terça-feira, outubro 19, 2010

Ucranianos entre os Justos Entre as Nações

Durante a II Guerra Mundial, os 2.619 (dezembro de 2018) ucranianos arriscaram as suas próprias vidas para salvarem os judeus. Ucrânia é o 4º país ao nível mundial em número dos Justos entre as Nações.

Em 18 de abril de 2007, na escola secundária № 5, da cidade ucraniana de Nikopol, foi inaugurada a placa memorial em honra daqueles que salvavam os judeus da cidade durante a ocupação nazi.
Abertura da placa comemorativa na escola secundária № 5.
Ucrânia, cidade de Nikopol, 18 de abril de 2007 | www.bizslovo.org
As pessoas que salvavam os judeus arriscando a sua própria vida também são conhecidos como Justos entre as nações e no caso da célula de resistência anti-nazi de Nikopol, todos os seus membros militavam activamente na Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN). Em consequência, o líder do grupo diretor da escola, Fedir Vovk e a sua esposa, professora Maria Mizina passaram 20 anos nos campos de concentração soviéticos.
O membro da OUN, o Justo Entre as Nações, ucraniano Fedir Vovk
Todas as despesas relativas à placa memorial foram custeadas pela comunidade judaica de Nikopol.

Blogueiro: os ucranianos não podem esquecer e não devem permitir que outros “esquecem”, que entre os Justos entre as nações a Ucrânia é o 4° país com o maior número de Justos que salvavam os judeus. Na lista da Yad Vashem se encontram os nomes dos 2.619 (dezembro de 2018) ucranianos, apenas Polónia, Holanda e França fizeram mais.

Na próxima vez, quando uma pessoa mal intencionada tente vós impingir algo sobre o nosso “anti-semitismo natural”, perguntem quantos Justos entre as nações possui o seu país e porque. Em termos de comparação, a Rússia inscreveu na lista apenas 206 nomes, enquanto a pequena Lituânia pode se orgulhar dos seus 893 Justos...

Bónus
Ler a história do militante da OUN, judeu ucraniano Lejba-Itzik Dombrowski

Sem comentários: