segunda-feira, agosto 16, 2010

Iván – de Volta para o Passado

O realizador ucraniano – brasileiro Guto Pasko (Made in Ucrânia) está engajado no novo projecto: o filme documentário sobre a vida do imigrante ucraniano Iván Bojko, levado em 1942 pelos nazistas da sua aldeia natal no município de Berezhany (província de Ternopil) para os trabalhos forçados na Alemanha.

A diversidade étnica é uma das marcas do Paraná, que abriga colónias e comunidades de diversas culturas, entre elas estão os ucranianos. A imigração ucraniana no Brasil começou no final do século XIX e teve três grandes levas até 1952. Calcula-se que o grupo étnico ucraniano e seus descendentes no Brasil somam cerca de 400 mil pessoas, das quais 81% vivem no Paraná. Deste total, se estima que cerca de 100 mil se encontram na cidade de Curitiba, entre elas Iván Bojko.

Iván Bojko veio ao Brasil em 1948; como refugiado de 2ª guerra mundial e nunca mais voltou para a Ucrânia. Em 2010, ou seja, 78 anos depois, ele irá fazer uma viagem de volta ao passado, em retorno à sua terra natal. O filme tem patrocínio da PETROBRÁS Petróleo Brasileiro S.A., através do Programa Petrobrás Cultural.

Em 1942 Iván Boiko foi arrancado da Ucrânia e levado pelos nazistas para os trabalhos forçados na Alemanha, onde permaneceu até 1945. Com o fim da 2ª guerra mundial ele não quis regressar à Ucrânia porque os soviéticos dominaram o país, acusando de inimigos de povo e traidores todos os cidadãos da então União Soviética que estiveram trabalhando na Alemanha, mesmo que em circunstancias como as vividas por Iván Boiko. Se ele retornasse seria morto ou então se tivesse sorte, seria preso e enviado para os GULAGes da Sibéria.

Para Iván Boiko sobrou à alternativa de buscar refugio em outro País e ele escolheu o Brasil, mais especificamente, a cidade de Curitiba.

No Brasil Iván Boiko dedicou-se à fabricação e propagação de bandura – instrumento musical nacional dos ucranianos. Para Ivan Bojko fabricar a bandura significou se sentir mais próximo do seu país de origem, o qual foi obrigado a abandonar.

O maior sonho de Iván Boiko, qual ele está prestes a realizar, é viajar para a Ucrânia para reencontrar a única pessoa ainda viva da sua família: uma irmã que está com mais de 80 anos de idade e mora actualmente na região de Odessa, sul da Ucrânia. Desde que saiu de sua terra natal, levado pelos alemães, eles nunca mais se viram.

Ver as fotográficas de filmagens no Facebook:
http://www.facebook.com/home.php?#!/album.php?aid=2075025&id=1149204580

Sem comentários: