sábado, dezembro 12, 2015

A bandeira ucraniana no jogo RDA – URSS em 1976

A bandeira nacional ucraniana, azul e amarela era vista na URSS como um símbolo “nacionalista” e como tal, foi ferozmente perseguida e proibida pelo regime soviético até 1989-90, quando alguns municípios ucranianos, principalmente na Ucrânia Ocidental, mas não só, à hastearam nos edifícios municipais.
No entanto, em 27 de julho de 1976, na partida semi-final dos Jogos Olímpicos, entre as seleções da RDA e da União Soviética (2:1), à decorrer em Montreal no Canadá, o campo foi “invadido” pelo jovem ucraniano trajado de camisa bordada (vyshyvanka) que dançou hopak, agitou a bandeira ucraniana e gritou “Liberdade à Ucrânia!”.
   
O maior, mais antigo e prestigiante jornal da Diáspora ucraniana nos EUA, “Svoboda” (Liberdade) contou aos seus leitores sobre o sucedido na 1ª página da edição № 142 de 10 de agosto de 1976.
Jornal "Svoboda", 1976, Nr. 142, 1ª página
Entre os espectadores estavam cerca de 150 jovens ucranianos que colocaram uma grande bandeira ucraniana, cerca de 30 pés (9,1 m), vestiam as camisas bordadas com o slogan: “Liberdade à Ucrânia”. O jovem que correu pelo estádio era Danylo Myhal (20), membro da União da Juventude Ucraniana (SUM) de Thunder Bay (Ontário), ele dançou, agitou a bandeira ucraniana e gritou “Liberdade à Ucrânia!”. Uma hora após a detenção pela polícia canadense ele foi libertado sem nenhuma acusação.
Após o jogo, Danylo contou que um dos polícias, vestido ao civil, tentava o persuadir que o seu protesto não ajudará aos ucranianos e o ameaçava com a possível deportação à União Soviética. Danylo explicou que queria apenas apoiar os futebolistas ucranianos (a seleção olímpica soviética em 1976 era composta na base dos jogadores do FC Dynamo Kyiv) e afirmou que preparou a sua ação absolutamente sozinho.
https://www.youtube.com/watch?v=QSpgPSeC1Gw
Sabe-se que Danylo Myhal foi membro do coro masculino ucraniano canadense “Hoosli”.

Na mesma edição, na página 3, “Svoboda” informou sobre a detenção nos jogos olímpicos de um outro ucraniano, estudante de Toronto, Lyubomyr Shuh (22), também pela porte da bandeira ucraniana. Lyubomyr estava presente no jogo de andebol feminino entre as seleções da URSS e da Romênia (a equipa soviética era formada na base do clube ucraniano “Spartak Kyiv”), ostentando a bandeira ucraniana. A explicação dos organizadores foi quase mesma, usada contra o uso da bandeira ucraniana no jogo entre os clubes de futebol “Sporting SP” e “Zenit SP” em Lisboa em 2014: essa bandeira representa o protesto político; apenas as bandeiras dos países participantes são permitidas; a bandeira  era potencialmente “explosiva”. Após algumas horas de detenção Lyubomyr Shuh foi libertado, na condição de se apresentar perante o juíz no dia seguinte.

É precisa recordar que Diáspora ucraniana de Canadá aproveitou os Jogos Olímpicos para recordar ao mundo a situação da Ucrânia (que este mesmo mundo pretendia ignorar).  Durante os jogos os jovens ucranianos ostentavam os dísticos “Liberdade à Ucrânia!”, gritavam “Ucrânia”, cantavam as canções ucranianas e distribuíam as insígnias, panfletos e flyers em inglês e francês dedicados à Ucrânia. Também foi produzido um mapa de Montreal em ucraniano, com as menções de todas as organizações ucranianas, existentes na cidade. O mapa foi preparado especialmente para a distribuição entre os ucranianos que vieram aos JO na delegação soviética.  

RIP Oleh Haborak
RIP Oleh Haborak, 18 anos, morto em 11/12/2015
No dia 11 de dezembro de 2015, às 14h00, nos arredores de aeroporto de Donetsk as posições do destacamento ucraniano “Karpatska Sich” foram alvejadas pelas forças russo-terroristas com um morteiro anti-tanque. Em resultado, o voluntário Oleh Haborak (aka Son - Sonho, 18 anos) morreu e outro voluntário, Denys Shutak foi ferido sem correr o perigo de vida. Neste momento ele se encontra no hospital militar da cidade de Dnipropetrovsk (fonte).

Glória aos Heróis!

Sem comentários: