quinta-feira, abril 04, 2013

Recordar Kvitka (Kasey) Cisyk


Hoje, Ucrânia celebra o 60º aniversário de nascimento da cantora soprano ucraniano-americana Kvitka Cisyk (4.04.1953 — †29.03.1998), famosa pela sua performance das canções populares ucranianas, aparições na TV americana, trabalhos na publicidade e colaboração com ópera de Gante (Bélgica).

Kvitka Cisyk nasceu em 1953 em Nova Iorque, na família ucraniana originária de Transcarpátia. O seu pai, Volodymyr Cisyk, violinista, ensinou a filha tocar violino aos 5 anos. Kvitka fez parte do movimento escuteiro ucraniano “Plast”, fazia balé e teatro, tocava violino e guitarra, adorava os cavalos. Mais tarde, estudou profissionalmente o vocal em Mannes School of Music, foi detentora de Óscar pela sua canção “You Light Up My Life” (1977).

Provavelmente, um dos primeiros álbuns da cantora se chama “Ivanku” (Ivaninho). Hoje a raridade absoluta, LP, contem as canções populares e escuteiras em inglês e ucraniano. Mas Kvitka alcançou a fama produzindo dois álbuns de canções ucranianas: “Kvitka – Songs of Ukraine” e “Kvitka – Two Colors”. Ambos eram projetos familiares, o seu segundo marido, engenheiro de som Edward J. Rakowicz foi o produtor, irmã Maria tocava piano, mãe, Ivanna, zelava pela correção da língua ucraniana. Além deles, nestes projetos participaram cerca de 20 músicos.

Os seus discos eram clandestinamente copiados e em LP e cassetes, entrando na Ucrânia Soviética nas décadas de 1980-1990. A cantora visitou Ucrânia incógnito por uma única vez, em 1983, na companhia da mãe. Mesmo a sua família de Lviv não sabia da visita. O departamento ideológico do partido comunista tinha produzido a circular que proibia a divulgação da sua obra. No repertório, a cantora possuía as canções sobre UPA ou Atiradores de Sich, era filha dos emigrantes. O marido conta que todas as conversas telefónicas que cantora manteve no hotel eram escutadas.

Ela morreu em 1998, não chegando por alguns dias de completar 45 anos, vítima do cancro de mama. Da mesma doença padeceram a sua mãe e irmã. Em sua memória foi criada uma fundação beneficiária, que compra e envia a Ucrânia os equipamentos mamográficos.

Como epígrafo ao seu 2º álbum, Kvitka escolheu estas palavras: “Essa coletânea de canções é desejo do meu coração ucraniano de tecer as notas alegres no tecido rasgado pela vida em que foi bordado o destino do nosso povo”.

Baixinha, de apenas 1,47 sm, durante dezoito anos Kvitka foi a única voz oficial da corporação automóvel “Ford”, gravou os jingles publicitários para “Coca-cola”, “American Airlines”, “McDonald's”, entre outros. Foi a back-vocal do Michael Jackson e Whitney Houston. Foi casada por duas vezes, em 1991 nasceu o seu filho Edward Wolodymyr.

Fonte & Fotos inéditos:

“Kvitka. A voz em exemplar único”

Para recordar solenemente o seu 60º aniversário, o canal ucraniano “Inter” produziu o filme documental “Kvitka. A voz em exemplar único”. O filme procurará explicar o fenómeno da Kvitka, cujas canções exercem o hipnotismo inexplicado aos seus ouvintes.

No filme os depoimentos serão dados pela sua família próxima e parentes da Ucrânia, os seus colaboradores e admiradores. O filme mostrará a única e exclusiva entrevista em língua ucraniana que cantora deu ao dirigente da Filarmonia Nacional da Ucrânia, Olexander Gornostaev. Realizadora do filme é Sofia Chemerys, escreve IstPravda.com.ua

Canção “Two Colors" do álbum da Kvitka Cisyk “Two Colors” (1989):

Sem comentários: