sexta-feira, junho 24, 2005

Primeiro blogue ucraniano em África completou 180 dias

No dia 15 de Junho, o nosso blogue completou 180 dias de sua existência!

Nosso blogue foi criado na auge da Revolução Laranja, para fornecer informação credível sobre os acontecimentos na Ucrânia, para o público que fala português em todo o Mundo.
Em 180 dias de existência, blogue foi visitado por 1,894 pessoas de todos os países do Globo: da Dinamarca à Kasaquistão, da Argentina à Singapura e da Colómbia à Estónia. Hoje, o leitor médio do blogue vive no Brasil – 20%, em Moçambique – 11% e Portugal – 8%. Mas também na Polónia e Ucrânia – 3%, ou então na República da África do Sul, Lituânia, Suíça, Canada e Argentina – cada um destes países, representa 1% dos visitantes.

O que nos conseguimos fazer em 180 dias.

1. Na parte da criação das relações culturais entre a Ucrânia e Moçambique, nosso blogue conseguiu ajudar ao jurista moçambicano, António L. C., de encontrar o seu filho na Ucrânia, que ele não via desde 1971(!) e com qual não tive nenhum contacto desde 1991(!).
Nos anos 1960 – 70, Sr. António L. C., foi o representante do Frente da Libertação de Moçambique (FRELIMO) na Ucrânia.

2. Junto com o site ucraniano, http://www.ХАМ.com.ua , o nosso blogue está oficialmente propor o ex – Primeiro – Ministro da Ucrânia, Viktor F. Yanukovich, também conhecido no meio prisional & marginal como “Ham” (Brutamontes), para o Prémio Ig Nobél de 2005.
Informação adicional (em ucraniano):
WEB: http://ham.com.ua/node/333

3. O nosso blogue desempenha as funções do patrocinador dos média no Mundo lusófono, para o Centro Editorial “SVIT USPIHU” (Mundo de Sucesso), que prepara uma edição de cinco volumes, sobre os alunos que foram graduados pela Universidade Nacional de Kyiv Taras Shevchenko, durante os seus 170 anos de existência.
A obra intitulada: “Universidade Nacional de Kyiv Taras Shevchenko. Nomes dos gloriosos contemporâneos”, pretende demonstrar o papel da Universidade na formação dos quadros na Ucrânia e no Mundo. Primeiro volume já foi publicado na Primavera de 2004. Todos os participantes no projecto recebem de 5 à 100 exemplares. Todos os moçambicanos, angolanos, brasileiros, portugueses, que estudaram na Universidade, são bem vindos de participar no projecto.
Informação adicional:
WEB: http://www.svit-uspihu.org.ua
e-mail: su1@bigmir.net

4. O nosso blogue, desempenha as funções do patrocinador dos média no Mundo lusófono, para a banda ucraniana GreenJolly, que representou a Ucrânia no Festival Eurovisão em 2005.
www.greenjolly.net

5. Num projecto conjunto com o site ucraniano – brasileiro, http://www.ondaucraniana.uni.cc , o nosso blogue está presente no espaço do NET brasileiro, levando a informação sobre os acontecimentos mais recentes da Ucrânia, directamente para a segunda e terceira gerações, dos descendentes dos ucranianos no Brasil.

6. Entre os planos para o futuro, temos o desejo de estar presente no espaço da Internet dos restantes países africanos da expressão portuguesa, nomeadamente: Angola, Guine – Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e também em Timor Leste e Macau.

Anexos:

1. Pelos nossos cálculos não oficiais, em Moçambique vivem entre 400 à 700 ucranianos, incluímos neste numero os filhos dos casamentos mistos entre as ucranianas e os moçambicanos. No país, não existe nenhuma comunidade ucraniana organizada.

2. No país não existe nenhuma representação diplomática ucraniana, nem mesmo o instituto do cônsul honorário, a embaixada ucraniana mais próxima fica na cidade de Pretória, Republica da África do Sul, à uma distancia de cerca de 600 km.

3. Contacto: african@mail.ru
P.S. Por favor, não nós mandem spam publicitário!

quinta-feira, junho 23, 2005

A Revolução Laranja na Ucrânia comemora seus 180 dias

No dia 26 de Junho, a Ucrânia vai celebrar 180 dias da sua pacifica e vitoriosa Revolução Laranja (no dia 26 de Dezembro tive lugar a 2ª volta das eleições presidenciais, que deu a vitoria ao Viktor Yushenko). Muita gente, principalmente na América Latina, foi induzida para ver essa Revolução, como luta entre Ocidente e Leste. Enquanto os ucranianos lutavam pela independência do seu próprio país, ameaçada por um candidato com passado criminal e com fortes ligações aos serviços secretos soviéticos. Nesta data, gostaria de vos apresentar dois artigos dedicados a Revolução ucraniana, escritos em Dezembro de 2004 e Junho de 2005.

Russia looks at 'little brother' - and worries
Anne Applebaum*, "The Daily Telegraph", Grã – Bretanha, 27 de Dezembro de 2004, (Tradução abreviada)

*Anne Applebaum, membro do Conselho de Redactores do jornal "The Washington Post"

Moscovo, Dezembro de 2004. Nunca antes ouvi falar do Fundo Internacional da Paz e Cooperação. Mas recebi o convite da embaixada americana e decidi participar, pensando que o auditório – são professores vindos do interior da Rússia, para o semanário da “educação da cidadania”.
Depois da minha intervenção, pedi para fazer as perguntas. Uma das primeiras, relacionava-se com a Ucrânia: porque Ocidente colabora com os ucranianos, que pretendem anular as eleições legítimas? Eu disse que as eleições NÃO ERAM legítimas: alguns amigos meus eram observadores nestas eleições e foram testemunhas de fraudes maciças. O auditório começou ficar nervoso.
Uma das outras perguntas era sobre a Tchechenia: porque Ocidente financia os terroristas tchechenos? Eu disse que o Ocidente não financia os terroristas tchechenos. Povo começou ficar mais nervoso. Uma das personalidades importantes do Fundo Internacional da Paz e Cooperação, sentada comigo no pódio, disse-me com gozo: “Você deveria preparar-se melhor, aí você iria saber quem realmente financia o terrorismo tchecheno”. Sou obrigada a pensar, que ele sugeria a administração do George W. Bush.
Mais tarde, eu soube que este Fundo Internacional da Paz e Cooperação foi criado no tempo do comunismo, quando chamava-se simplesmente Fundo da Paz e funcionava como uma das guarda – chuvas do partido.

