67. A URSS participou no evento com os Dias da cultura soviética, atendidas pelo dançarino checheno Mahmud Esambaev, que mais tarde quis ver as danças dos índios. Numa das reservas indígenas ele foi recebido por um homem alto e forte de pele clara, embora pintado e vestido a preceito tribal. Ao lado dele estava uma bela mulher índia. O índio fez a vénia e disse: “Bem vindo! Por favor, entre na minha cabana.” Tudo isso em ucraniano puro. Assistindo a incredulidade do Esambaev, o índio explicou que ele é ucraniano, natural da região de Poltava e se chama Ivan Datsenko, mas que na tribo é conhecido pelo nome de Piercing Fire ou Pocking Fire (Aquele Que Furou o Fogo). Naquele encontro Ivan Datsenko mostrou-se grande apreciador do canto, ele cantou várias músicas populares ucranianas, incluindo “Rozpriahayte, hloptsi, koney”. Mais tarde ucraniano e checheno se tornaram amigos, chegaram trocar a correspondência. 

Familiares na Ucrânia 

Depois de ler na imprensa o relato do Esambaev, a sobrinha do Ivan Dotsenko, Olga Ruban começou procurar pelo tio. Alguns livros diziam que ele morreu em combate, outros relatavam que não voltou após uma missão. Até foi consultar os videntes, todos eles diziam, olhando para a foto do jovem Ivan, que ele estava vivo. Olga conseguiu localizar o colega do Ivan Datsenko no exército, Mykola Dzhugan, que também confirmou a sobrevivência do Ivan e o seu aprisionamento pelos nazis. Dzhugan disse que quando Ivan escapou dos nazis, ele, tal como outros ex-prisioneiros fui chamado de traidor. Depois disso, Datsenko fugiu da URSS... 

Olga Ruban escreveu aos jornais, contactou o programa da TV russa que procura as pessoas desaparecidas “Espere por Mim”, achou os contactos do Ensambaev. Mais tarde pediu ajuda do presidente ucraniano e da primeira-ministra ucraniana Yulia Tymoshenko. Ensambaev não a recebeu até a sua morte e o seu arquivo se perdeu em Grozni na 1ª guerra chechena. Apenas Yulia Tymoshenko tinha lhe respondido, mas disse que não podia ajuda-la. 

A vida no Canadá 

No Canadá Ivan Datsenko trabalhou na construção civil na região de Montreal. Apaixonou-se por uma mulher índia, filha do chefe de uma das reservas indígenas. Pediu a mão da sua futura esposa e foi aceito como membro da tribo. Serviu a tribo como gestor de visitas turísticas e após a morte do sogro, que não teve filhos varões, se tornou o chefe tribal. Tudo indica que Ivan Datsenko morreu em 2002. O lugar do chefe da tribo foi ocupado pelo seu filho John. Hoje as reservas indígenas já não existem no Canadá. Os netos do Ivan Datsenko, John (Ivan) e Nina vivem na região de Ottava. Parece que John é polícia e Nina é jornalista. Até agora Olga não conseguiu contacta-los, desconhecendo o seu destino... 

O programa “Espere por Mim” organizou a análise comparativa entre as fotos do Ivan Datsenko e as fotos do chefe índio Piercing Fire (Pocking Fire) no Instituto de Examinação Forense de Moscovo. A análise computorizada revelou a correspondência total (contando com o envelhecimento) dos diversos elementos da face, como nariz, linhas da boca, sobrancelhas e queixo, que permite concluir que o piloto ucraniano Ivan Datsenko e o chefe índio Piercing Fire (Pocking Fire) são a mesma pessoa. 

Fonte:

Fotos do Ivan Datsenko & chefe Piercing Fire (Pocking Fire):

Em 2011 a história do Ivan Datsenko deu a origem ao filme ucraniano do realizador Mykhailo Illyenko (irmão do Yuri Illienko), chamado “Fire Crosser” (Aquele Que Furou o Fogo). 

Ver o filme integral no YouTube (original ucraniano com legendas em russo):


Página oficial do filme:
http://firecrosser-movie.com

1 comentário:

dp disse...

Como siempre, querido amigo, tu blog es fantastico.
gracias