domingo, janeiro 31, 2016

Batalha de Kruty: eles lutaram para nos vencermos!

No dia 29 de janeiro de 1918, na estação ferroviária de Kruty, à 130 km ao nordeste de Kyiv (atual oblast de Chernihiv), ocorreu a batalha sangrenta entre as forças ucranianas, compostas pelos estudantes de Kyiv e pelos cossacos livres (cerca de 400 no total), contra a tropa invasora russa de cerca de 4000 bolcheviques sob o comando do Mikhail Muraviov.

Naquele dia vários estudantes ucranianos morreram na batalha, cerca de 30 outros foram aprisionados, torturados e fuzilados. Hoje, os ucranianos recordam com respeito e orgulho aqueles heróis, heróis que assemelham-se aos atuais, mesmíssimos na sua dignidade, força, coragem e amor à Pátria.
Isto aconteceu em Kruty. O inimigo era poderoso e cruel. Nós éramos algumas centenas, eles eram alguns milhares. Nós não sabíamos o que nos esperava pela frente, mas nós sabíamos que lutávamos pela Ucrânia. E acreditávamos que apenas nossas forças seríam suficientes. Nós fomos para a batalha naquele dia, para que vocês lutem hoje, para que vocês lutem e vençam!


Para honrar o sacrifício dos jovens, o artista ucraniano Andriy Pryymachenko criou a série dos cartazes patrióticos, chamada “Não com as palavras”, que pretende honrar aqueles que não com as palavras, mas com ações defenderam e defendem Ucrânia. E mesmo quamdo caiam na sua defesa, possibilitam às outras gerações prosseguir com a mesma missão: lutar para vencer!

RIP aos voluntários do “Aydar”
Os voluntários do batalhão “Aydar”, Ruslan Y. Boburov “Nimets” (Alemão), natural da cidade de Cherkassy e Vadym V. Zherebylo “DJ”, da cidade de Chernihiv, morreram hoje, quando você lia estas linhas. Pedimos menos palavras e mais ações, procure saber ainda hoje o que você pode fazer de concreto para que Ucrânia ganha essa guerra.

quarta-feira, janeiro 20, 2016

O flash-mob “Ucrânia Unida”

No dia 22 de janeiro, dia da Soberania da Ucrânia, é organizado o flash-mob internacional, chamado “Ucrânia Unida”, ideia que partiu do Congresso Mundial das Organizações Juvenis da Ucrânia (SKUMO) e da ONG ucraniana “Pátria Jovem”.

O que e como fazer (faça um click nessa imagem e a imprima):
– Façam um banner А4 com slogan «Ucrânia Unida» ou «United Ukraine».
– Façam a foto com o banner, foto deve ser horizontal e cada imagem ter apenas 1 pessoa.
– Publiquem a foto na página oficial do evento ou na sua página nas redes sociais, sem esquecer-se de usar o hashtag #UnitedUkraine.
– Mandem a foto de boa qualidade ao e-mail (myroslavh@gmail.com) até o fim do dia 21 de janeiro de 2016.
Pavlo Sadokha, Coimbra, Portugal
No dia 22 de janeiro na praça de Sofia em Kyiv serão mostrados as fotos dos participantes do flash-mob das diversas cidades da Ucrânia e da Diáspora ucraniana. O primeiro participante da ação é o Metropolita da Igreja Ortodoxa da Ucrânia Patriarcado de Kyiv, sua Beatitude Filaret.

Bónus: vídeo da ação semelhante em 2015: https://youtu.be/8Qnkm3nKTo8
Mais informação e contatos dos organizadores:
Sr. Miroslav Hochak,
myroslavh@gmail.com , cel. +381 64 1610432 (WhatsApp)
skype: myroslavh, twitter: @myroslavh

sexta-feira, janeiro 15, 2016

Os figurões do “Occupy Wall Street”

Caleb Maupin com a bandeira norte-coreana nas ruas da Nova Iorque
Após o esgotamento da sua “causa cortante”, os figurões e gurus do movimento “occupy Wall Street” nos EUA não desapareceram, eles continuam à andarem por ai, desdobrando-se entre as aparições na Russia Today (RT) e na iraniana Press TV, ora combatendo a “judiaria maçónica” ora batalhando pela “América Soviética”.

Um destes figurões é Caleb Maupin, na imprensa russa é apresentado como “jornalista e politólogo”, o canal propagandista russo RT o vê e apresenta como “jornalista radical e analista político” que “trabalha para promover a ideologia revolucionária, e apoiar todos aqueles que lutam contra o sistema global do imperialismo capitalista monopolista”.
Caleb promovendo o jornal comunista de inspiração maoista e estalinista em NY
Caleb foi um dos criadores e ideólogos por de traz do movimento contestatário do “occupy Wall Street”, mas o rapaz não para, ora percorre as ruas da Nova Iorque com a bandeira da Correia do Norte, ora exalta a criação da “América Soviética”.

