quarta-feira, setembro 30, 2015

Os bombardeamentos russos na Síria: resultados sangrentos

Após receber a permissão formal do Conselho da Federação, a aviação russa começou os seus primeiros bombardeamentos na Síria, alvejando as localidades de Ltamenah, Zaafrana e Talbeseh. As fontes sírias afirmam que estas localidades estão livres da presença das forças do Estado Islâmico.
A Rádio Free Syria divulgou as fotos tiradas na aldeia de Zafarana (região de Homs), um dos alvos da aviação russa no dia 30 de setembro. No YouTube também foram publicados diversos vídeos que mostram os resultados dos bombardeamentos russos da Síria.
https://www.youtube.com/watch?v=iNZkylN9Vic
https://www.youtube.com/watch?v=VKQCqIt4a6k
https://www.youtube.com/watch?v=iW_PfDoR-60

O nosso blogue não consegue confirmar a veracidade das imagens e vídeos que não são aconselháveis para a visualização por pessoas mais sensíveis (mais fotos e mais vídeos). 

terça-feira, setembro 29, 2015

O terrorista russo emplacado

A primeira placa memorial em homenagem do terrorista e assassino russo, “defensor da novoróssia”, foi aberta na miserável aldeia russa na região depressiva de Altai, com as ruas de terra batida, os muros de madeira por pintar e o casebre por arranjar.

A aldeia natal do terrorista morto, Ivan Korolkov (1989), é composta por uma dúzia de casotas, a sua própria choupana é uma T1 com uma cozinha minúscula, onde sobreviviam Ivan, a sua mãe, a sua esposa, ora viúva e o filho Kirill de 4 anos.
A cara absolutamente linda e aberta ao mundo do menino e a fuça meio-bêbada da mãe   
O mercenário russo, após cumprir o SMO, nas palavras da sua mãe “foi iluminado pela ideia de estudar numa escola militar”. Impossível, dado ao ensino secundário incompleto. Mas surgiu uma alternativa: matar os ucranianos na Ucrânia, “libertando” o país dos seus próprios habitantes.
A cara "feliz" da mãe: uma latinha fantasma pelo filho morto
Pela primeira vez o mercenário veio à Ucrânia em agosto – setembro de 2014 (a grande ofensiva do exército russo para não permitir a libertação de Donetsk e Luhansk). O blindado russo T-72, cuja tripulação era composta pelo comandante “Demon” (Demónio), artilheiro “Bison” (Bisonte) e condutor – mecânico Ivan Korolkov, participou nos ataques contra o aeroporto de Luhansk. A justiça chegou ao mercenário no dia 28 de janeiro de 2015, no combate pela colina 309, nos arredores da aldeia de Sanzharivka, na região de Debaltseve. O blindado russo foi aniquilado com um míssil antitanque teleguiado (outros dados apontam, como a razão, o obus implantado pelos sapadores ucranianos).
Os estragos do blindado são mais compatíveis com ação de um obus 
No vídeo que se segue tudo é perfeito. A rua quebrada, mergulhada na lama, um casebre, mais parecida como celeiro para o gado, as madeiras, em forma de passagem, colocadas no chão para não pisar a lama, a escada torta e podre, cautelosamente usada pelo amigo do terrorista para remover o pano desclassificado da placa comemorativa, o palestrante que discursa no portão, as faces dos presentes e até o pão na bandeja. Aqui não é necessária nenhuma “tendenciosa propaganda ucraniana” para mostrar tão claramente a intensa bestialidade dos ocupantes russos que fizeram milhares de quilómetros de Altai à Ucrânia para assaltar os supermercados e torturar e matar os cidadãos ucranianos.

Em vez de alcatroar a sua rua, pintar o seu próprio muro, arranjar o quintal e construir uma casa melhor para si e para a família, um russo semianalfabeto do interior esquecido por Deus e as autoridades veio libertar Ucrânia da civilização. Mais, muito provavelmente, a culpa, por um “nacionalista banderista” ucraniano médio possuir o celeiro de gado melhor do que a casa do “herói” falecido, recairá sobre Obama e a “junta Ucraniana”, escreve o blogueiro Frankensstein.

Blogueiro: o discursante, que assinala o ódio que o malogrado terrorista sentia contra os “banderistas” (leia-se, contra os ucranianos), não menciona a palavra “novoróssia” uma única vez... Ou seja, pelo menos 8 terroristas russos da região de Altai morreram na Ucrânia pelo algo que deixou de existir, mesmo nos discursos dos seus comparsas.
https://www.youtube.com/watch?v=t8xQO1-VvE4

Made in Ucrânia: pistola automática Vulkan-M “Malyuk”

Ucrânia apresenta a sua nova pistola automática Vulkan-M “Malyuk”, o desenvolvimento do projetoVepr(2003) eVulkan(2010). “Malyuk” é mais leve e possui o recuo da coronha mais suave em relação ao AK e é mais barato do que “Tavor TAR-21” / “Fort 221”.
A pistola automática “Malyuk” foi pensada como o projeto de modernização das soviéticas AKM e AK-74, mas após as mudanças construtivas, a arma ucraniana tornou-se uma construção original.

Vulkan-M “Malyuk” é construído no esquema “bullpup” o que permite montar na arma diversos dispositivos ópticos e mecânicos adicionais – mira, pegas, bipé, silenciador, visão noturna ou termovisor.
O design da pistola automática é adequado tanto para os destros, quando aos canhotos, permitindo uma fácil e rápida troca de carregadores. Além disso, a durabilidade do cano de arma é superior em dobro à durabilidade do cano do AK, através da utilização optimizada da energia dos gases de pólvora e do sistema de convecção de remoção do calor.
Vulkan-M "Malyuk" com pega táctia, termovisor, silenciador e mira laser
Além disso, Vulkan-M “Malyuk” possui um recuo automático menor do que AK e é possível manobra-lo com uma só mão, destravando a trava de segurança, disparar, mudando os carregadores e recarragando a arma.
https://www.youtube.com/watch?v=TOr5KiXKQto
O fabrico de variante militar da arma em breve será iniciada na Fábrica de Krasyliv (Kyiv),  a variante civil será fabricada na Corporação industrial Electron de Lviv.
https://www.youtube.com/watch?v=NFec2mxaeBc
Calibre: 5,45 mm
Munição: 5,45 х 39 mm / 1974
Peso: 3,2 kg (sem carragador)
Cumprimento total: 702 mm
Cumprimento do cano: 415 mm
Taxa de fogo: 650-700 disparos por minuto
Alcance efetivo: 1000 metros
Carregadores: 10 cartuchos (de AKS-74UB), 10 cartuchos (de AKS-74U), 30 cartuchos (de AK-74), 45 cartuchos (de RPK-74)

segunda-feira, setembro 28, 2015

Ucrânia: os ataques invisíveis

Um vídeo bem feito do YouTube, chamado “Ukraine: The Unseen Attacks”, mostrando a profundidade e amplitude das operações secretas russas dentro do país e contra Ucrânia.

Ao contrário da propaganda russa sobre a “junta sangrenta”, o vídeo mostra as fraquezas ocidentais e ucranianas. Isto é verdadeiro em comparação com a propaganda pró-russa e russa. O único defeito do vídeo é a pouca atenção dada ao retratar a profundidade e amplitude de recursos russos usados na guerra de informação contra Ucrânia. Este vídeo mostra apenas as pontas do iceberg da máquina russa de propaganda, simplesmente uma das mais poderosas do mundo. Vale a pena assistir o vídeo todo, mas aqueles de vocês que estão interessados em apenas os aspectos a guerra de informação, podem “saltar” aos 13´29´´.

Os combates no leste do país passaram à caracterizar Ucrânia. Mas a luta da Ucrânia pela sobrevivência e autodeterminação, livre de governos corruptos e influência russa está travada em muitas outras frentes. Desde a defesa do espaço cibernético até a defesa interna, reunir as suas forças para dizer a verdade – Ucrânia enfrenta desafios que podem determinar a sua própria sobrevivência.

Fonte:

https://www.youtube.com/watch?v=0WNQ7W-D6Wc
Ucranianos na ONU
A delegação ucraniana abandonou o plenário da Assembleia-geral da ONU, em protesto contra o discurso do presidente russo. Os ucranianos também mostraram publicamente a bandeira da Ucrânia retirada do cerco de Ilovaysk, onde em resultado da agressão direta do exército russo morreram várias centenas dos militares ucranianos das FAU e das unidades voluntárias. 

sábado, setembro 26, 2015

A nova polícia da nova Ucrânia: Kharkiv

No dia 26 de setembro, à partir das 22h00 (hora de Kyiv), a cidade ucraniana de Kharkiv contará com a nova polícia de patrulha composta por 100 unidades móveis e 50 à pé que diariamente irão garantir a segurança pública da cidade.
Como escreveu o ministro do Interior, Arsen Avakov no seu Facebook:
Estou muito contente! Uma grande etapa do trabalho foi feita e ... estamos apenas no início do caminho!
O juramento solene dos novos patrulheiros decorreu na praça de Liberdade de Kharkiv, uma das maiores praças da Europa. Kharkiv é a terceira cidade ucraniana que conta com a nova polícia, após Kyiv e Lviv.
Um dos novos patrulheiros tem a altura de 2,2 metros (na foto em baixo) e será o polícia mais alto da Ucrânia.

Ver o momento do juramento solene da polícia no YouTube:

Ucraniana é capa da Playboy sul-africana

Em agosto de 2011 a modelo ucraniana Yevgeniya Diordiychuk foi a “Cyber Moça do Mês” e em Agosto de 2012 a capa da Playboy sul-africana. Veja o seu shot fotográfico completo: http://tiny.cc/dchhgx
Receba o Newsletter da diva ucraniana: https://tinyletter.com/YevgeniyaDiordiychuk

sexta-feira, setembro 25, 2015

Ucrânia no realismo militar do Rado Javor

O pintor, desenhador e designer eslovaco Rado Javor carateriza o seu estilo visual como “realismo mágico”, isso é, quando o artista participa na criação dos mundos virtuais, como no caso do jogo “Warhammer 40000”.

No entanto, a atual guerra pela libertação da Ucrânia, está muito presente nos quadros do pintor que vive uma viva pacata, algures entre a sua Eslováquia natal e a Grã-Bretanha. Os textos que se seguem são da autoria do pintor, o nosso blogue apenas é responsável pela sua tradução ao português e (pelas pequenas notas explicativas colocadas em itálico entre as parênteses curvas).
Sunflower fields (Os campos do girassol)

As cenas reais do verão passado no leste da Ucrânia. Exército ucraniano tentando, à todo o custo, parar a ofensiva russa. O jovem comandante de tanque (tenente Artem Abramovych) deliberadamente embateu o seu blindado (T-64BV) contra o russo T-72B, à fim de salvar os militares em retirada. Ambos os tanques foram destruídos e este jovem perdeu a sua vida, mais tarde ele foi condecorado com a medalha “Herói da Ucrânia”.
Os restos reais daqueles dois blindados...
Neste quadro eu estava tentando capturar o local e a hora exata (daquele momento).
Spring In Ukraine (Primavera na Ucrânia)

Apenas uma pequena imagem inspirada pelos acontecimentos nesta terra severamente tentada. Eu gostaria de mostrar o meu apoio ao seu bravo povo. Na primavera, as unidades aerotransportadas ucranianas começaram a empurrar os russos.
Tudo é feito no photoshop, em cerca de 5 noites, após o estudo das fotos do (blindado ligeiro) BMD-2.
Summer in Ukraine (Verão na Ucrânia)

Isso deve acontecer no final de agosto, a libertação final do leste e do Donetsk. Espero que um dia lenin e seu seguidor doente putin vão cair para o bem e as pessoas poderão finalmente desfrutar da pacífica tarde de verão.
Winter In Ukraine (Inverno na Ucrânia)

Desejo um Feliz Natal à todas as pessoas na Ucrânia, especialmente na parte da frente leste no Aeroporto de Donetsk. Eu não posso imaginar o quão difícil deve ser ficar no frio à espera do inimigo.

