segunda-feira, setembro 25, 2017

Liquidado na Síria o general russo com passagem pela Ucrânia

O tenente-general russo Veleriy Asapov foi morto, nos arredores da cidade síria Deir ez-Zor, em resultado do fogo de morteiros, efetuado pelas forças anti-Assad. A notícia já foi confirmada pelo Ministério da Defesa da federação russa.
General Asapov era conhecido como "cú com os bigodes"
As diversas agências russas de informação divulgaram a notícia de que general Asapov morreu em resultado do ataque de morteiros, efetuado pelos militantes do Daesh/EI, contra o posto de comando do exército sírio. De acordo com as fontes russas o general “ajudava” (isso é comandava) a operação de assalto à cidade de Deir ez-Zor e “foi mortalmente ferido por uma mina”.

A morte do general foi avançada pela conta no Instagram mos_gibdd (polícia de trânsito de Moscovo), que escreveu o seguinte: “o comandante do 5º Exército [russo] general Asapov Valeriy Georgievich. Morreu em combate nos arredores de Deir ez-Zor ontem 23.09.2017 [atingido] pela mina de morteiro no posto de comando. [...] Estava apenas ele e o tradutor. Ninguém mais. Todos falam sobre a informação privilegiada [algumas fontes não oficiais sírias e russas acusam de traição a milícia pró-Assad, conhecida como Irmãos/Brigada Qatarji/Katerji].
Outras fontes (a informação em progresso e por confirmar), informam que juntamente com o general foram liquidados mais dois coronéis russos. Sabe-se também que o tenente-general Asapov foi condecorado, ao título póstumo “com uma alta condecoração estatal”, informa agência noticiosa russa RIAN.

Terrorista no leste da Ucrânia

General Asapov (01.01.1966), é militar de carreira do exército russo, era veterano da 1ª e da 2ª guerras na Chechénia, o ferimento em combate em 1995, resultou no seu coxear permanente.

Desde março de 2016 general Asapov desempenhava as funções do “comandante do 1º corpo do exército” da dita “dnr”. A Direção-geral de Inteligência Militar da Ucrânia (GUR) tinha apurado que o general Asapov usava em Donetsk a identidade falsa de Primakov Valeriy Georgievich. O seu último posto militar na Rússia era comandante do 68º corpo do exército da Circunscrição militar oriental das FA da federação russa (cidade de Yuzhno-Sakhalinsk). Em março de 2016 ele foi visto à efetuar as visitas de controlo às unidades ilegais armadas nas localidades de Kozatske e Markyne na região de Donetsk no leste da Ucrânia. Participou no planeamento dos combates contra o exército ucraniano no certo de Ilovaysk, pessoalmente protegia um dos terroristas da “1ª onda”, Igor Bezler, conhecido pela sua alcunha “Beç” (Demónio).

Perdas militares russas em Síria em agosto-setembro de 2017
Um dos mercenários russos mortos, fotos publicada em 30/08/2017
Devido aos equipamentos fora do padrão das FA russas, pensa-se que pertenciam à EMP "Vagner" 
Em setembro, o Ministério da Defesa russo confirmou a morte de dois militares russos na província síria de Deir ez-Zor. De acordo com relatórios não confirmados, no último mês, 2 outros militares e 4 mercenários russos foram mortos na Síria.

A publicação regional russa, New Irkutsk, escreveu em 20 de setembro sobre a morte do militar do exército russo Vladimir Tarasyuk. Pela informação da sua irmã mais nova, Olga Dolmatova, soldado sob contrato, Vladimir morreu numa emboscada às 10h30 de manha no dia 16 de setembro. Além do Vladimir, segundo Olga, as vítimas da emboscada foram um coronel e um general, todos abatidos.

Na entrevista à estação da TV local (informação entretanto apagada), Olga contou que o seu irmão foi ferido na cabeça e morreu devido à perda de sangue, o resgate aéreo não chegou ao tempo, dado a forte resistência oferecida pelos militantes locais. Sobre ucraniano étnico Tarasyuk (sepultado na cidade de Bratsk em 20 de setembro corrente), se sabe que na década de 2000 ele fez duas comissões de guerra na Chechénia, aparentemente nunca participou nas atividades terroristas no leste da Ucrânia.

O grupo OSINT russo, Conflict Intelligence Team (CIT), informou em 22 de setembro sobre a morte na Síria do capitão do GRU Kurban G. Kasumov. Sua morte aparentemente se deu no dia 2 de agosto de 2017 e não foi confirmada pelo Ministério da Defesa russo.
De acordo com uma página russa na rede social VK (informação também já apagada), Kasumov nasceu em 1986 na região de Rostov e servia na 3ª Brigada especial da guarda (unidade militar № 21208), aquartelada na cidade russa de Togliatti. Aparentemente Kasumov morreu, atingido pelo fogo de morteiros da resistência islâmica nos arredores de Ithrya e Salamieh, ao sudeste da Raqqa. Sabe-se que anteriormente capitão Kasumov participou nos combates pelo controlo da cidade de Palmira, condecorado com a medalha russa “Pela libertação da Palmira”, a imagem dessa cidade foi gravada na parte traseira da sua pedra tumular.

Além disso, a CIT também avançou os dados sobre as mortes de quatro outros mercenários russos, possivelmente pertencentes à EMP “Vagner”:
– Alexey Gora (26), nascido em Novosibirsk, morreu em 1 de setembro em um ataque de morteiro;
– Stepan Borshchev (27), nascido em Novokuznetsk, de acordo com parentes, morto em 1 de setembro em um ataque de drone do Daesh/EI;
– Valery Dzyuba, nascido em Oremburgo, anteriormente pertencente à unidade de resposta rápida da polícia de Oremburgo (SOBR), morto em 2 de setembro;
– Vladimir Kabunin (38), nascido em Oremburgo, data da morte, atualmente é desconhecida.

Sem comentários: