sexta-feira, maio 05, 2017

O “general” do exército falsário: a II G.M. como religião

Na manif do último 1º de maio, na cidade russa de Ecaterimburgo, foi largamente notada a presença de uma curiosa personagem local, também conhecida como “general do exército falsário”. O matulão de 46 anos, chamado “tio Misha” é um freak urbano com amor desmesurado às “medalhas” da II G.M.
Uma espécie de árvore do Natal patrioteira, o homem colecciona as réplicas das medalhas soviéticas, é frequentador de todos os grandes eventos da cidade, onde aparece com uma de esmola. O tio Misha (Mikhail) é surdo-mudo, a lenda urbana reza que é filho de um ex-piloto soviético, os seus pais já morreram, então o homem se tornou pedinte pela necessidade de sobreviver.
Os repórteres russos acharam o tio Misha numa feira agrícola local, onde este estava pedindo a esmola. Com uma caixa pendurada ao pescoço, decorada com um crucifixo, as imagens de São Nicolau e da Virgem. Nas mãos uma pasta gasta com as suas fotos de Moscovo, onde ele desfilou na Praça Vermelha com a farda fantasiosa de um “veterano”. Tudo misturado com as fotos e slogans patrioteiros: “Moscovo – o Kremlin!”; “Boas festas, árvore de Natal”; e o principal “Estamos orgulhosos da Grande Vitória! Lembramos! Reverenciamos!!!” O casaco, à militar, com as medalhas, igual da foto, é escondido sob um paletó.
Bairro de Ecaterimburgo, onde tio Misha vive com o seu sobrinho
O sobrinho do tio Misha conta a sua história real. Os seus pais realmente já faleceram, mas nunca tiveram qualquer relação com aviação. Misha é surdo-mudo desde a nascença e costumava ganhar sustento, vendendo as sementes torradas de girassol. Mas nos últimos 10 anos, a sua única ocupação é se vestir ao rigor logo pela manhã e ir recolher as esmolas – não porque realmente necessita deste dinheiro, mas porque gosta – é o seu passatempo. Misha adora tudo que brilha, tal como os corvos. Todo o dinheiro recolhido ele gasta com as suas “medalhas”, simples réplicas, nenhuma delas é real.
O tio Misha na manif de 1 de maio de 1/05/2017
Quer o sobrinho, quer todas as pessoas que conhecem o tio Misha, asseguram que ele é um simplório inofensivo (fonte). Blogueiro: possivelmente o homem ficou enlouquecido no atual clima ideológico do seu país, que transformou as memórias coletivas de uma das maiores tragédias da Humanidade, a II G.M., numa espécie de seita que professa a ideologia totalitária, sempre ávida pelas vítimas frescas desta fé neopagã.
O mesmo tio Misha na manif de 9 de maio em 9/05/2015, ainda tinha poucas medalhas