Ver mais obras do autor: http://radojavor.deviantart.com

RIP Artem Abramovych
O 1º tenente Artem V. Abramovych nasceu em 21 de abril de 1990 na cidade de Zhytomyr. Era comandante do pelotão da 30ª Brigada mecanizada das FAU. Morreu em combate contra as unidades do exército russo em 12 de setembro de 2014 nos arredores da aldeia de Stepanivka, na região de Donetsk.

Os pormenores do combate: no dia 12 de setembro de 2014 o blindado ucraniano T-64 do 1º tenente Artem Abramovych (comandante), sargento Y. Antonyuk (condutor mecânico) e soldado P. Barbukh (artilheiro) entrou em combate contra os dois blindados russos T-72. O blindado ucraniano abalroou o tanque inimigo. Os restos mortais da tripulação ucraniana foram achados em outubro de 2014 pelos voluntários da missão “Evacuação-2000” (Tulipa Negra) e levadas à cidade de Zaporizhia, onde foram identificados através dos testes da DNA.

Naquele combate as forças ucranianas aniquilaram ambos os T-72 russos e perderam T-64 e blindado ligeiro BMP-2 (morreram alferes D. Rudenko e sargento B. Lutsko). O 1º tenente Artem V. Abramovych foi sepultado no cemitério militar “Smolianske” da sua cidade natal, Zhytomyr (fonte).

quinta-feira, setembro 24, 2015

Made in Ucrânia: termovisores “Archer”

Nos dias 22 à 25 de setembro em Kyiv decorreu a Feira Internacional de Armamento e Segurança, o nosso blogue irá apresentar os diversos expositores ucranianos presentes no evento.
A empresa ucraniana “Archer” fabrica os termovisores e é bem conhecida desde o início da Operação Antiterrorista (OAT) no leste da Ucrânia. Neste momento a empresa fornece os seus equipamentos às forças de segurança da Ucrânia, além de exportar os seus produtos.
Recentemente, o Serviço de Guarda-fronteira adquiriu 360 binóculos com a termovisão, outros 50 foram comprados pela Guarda Nacional da Ucrânia. “Archer” começou produzir os termovisores montados nos capacetes dos combatentes, possui a sua própria linha de termovisores para as diversas armas ligeiras. A empresa também produz os termovisores para as espingardas de precisão de grandes calibres, nomeadamente para a modificação moderna do fuzil soviético antitanque (1941) de calibre 14,5 mm. Hoje, esta dupla funciona com o sucesso na zona de OAT, escreve o jornalista Yuriy Butusov.

“Hospitaleiros” no YouTube

A jovem paramédica Yana Zinkevych (20), a chefe do Serviço Médico do Corpo Voluntário Ucraniano do Setor da Direita (DUK PS), conhecido como “Hospitaleiros”, informa que a sua unidade já possui um canal específico no YouTube (junto ao vídeo estão publicados os requisitos bancários que permitem apoiar financeiramente os voluntários desta unidade).
  
https://www.youtube.com/watch?v=hpA-Zy1HNAI

quarta-feira, setembro 23, 2015

O terrorista italiano detido na Ucrânia

No dia 16 de setembro, na localidade de Novotashkivske (região de Luhansk) foi detido cidadão italiano Francesco “Bárbaro” Estatico (13.01.1993, passaporte YA8335453), um napolitano de 22 anos que pretendia se juntar aos terroristas de “Dombass”.
O terrorista não falava nem ucraniano, nem russo (e nem sabia escrever corretamente o nome da região que pretende defender), por isso só com ajuda da interpretação de alguém ligado à missão da OSCE foi possível saber que transalpino estava na região, alegadamente à procura da sua “mamã” (Sic!).
Uma das fotos no seu celular
Os representantes da administração civil e militar da região, conjuntamente com os militares do batalhão “Luhansk-1” entregaram o terrorista ao Serviço da guarda-fronteira da Ucrânia, estes o encaminharam ao SBU, informou Serhiy Shakun.
O mapa impresso da região no poder do terrorista
Embora o próprio terrorista nas redes sociais faz se passar e as fontes separatistas o apresentam como militar e “pára-quedista do 186° regimento “Folgore” de Siena, o Estado-Maior general italiano afirma categoricamente:
Em relação à notícia [...] sobre o Sr. Francesco Estatico de 22 anos, recentemente detido no território ucraniano, deve notar-se que essa pessoa nunca serviu no exército italiano” (fonte).
Francesco explica a razão da sua vinda à Ucrânia
Por isso, além de ser aprendiz de terrorista, o nosso Francesco é culpado do crime de usurpação de farda, pois costuma aparecer nas redes sociais indevidamente vestido com o fardamento do exército italiano (La Repubblica).

