terça-feira, novembro 08, 2011

A Santa Sé e Holodomor


No dia 26 de Outubro em Roma na Itália foi apresentado o livro “The Holy See and the Holodomor: Documents from the Vatican Secret Archives on the Great Famine of 1932-1933 in Soviet Ukraine” (ainda sem a tradução portuguesa). 

por: Marianna Soronevych, editora do jornal Gazetaukrainska.com  

O livro é da autoria de dois historiadores ucranianos, Professor Lubomyr Y. Luciuk que veio a Itália para trabalhar nos arquivos do Vaticano e o vaticanista, padre franciscano Athanasius D. McVay (ver o seu blogue), um dos pouquíssimos historiadores que trabalha nos arquivos da Santa Sé. O resultado do seu trabalho é o livro “Santa Sé e Holodomor: Documentos dos arquivos secretos do Vaticano sobre a Grande Fome de 1932-33 na Ucrânia Soviética”.  

Apresentação decorreu no Centro ecuménico russo e contou com o apoio da embaixada da Ucrânia no Vaticano, amigos da Ucrânia e o corpo diplomático estrangeiro acreditado na Santa Sé. 

Os arquivos do Vaticano são abertos aos historiadores desde 1881, os últimos 14 anos eles são pesquisados pelo padre Athanasius McVay. “Conhecimento da história é uma forma de liberdade, par a construção da actualidade e do futuro, explica ele. – O livro foi escrito para que não sejamos cúmplices daqueles que negam ou mudam ao seu gosto a história da Ucrânia”. 

Federigo Argentieri, o académico italiano que actualmente lecciona nas Universidades John Cabot (EUA) e Temple Rome Campus (Itália) e que durante muitos anos estuda a história ucraniana, mais uma vez afirmou que Holodomor foi um acto do genocídio que pretendia exterminar a população campesina da Ucrânia. Em comparação com outros caso da fome massificada, Holodomor ucraniano se deu no tempo da paz e o Governo soviético da época fez tudo para ocultar o facto do Holodomor perante a opinião pública mundial. 

Professor Lubomyr Luciuk e padre Athanasius D. McVay encontraram e estudaram 56 documentos de arquivo que provam que o Vaticano compreendia o tamanho catastrófico do Holodomor, e também entendia a origem não natural do seu surgimento. 

Naquela época o Vaticano não tinha relações diplomáticas com a URSS / Ucrânia Soviética, mesmo assim, a Santa Sé tinha proposto comprar o trigo ucraniano vendido pelo regime estalinista ao desbarato, o devolvendo para as áreas mais atingidas pela fome. O Vaticano também tentava chamar a atenção da opinião pública mundial à essa tragédia, publicando as notícias sobre o Holodomor nas suas publicações e nas publicações ucranianas. 

Nós até encontramos o documento único da audiência do Papa Pio XI, que chorava pelo destino dos ucranianos,” – conta o Professor Luciuk. 

Lembramos, que em 2008, Papa Bento XVI, recordou a memória das vítimas do Holodomor, o Sumo Pontífice também classificou a Grande Fome ucraniana com “Tragédia terrível”. 

Fonte:
Gazetaukrainska.com


Sem comentários: