quarta-feira, julho 28, 2010

Kyiv celebra o baptismo da Ucrânia

Hoje o centro de Kyiv foi preenchido pelos fiéis e simpatizantes da Igreja Ortodoxa Ucraniana – Patriarcado de Kyiv (UPC – KP), que organizou a procissão religiosa para celebrar o Dia de Baptismo da Ucrânia.

Não oficialmente, essa procissão foi encarada na Ucrânia como a mostra do apoio popular à Igreja Ortodoxa não dependente do Moscovo, principalmente no momento em que o novo poder em Kyiv se rebaixa perante o patriarcado moscovite, quando os popes moscovites ameaçam liquidar a UPC-KP. Neste caso é legítimo dizer que não se trata unicamente da UPC-KP, nem do seu Patriarca Filaret, mas em jogo está a ideia da Independência espiritual e política da Ucrânia.

O novo poder ucraniano emitiu a proibição judicial de organização de acções de protesto ou apoio à visita do patriarca moscovite nos dias 25 – 28 de Julho em Kyiv. Por isso a Igreja Ortodoxa Ucraniana – Patriarcado de Kyiv esclareceu aos seus fiéis e apoiantes, que a procissão religiosa por si organizada, não é abrangida por essa proibição judicial e como tal, não pode ser impedida. Além disso, a procissão religiosa organizada pela UPC-KP em nenhum momento se cruzava com as acções organizados em Kyiv pelos popes moscovites.

Mas para que nada perturbe a procissão religiosa, UPC-KP pediu aos seus apoiantes que se abstenham em usar a simbólica partidária, optando pelos símbolos religiosos, nacionais ou de luta de libertação nacional.

O casal dos blogueiros ucranianos conhecidos como ledilid visitou a procissão da UPC-KP e contou que recebeu muitas emoções positivas: avenida Volodymyrska foi totalmente preenchida pela gente, desde o monumento do Taras Shevchenko até a Praça Mykhaylivska (entre 15 à 20 mil pessoas). Pela última vez, as manifestações populares desta envergadura se viram em Kyiv durante a Revolução Laranja.

Muita gente chegou das províncias, embora existem vários sinais do que a polícia de trânsito barrava a saída de autocarros da Ucrânia Ocidental, da Odessa, de Kharkiv.

Yanukovich, Igreja Ortodoxa Russa e Ciril (ex agente da KGB Mikhaylov) receberam uma resposta à altura. A quantidade de pessoas que participou na procissão de UPC-KP foi várias vezes superior ao número de gentes que atenderam as acções moscovitas.

A acção tornou-se bastante política, as pessoas discutiam a situação política no país, cantavam as músicas patrióticas Chervona Kalyna, Tam, pid L’vivskym Zamkom, entre outros.
.
p.s.

As “feministas” do grupo FEMEN acabaram por criar a performance à sua altura, as raparigas imitaram a crucifixão do Cristo, isto é, mostrando ao Ciril os seus peitos nus. Não se sabe se o patriarca moscovita gostou…

Fotos & Vídeo

1 comentário:

Beto disse...

Hm! Interessante! Exatamente em qual dos seus blogs? Ops, achei.
Da minha parte, eu garanto que foi retirado de um sítio de notícias, mas sua dica é importante.
Créditos para as fotos!