Um dia antes, eu participei no fórum do movimento democrático russo, ou melhor, aquilo que restou dele. Aqui e ali na sala, eu via homens e mulheres com braçadeiras e camisetas cor de laranja, mostrando a sua solidariedade com os manifestantes na Ucrânia. No final do fórum, eu encontrei uma russa minha conhecida, que queria saber, para quem em Washington D.C. ela teria que ligar, para saber como organizar a Revolução Laranja na Rússia. Se isso realmente foi um complot ocidental para difundir a democracia, ela queria participar nele.
Os acontecimentos na Ucrânia, que MAIOR PARTE DOS RUSSOS ATÉ AGORA consideram como Pequeno Irmão (ou a Pequena Rússia), obrigaram muitos dos cidadãos russos, reflectir mais profundamente sobre as mudanças recentes no seu próprio país.
Em poucos anos, o autoritarismo do Governo do presidente Putin aumentou, os médias foram limitados, organizações políticas independentes sofrem pressão, propaganda anti – ocidental na TV controlada pelo estado, activou-se, e tudo isso, de alguma maneira, ficou despercebido. No estrangeiro ninguém prestou grande atenção, e a maioria dos russos, achou que essa tendência não é importante, relativamente ao bem estar económico, possibilitado pelos preços altos do petróleo no mercado internacional.
Nos últimos anos, a administração do presidente ucraniano Leonid Kuchma matava os jornalistas, atacava os média independentes, perseguia os seus oponentes políticos e chegou envenenar com dioxina o Viktor Yushenko. E tudo isso, acontecia com concordância e colaboração clara do Governo russo, lideres do qual acharam, que mais uma manipulação das eleições ucranianas e criação do mais um governo ucraniano repressivo, não provocará grande ressonância nem na Ucrânia, nem em parte alguma.
Eles enganaram-se. As demonstrações de massa nas ruas de Kyiv, atenção internacional às falsificações das eleições na Ucrânia, visitas ao aquele país do Javier Solana e Lech Walesa, foram completamente inesperados para o Governo russo e para os cidadãos comuns. Ao nível oficial e não oficial, os russos culpam o Ocidente, principalmente porque não tem a capacidade de perceber, que poderá haver uma explicação deferente.
Embora muitos estudiosos caracterizam a luta em Kyiv como luta entre o Ocidente e Leste, manifestantes ucranianos não pensam assim. A maioria deles considera, que luta pela independência do seu país. Uns ficaram ofendidos pelo apoio brutal do Vladimir Putin ao “seu” candidato, Viktor Yanukovich. Outros ficaram amedrontados pela pele escurecida na face do Viktor Yushenko, testemunha de envenenamento pela dioxina. Os empresários ucranianos acompanharam muito atentamente, a situação dos empresários russos, que tiveram a coragem de se tornar muito independentes do Kremlin sofrendo perseguições e cadeia, e decidiram, que necessitam de um outro (diferente do russo) sistema político. Quando os média ucranianos começaram difusão independente, quando o Ministério dos Negócios Estrangeiros afirmou o seu apoio ao Viktor Yushenko, quando uma parte do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), organizou a fuga de informação das reuniões dos conselheiros de Yanukovich sobre a falsificação das eleições, os ucranianos comuns também decidiram juntar-se à eles.
Mas existem russos, que entendem que acontece em Kyiv, russos que não acreditam mais na propaganda oficial, russos, que entendem, que isso é um movimento popular e não complot ocidental. Estes russos, provocam maiores receios na administração de Putin. Ucrânia, nas mentes dos russos, não é um pais pequenino com uma língua estranha como Letónia ou Lituânia. E também, não é um país completamente “estrangeiro” como a Polónia. Se aquilo aconteceu na Ucrânia, poderá acontecer aqui. Devemos esperar que será renovado o controlo sobre o débil movimento democrático russo, aumento de controlo sobre médias russos e retórica anti – ocidental mais barulhenta. E apesar de tudo disso, temos que esperar, que pelo menos uma dezena de russos, sentirá inspiração.

Russia is now ripe for freedom revolution, warns Solzhenitsyn

Jeremy Page, “The Times”, Grã – Bretanha, 7 de Junho de 2005
(Tradução abreviada)

Aleksándr Solzhenitsyn, escritor – dissidente no passado, deu entrevista para dizer que a Rússia poderá brevemente viver uma revolução igual à Revolução Laranja na Ucrânia.
O Nobél da Literatura de 86 anos, que ficou preso 10 anos no GULAG soviético, disse na entrevista, que na Rússia não acontece nenhum retrocesso democrático, pois o país nunca chegou a ser verdadeiramente democrático.
“Que tipo da democracia é ameaçado? O poder do povo? Nos não temos este poder”, - disse escritor à canal “Rossiya”.
“Não temos nada, que pode assemelhar-se à Democracia. Tentamos criar a democracia sem a autonomia administrativa local. Primeiro, temos que criar o sistema, que permita às pessoas dirigir os seus próprios destinos”.
Solzhenitsyn também disse, que a Duma Estatal (a câmara baixa do parlamento russo), onde a maioria apoia Kremlin, comporta-se como “bêbada” e que se o Governo não mudar o curso, país poderão viver movimentações, parecidas com a Revolução Laranja na Ucrânia em 2004.
Solzhenitsyn é considerado na Rússia, como uma das poucas autoridades independentes, morais e políticas, mas ele é muitas vezes criticado no Ocidente pelo seu nacionalismo e ortodoxia religiosa. Nas suas entrevistas anteriores, ele atacava o Putin, por este não conseguir dominar os oligarcas, duas dezenas de empresários, que no processo das privatizações nos anos 90, adquiriram as empresas estatais às preços muitíssimo baixos.
No Ocidente, o Putin é criticado exactamente por ataque estatal contra um dos oligarcas do petróleo, Mikhail Khodorkovskiy. No mês passado, Khodorkovskiy foi condenado à nove anos de prisão, no processo que muitos consideram ensaiado pelo Kremlin, para castigar um potencial concorrente e apoderar-se da sua propriedade.
O Vice – Procurador Geral da Rússia, Vladimir Kolesnikov, disse à televisão NTV, que poderão surgir os novos parecidos processos jurídicos. “Posso dizer que o processo de Khodorkovskiy não será último”.

Vida e obra de Solzhenitsyn:

Autor do “Um dia de vida de Ivan Denisovich”, conto sobre o dia–a–dia do GULAG, traduzido para 35 línguas, incluindo português;
1970 – o Prémio Nobél da Literatura;
1974 – deportado da URSS, pela publicação no Ocidente do livro “Arquipélago GULAG”, sobre o sistema dos campos de concentração soviéticos;
1994 – retorno definitivo à Rússia.

terça-feira, junho 21, 2005

Chornobyl será seguro em 2009

Um novo sarcófago, será construído para cobrir a estacão atómica ucraniana de Chornobyl em 2009. Essa informação foi dada aos jornalistas, pelo Ministro das Situações de Emergência, David Zhvania, durante a linha telefónica directa do Gabinete dos Ministros da Ucrânia.
Na conferência dos países – doadores, que tive lugar em Londres, no passado dia 12 de Maio de 2005, foi decidido encaminhar mais de 200 milhões de USD para a realização do projecto “Abrigo”. As novas entradas do dinheiro, vão complementar os anteriores 600 milhões de Euros, que foram prometidos pelos 28 países doadores.
O novo sarcófago, pretende transformar o IV destruído reactor do Chornobyl, em um objecto ecologicamente seguro. Neste momento, o Governo da Ucrânia, inicia os procedimentos para um concurso internacional, logo depois começarão os trabalhos preparatórios junto às ruínas do reactor. Consoante os planos, o novo sarcófago terá a forma de um arco de 100 metros de altura e 250 metros de extensão. Arco será montado num lugar seguro, e depois puxado para cobrir o sarcófago antigo e aquilo que resta do reactor. O novo sarcófago contentará vários elementos, que permitirão fazer trabalhos profilácticos dentro da estrutura no futuro, como desmontar os elementos instáveis do antigo sarcófago, ou retirar o seu conteúdo radioactivo. O custo total do projecto ultrapassa um bilião de dólares.
Alem disso, o novo Governo da Ucrânia, ordenou a operadora de todas as estacões de energia atómica ucranianas – NAEK “Energoatom”, de depositar nos cofres do Estado, no período entre Maio à Dezembro de 2005, a quantia de 283, 4 milhões de UAH (cerca de 56 milhões de USD), para financiar os trabalhos de manutenção do Chornobyl.
A estacão atómica de Chornobyl, é a única estacão atómica ucraniana que não faz parte do quadro de NAEK “Energoatom”. Por iniciativa do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (EBBR), Chornobyl deixou de pertencer à esta empresa e transformou-se numa EE especializada.

Fonte: Primeiro Canal Nacional da TV da Ucrânia.

P.S. Alguém pode achar, que EE – Empresa Estatal é uma coisa do passado socialista, mas achamos que existem alguns sectores na economia, onde o controlo Estatal não apenas é desejável, mas indispensável. Chornobyl é um caso destes.

terça-feira, junho 07, 2005

Shevchenko na Internet

Ano 1998. Os primeiros jogos da Liga dos Campeões, envolvendo Dynamo Kyiv, são transmitidos pala Televisão de Moçambique (TVM). Confusão é total: o clube é apelidado de Dínamo de Kiév, o treinador é Lobavovski e o melhor jogador é Shevachko, ou Chivechenko, ou sabe-se lá o que é ...
Desde aí, passaram sete longos anos: o grande treinador Valeriy LOBANOVSKIY já não esta connosco, no Dynámo, a maioria dos jogadores são estrangeiros e Andriy Shevchenko joga na Itália. Por cá, quase tudo está na mesma: a TVM continua chamar Andriy de Andrey e Dynamo continua ser obrigatoriamente "de Kiév".

A biografia de Andriy Shevchenko

Andriy Shevchenko nasceu no bairro de Dvirkivshchyna em Kyiv, em 29 de Setembro de 1976.
Durante a sua carreira, Andriy marcou 94 golos pelo Dynamo Kyiv. Em 1999, Shevchenko juntou-se ao AC Milan, onde já fiz cinco épocas. Shevchenko tornou-se primeiro não italiano, a entrar no topo dos marcadores da liga, na sua primeira época, com 24 golos em 32 partidas.
Shevchenko já marcou 100 golos na Série A de futebol italiano. Na época passada ele tornou-se outra vez o jogador do topo na Série A com 24 golos, ajudando deste modo o AC Milan na Liga dos Campeões, na Copa da Itália e na Super Copa Europeia em 2003, alem de ganhar o titulo da Liga italiana em 2004. O Presidente do AC Milan, Silvio Berlusconi, prorrogou o contracto com Andriy, até 2009.
Em Dezembro de 2004, Andriy Shevchenko foi nomeado o Futebolista europeu do ano, ganhando o Ballon d'Or. Andriy tornou-se o terceiro ucraniano, ganhar este prémio prestigiante, depois de Oleh Blockhin em 1975 e Ihor Belanov em 1986 (ambos com Dynamo Kyiv).
A receber o prémio, Andriy Shevchenko disse:
- Sou ucraniano e tenho orgulho disso. Gostaria de agradecer todas as pessoas que me ajudaram ganhar o prémio e também dedicar o Ballon d’Or ao povo da Ucrânia.
Navegando na Internet, é possível encontrar muitos recursos, dedicados ao Andriy Shevchenko. Não podendo mencionar todos, apresentaremos alguns...

http://www.shevchenko.com.ar - The Online Andriy Shevchenko fansite
É feito em inglês e tem fotos do Andriy e textos curtos, bastante simples, 3 estrelas.

http://shevchenko.ukrainiansoccer.net/ - Unofficial site of Andriy Shevchenko
É feito em inglês, muito interactivo, 5 estrelas.

http://www.shevagol.it/ - The new fan site of Andriy Shevchenko
É feito em italiano e tem muita coisa sobre o Andriy, 5 estrelas.
Site oferece o seu próprio newsletter: Clicca qui, possui o NUOVO FORUM e recebe sugestões pelo endereço: picciste@libero.it

http://andriy.now.nu/ - Lista dos fãs de Andriy Shevchenko

http://digilander.libero.it/ashevchenko/ - Sito dedicato al grande campione ucraino del Milan
É feito em italiano pela Erica Montoli e tem fotos do Andriy, entrevistas, textos, wall papers e notícias. Desde Julho de 2001 o seu site já recebeu 141.419 visitas! Ao nosso ver, um óptimo olhar feminino sobre o Andriy.
A opinião, que os italianos tem sobre o Andriy, talvez pode ser sistematizada pela carta do Mikelone di Agrigento, que deixou essa mensagem no fórum do site em 17 de Outubro de 2004:
1- è l'attaccante più forte al mondo
2- vince le partite da solo
3- è il simbolo di una nazione ferita nel cuore Chernobyl 86 e con sheva rivede la luce
4- al contrario di altri presunti fuoriclasse sheva è un uomo
5- Figo, Owen, Rivaldo, Ronaldo, Nedved sono stati buoni per poco più di una stagione... Sheva è da un lustro che fa il fenomeno
6- è il mio messia me lo porterò sino alla tomba con me
7- è il più forte attaccante della storia milanista
Correio da Erica: erika.montoli@fastwebnet.it

http://www.godesktop.com/athletes/andriy_shevchenko/ - página de multimedia, dedicada ao Andriy Shevchenko
É feito em inglês, 3 estrelas.
Site possui as temas para desktop, wallpapers, screensavers, desenhos, fotos e poesia sobre o Andriy Shevchenko

http://en.wikipedia.org/wiki/Andriy_Shevchenko - Wikipedia sobre Andriy Shevchenko (em inglês)

http://www.uefa.com/Competitions/UCL/Players/Player=24271/ - página de UEFA, dedicada ao Andriy Shevchenko

http://www.shevchenko.com/ - Fórum dedicado aos dois Shevchenkos mais famosos na história da Ucrânia: ao futebolista ucraniano Andriy Shevchenko, máximo goleador de AC Milan e ao maior poeta de todos os tempos da literatura ucraniana Taras Shevchenko, alem da Sociedade Científica Shevchenko de Nova York, a Universidade Nacional de Kyiv Taras Shevchenko e ao Museu de Taras Shevchenko em Kaniv, Ucrânia.
O fórum é moderado em: italiano, inglês, espanhol, alemão e francês.
Correio do Fórum: info@shevchenko.com

Embora o Andriy Shevchenko, é sem duvida o génio do futebol, para os ucranianos, ele é, e sempre será o Shevchenko número dois. Pois no início do século XVIII, nasceu o Taras H. Shevchenko, poeta mais importante da história de literatura ucraniana, o Camões ucraniano e símbolo da nação.

Biografia de Taras H. Shevchenko

Nasceu aos 25 de Fevereiro [9 de Março do novo estilo] de 1814, na aldeia de Moryntsi, Ucrânia, faleceu aos 26 de Fevereiro [10 de Março de 1861], em St. Petersburgo, Rússia.
Maior poeta ucraniano de todos os tempos, Taras H. Shevchenko nasceu cervo, e foi libertado da escravatura apenas em 1838, quando era estudante na Academia de Belos Artes em St. Petersburgo.
Sua primeira colectânea poética, intitulada "Kobzar" (o trovador popular ucraniano), escrita em 1840, era inspirada no romantismo ucraniano e expressava o seu interesse histórico pelo folclore popular. Mas muito rapidamente, Taras Shevchenko afastou-se de simples nostalgia da vida dos cossacos ucranianos e começou retractar a realidade muito mais sombria da Ucrânia, como em poema "Haydamacas" (1841).
Shevchenko fazia parte da Irmandade de Cirilo e Metodio, organização clandestina, que foi proscrita pela policia czarista em 1847. Pela escrita das poemas: "Sonho", "Cáucaso" e "Apostolo", que satirizavam a opressão russa na Ucrânia, o regime monárquico russo, puniu o Shevchenko com o serviço militar obrigatório no Kasaquistão. Proibido por decreto RÉGIO de escrever e pintar, Shevchenko escreveu várias poemas clandestinamente.
Depois de ser libertado em 1857, Shevchenko continuou com a sua obra, que falava de problemática moral e histórica: ucraniana e universal.
Fonte: http://www.univ.kiev.ua/eng/geninf/html - Biografia curta de Taras Shevchenko

http://www.univ.kiev.ua/ - a página da Universidade Nacional de Kyiv Taras Shevchenko
Feita em ucraniano, inglês e russo

http://www.brama.com/ntsa/ - Sociedade Científica Shevchenko
A mais antiga sociedade científica ucraniana, fundada na Diáspora e com escritórios principais em Nova Iorque (EUA). Possui o arquivo e livraria próprios, com largos milhares de volumes, dedicados à história de Ucrânia, como por exemplo a questão de Grande Fome (fome artificial, criada pelo Kremlin em 1932 – 1933, que ceifou a vida de entre 5 à 7 milhões de camponeses ucranianos). Questão, até agora quase desconhecida em Portugal.

http://www.shevchenko.org/famine/ - Arquivo da Sociedade, dedicado à Grande Fome (Famine, em inglês)

http://www.infoukes.com/shevchenkomuseum/ - The Taras H. Shevchenko Museum
Museu de Taras Shevchenko, fundado pela Associação de Ucranianos Unidos de Canada, no intuito de popularizar a obra do Bardo da Ucrânia e também para contribuir para que os canadianos, conhecessem melhor a realidade da Ucrânia.
O museu é aberto para o público de Segunda à Sexta, das 10h00 até 13h00, na Quarta e Quinta de 13h00 até 16h00. A entrada é livre!
Endereço:1614 Bloor Street WestToronto, Ontario, M6P 1A7, Canada M6P 1A7Tel: 416-534-8662; Fax: 416-535-1063
e-mail: shevchenkomuseum@bellnet.ca
http://www.infoukes.com/shevchenkomuseum/poetry.htm - poesia de Taras Shevchenko (traduzida em inglês)
http://www.infoukes.com/shevchenkomuseum/art.htm - os seus desenhos, pinturas e litografias