Em geral, analisando as páginas e os fóruns dos ativistas do movimento “occupy”, é possível verificar uma coisa curiosa, desde que a “malta jovem” se esqueceu do seu tema principal, a enorme duvida dos créditos estudantis (“Governo, eu gastei 100.000 USD para estudar a gestão feminista e agora estou desempregado, faça alguma coisa!”), os seus temas principais agora são as teorias de conspiração e a “judiaria maçónica”.

Num dos fóruns está sendo discutido, por exemplo, o tema de momento: “será verdade que Mark Zuckerberg é neto do Rockefeller e o seu nome real é Yakov Greenberg?” Embora não se percebe o problema dos anti-semitas de esquerda: será que lhes faz alguma diferença se Mark é Greenberg ou Zuckerberg?
Membro da "juventude vermelha" nova-iorquina
No fim do dia, este tipo dos ativistas são altamente apreciados quer pela RT, quer pela Press TV. O que faz os à correrem entre estas duas estações, nos intervalos da sua participação nas conferências internacionais da luta anti-semita, digo “anti-sionista”. Talvez porque a luta “anti-sionista” paga-se, mesmo com as viagens “all inclusive” ao Teerão e o esquerdismo habitual, ativismo social e “somos 99%” nem por isso (fonte & fotos). 


Esquerdista inútil do ano
A categoria do idiota esquerdista inútil do ano é sem dúvida foi ganha pelo jovem americano Matthew Todd Miller (1989) que em abril de 2014 veio à Coreia do Norte, onde rasgou o seu visto turístico e exigiu às autoridades comunistas lhe concederem o asilo político, apresentando-se como “o hacker envolvido com a Wikileaks”. Os norte-coreanos fizeram lhe a vontade, o prendendo e condenando aos 6 anos de “trabalhos de reeducação” pela espionagem e “atos hostis”... Após cumprir 8 meses da sua pena, o nosso esquerdista foi libertado e deportado aos EUA, onde eventualmente poderá continuar criando “América soviética” e militar em outras ações de género, afinal é um dos tais “99%” da esquerda Ballantine´s.

sexta-feira, janeiro 01, 2016

As vitórias ucranianas em 2015

Não há como desmentir, o ano 2015 foi muitíssimo duro e difícil para com Ucrânia, principalmente devido à invasão híbrida russa, que leva o país à perder os seus melhores filhos e filhas, apenas para garantir a sobrevivência da Nação.
Mas não só de problemas e coisas tristes foi feito o ano de 2015, Ucrânia teve diversas vitórias importantes, algumas das quais vamos listar aqui. Mas antes de tudo, queremos lembrar uma data relevante: no dia 1 de janeiro de 2016 celebra-se o 107º aniversário do nascimento do Stepan Bandera, político nacionalista ucraniano, herói da Ucrânia (desde 20 de janeiro de 2010) e líder da ala revolucionária da Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN).
E agora, o Ministério da Vitória apresenta a sua lista das vitórias que Ucrânia alcançou em 2015 (música do grupo Rock-H e do Vasyl Popadyuk).
https://www.youtube.com/watch?v=z5qLJdVtC3s

12.02.2015: lançado o sistema online de compras estatais “Prozoro” (Transparente)
05.03.2015: aprovada a lei de descomunização da Ucrânia
25.03.2015: os primeiros “Humvees” americanos chegam à Ucrânia
10.04.2015: o pugilista ucraniano Oleksandr Usyk vence o seu oponente russo
08.04.2015: em Yavoriv decorreram os exercícios militares Ucrânia-NATO
16.04.2015: a fábrica “Antonov” apresentou o seu novo An-178
27.05.2015: FC “Dnipro” pela 1ª vez na final da Liga Europa
04.07.2015: o juramento solene em Kyiv da nova polícia ucraniana
17.09.2015: Ucrânia começa a fabricação de espingarda / fuzil de assalto “Malyuk”
07.10.2015: o filme documental “Maydan” é distinguido num festival internacional
15.10.2015: Ucrânia é eleita como membro não permanente do CS da ONU
29.10.2015: no edifício do Parlamento da Ucrânia a estrela soviética finalmente substituída pelo tryzub (tridente) ucraniano
08.11.2015: o pugilista ucraniano Vasyl Lomachenko defende o seu título do campeão na versão WBO
17.11.2015: Ucrânia está no Euro-2016!
02.12.2015: o filme documental ucraniano “Winter on Fire” entra na short-list do prémio Óscar
03.12.2015: o míssil francês, usando os motores ucranianos, é lançado com sucesso
18.12.2015: a EU aprova o relatório ucraniano de liberalização dos vistos