domingo, fevereiro 11, 2018

Síria: exército americano matou entre 215 à 640 mercenários russos

Na Síria, em resultado do ataque coordenado do exército e marinha dos EUA, foram abatidos, no mínimo, mais de 200 mercenários russos pertencentes à EMP grupo Vagner. Um grande número dos mercenários foi ferido com bastante gravidade, por isso o número dos mortos pode aumentar.
Um dos primeiros a informar sobre as baixas entre os mercenários foi advogado russo Mark Feygin na sua página de Twitter. Os dados do Feygin, que cita uma fonte próxima da EMP “Grupo Vagner” aponta a morte dos 215 mercenários russos, na tentativa do ataque as posições curdas das FDS/SDF no dia 7 de fevereiro de 2018.
Mark Feygin: "número de mortos chegou às 215 pessoas"
Quatro dias após o ataque sobre o sucedido começaram falar os próprios mercenários: duas ou três companhias do “grupo Vagner” foram alvo do exército americano, o grupo russo, como uma unidade militar inteira, deixou de existir.

Os mercenários russos contam que foram alvo de fogo americano por 4 horas consecutivas, sem receber nenhum auxílio sírio ou russo. Além dos mortos, o grupo também tive diversos feridos com ferimentos pesadíssimos (perda de membros superiores ou inferiores) que, caso consigam sobreviver, dificilmente voltarão à uma vida minimamente activa.

Como escreve o grupo OSINT russo Conflict Intelligence Team (CIT), que se dedica ao acompanhamento da guerra na Síria e Ucrânia, a verdadeira razão do combate do dia 7 de fevereiro foi a tentativa russa de estabelecer o controlo sobre um dos campos de petróleo na delta do rio Eufrates.

No Twitter do blogueiro ucraniano Necro Mancer foram publicados quatro testemunhos gravados de mercenários russos, reveladas, em primeira mão, pela página WarGonzo, pertencente ao propagandista russo Semen Pegov:

Voz № 2: Lá estão 177 mortos – apenas na 5ª companhia. “Segunda” praticamente saiu ilesa, a “quinta” foi toda destruída. Eles foram triturados pela aviação, “helis”, artilharia, foram atacados pelos curdos [junto] com os americanos. Os moços simplesmente não tiveram chances.

Voz № 3: ... no total são 215 “carga 200” [mortos], algo assim, foram triturados assim, de forma brutal... Marcaram [a sua posição]... Nosso geralmente esperavam o que? Que [outros] vão fugir? Que ficam assustados? Car@lho é que sabe... Enfim, é essa m@rda ai... Uns, em geral nem podem ser identificados, há pessoas [mortas] sem fim.

Voz № 4: ... dos equipamentos, dizem, sobrou um tanque e um [blindado] BRDM,  todos os outros “berdeemes”, todos os outros tanques foram aniquilados nos primeiros minutos da batalha de uma só vez.

As perdas do “grupo Vagner”: até 644 homens

O terrorista russo e ex-operativo do FSB Igor “Strelkov” Girkin, conhecido pelo seu papel da liderança russo-terrorista no leste da Ucrânia escreve que da Síria chegam as informações sobre as perdas absolutamente brutais de mercenários russos (até 644 mortos), os números avançados são de tal maneira altos que próprio Girkin não está seguro se são realistas:
Igor Girkin: "até 644 mortos"
“Neste momento está claramente sabido que mortos e feridos são centenas. Várias centenas. [...] Último número (“não final” como disseram) é simplesmente “além do horizonte”. Alegadamente até 600 (644 se for preciso - e são apenas os mortos). Muita gente até hoje está listada como desaparecida... Também é impossível excluir a possibilidade de tais perdas, uma vez que os combates continuam e área avançada, que foi capturada [pelas forças russas] na margem oriental do Eufrates e que foi controlada pelo pessoal do “Vagner” [...] agora está praticamente eliminada com o apoio da artilharia e da aviação dos EUA. Além da coluna mencionada, possivelmente foram atingidas outras unidades. Cada vez [aparece] mais informação que “por tabela” juntamente com mercenários foi atingida uma unidade de operações especiais (SSO) do Ministério da Defesa [russo]”.

Os primeiros mercenários e terroristas russos confirmados
Dados da passagem do terrorista pelo leste da Ucrânia
O primeiro mercenário russo, cuja morte foi confirmada em resultado dos combates do dia 7 de fevereiro de 2018 em Deir ez-Zor. O terrorista e membro da EMP “Vagner”, da cidade russa de Ryazan – Alexey Ladygin “Khmuri” (31.05.1991 ou 1992). Participou na ocupação da Crimeia e nas atividades terroristas no leste da Ucrânia.
Terrorista russo no leste da Ucrânia, liqidado em Síria em 7/02/2018
Terrorista russo no leste da Ucrânia, liqidado em Síria em 7/02/2018
Terrorista russo no leste da Ucrânia, liquidado em 7/02/2018 na Síria
Terrorista russo no leste da Ucrânia, liquidado em 7/02/2018 na Síria

1 comentário:

Anónimo disse...

Olha, esse seria o momento perfeito pro exercito ucraniano ocupar Donbass. Todos os mercenarios e terroristas russos estao na Siria. Daria pro exercito ucraniano entrar facil la.