http://www.encyclopediaofukraine.com/pages/S/H/ShevchenkoTaras.htm - Biografia e bibliografia completa de Taras Shevchenko em inglês

http://www.shevchenkofoundation.com/ - Fundação Canadiano – Ucraniana Taras Shevchenko, fundada para promover a cultura ucraniana em Canada.
Endereço:
456 Main Street, Winnipeg Manitoba,
MB R3B 1S6, Canada
Tel: (204) 944 9128; (204) 944-9128; Fax (204) 944 9135Directora Executiva: Sra. Lesia Szwaluk
Email: lesia@shevchenkofoundation.com ou lesia@shevchenkofoundation.ca

http://www.artukraine.com/taras/poltava.htm - Monumentos de Taras Shevchenko no Mundo, de Washington D.C. até as repúblicas da Ásia Central.

Cozinha ucraniana, inspirada no Eurovisão

Recentemente, este blogue, recebeu uma receita extraordinariamente inovadora, cunhada pelo nosso grande amigo, jovem escritor da Ucrânia, Lubko Deresh.
Para criar essa sopa, ele próprio, inspirou-se na vitoria da Helena Paparizou no Eurovisão, e foi bastante bem aceite no seu lar de ocasião - a comunidade de escritores europeus, que neste momento fisicamente habita na Polónia e virtualmente em:
http://www.europish.art.pl/
Escritores e escritoras comeram (a sopa) e adoraram 8))))))))
Sopa grega, (re)criada pelo Lubko Deresh, prepara-se de seguinte maneira:
Cenoura, batata, aipo e couve de Bruxelas cortam-se em bocados pequenos e iguais e metem-se na caçarola. Tem que haver muitos legumes, eles são o ingrediente principal desta sopa. O nível de água, deverá estar um terço acima de nível dos legumes.
Depois, adicionam-se as verduras, uma colher de sopa da pasta de tomate, 100 ml de óleo da cozinha e coze-se tudo isso no lume brando durante uma hora.
Bon apetit!

A Televisão de Moçambique (TVM) deve estar louca

Com muito desagrado assistimos no sábado, dia 4 de Junho, a proposta de sétima arte, que a TVM preparou para os telespectadores. Filme chamava-se, salvo erro, "Slash" e retractava apenas(!) uma comunidade rural nos EUA, onde matar as pessoas com uma foice, ara aparentemente a coisa mais costumeira.
Pode ser que TVM queria criticar os costumes norte – americanos? Não sabemos ao certo, apenas podemos constatar que o responsável pela programação da TVM, anda muitíssimo distraído, ultimamente. Ora, vejamos o tipo de filmes, que TVM mostrou nas últimas semanas: "Resident Evil", o dito "Slash", "Frankenstein". Monstros, mortes, violência gratuita, assassinatos... Depois gente admira-se com a onda de criminalidade, que inundou o pais em geral e a cidade – capital em particular.
Alguém nos pode acusar de moralistas, não importa! Aqui fica a nossa questão: com tantos filmes bons, feitos quer em Hollywood, quer nas outras paragens, porque a TVM opta por nos mostrar o autentico lixo de categoria B, sabendo de antemão, que a violência na tela, tem a tendência (comprovada cientificamente), por provocar a violência na vida real?

Um piscar de esperança

Sentimo-nos obrigados a agradecer os responsáveis da Lei e ordem deste país, por colocar no terreno a Força PIR, que desloca-se de motociclos pelas ruas e avenidas de Maputo. De facto, qualquer pessoa, sente-se mais segura, quando vê aqueles motas passar por si. Apenas queremos solicitar maior presença policial, agentes a paisana, carros de patrulha e outro tipo de rondas, feitas pela cidade fora. A onda de criminalidade tem que ser travada e os responsáveis pelas mortes devem responder perante a justiça, pagando pelos crimes que cometeram. Com muita urgência!