O caso brasileiro

Recentemente, a imprensa brasileira noticiou o caso do cidadão brasileiro, Luiz Davi da Silva, de 21 anos, natural e morador em Cascavel, no estado do Paraná que em 2015 durante três meses participou nas atividades terroristas da organização separatista “república popular de Donetsk”, sediada no leste da Ucrânia e conhecida pela sigla de “dnr”.
Na conversa com os jornalistas o terrorista afirma que “se envolveu em inúmeros combates na Ucrânia” e diz que “muitas vezes correu risco de morte”. O terrorista também diz que passou pelo Exército brasileiro e que no futuro pretende ingressar na Polícia Militar do Paraná, pois “desde pequeno sempre gostei do militarismo, sempre pensei em ser policial militar”, mas se o seu desejo não der certo está disposto “para fazer vida na Rússia”.
Fruto de endoutrinação “euroasiana” do neofascista russo Aleksandr Dugin, o terrorista brasileiro se apresenta como “nacionalista e regionalista”, que pretende matar os ucranianos, de forma indiscriminada, pelo simples facto da sua existência como a nação (o texto na foto em baixo).  
Dado que Luiz Davi da Silva representa o perigo claro e evidente quer à sociedade brasileira, quer contribui para a degradação das relações amistosas entre Brasil e Ucrânia, solicitamos aos nossos leitores brasileiros que o denunciam ao PM do Paraná, à PF e à ABIN.
Blogueiro

Ultimamente, o nosso blogue recebe as dicas sobre os cidadãos brasileiros que pretendem se juntar ou já passaram pelas fileiras terroristas no leste da Ucrânia (o seu número é minúsculo e não ultrapassa uma dúzia de criminosos). Agradecemos essas dicas, todas elas são encaminhadas às autoridades competentes em ambos os países. E sim, o camarada Sérgio L., estalinista à trabalhar numa multinacional de consultoria, recebeu a nossa devida atenção.

Mas também não é preciso exagerar, se algum nerd de “quatro olhos” coloca na cabeça o shapka com foice e martelo para conseguir jogar melhor o seu Call of Duty, isso não é uma razão suficientemente válida para o denunciar à nada. Ou seja, primeiro, o cidadão deve chegar à idade de poder sair do Brasil sem autorização dos pais, depois logo se verá ;-) 

“Vivos e mortos”: os retratos de voluntários do batalhão “Santa Maria”

O fotógrafo ucraniano Andriy Kotliarchuk está obcecado pela fotografia. Ele fala sobre isso de uma maneira muito emocional, com paixão. Ele fala fortemente sobre a diminuição da qualidade da arte fotográfica: “Nem tudo que é pintado em óleo pode ser chamado de arte. O mesmo pode ser dito da fotografia”. Entre outras coisas, Andriy é fascinado pela fotografia militar, estava interessado nisso antes do início da guerra no Donbas. “Eu tenho uma grande coleção de fotografias antigas, incluindo fotografias originais de Segunda Guerra Mundial, soviéticas e alemãs. Algumas dessas imagens me impressionam com o seu valor artístico, tinham o espírito dos retratos da Idade Média.
Voluntária "Vidma" (Bruxa)
Voluntária "Nika"
Andriy encontrou os seus modelos no batalhão “Santa Maria”, na cidade de Mariupol. O nome do batalhão veio de uma lenda popular local que reza que a Mariupol deve o seu nome à Virgem Maria. No entanto, não foi apenas por isso. As mulheres e os homens do batalhão “Santa Maria” são crentes, o batalhão faz as liturgias duas vezes por semana. “O pessoal do batalhão “Santa Maria” é incrivelmente diferente!”, diz Andriy. “Fiquei surpreso que muitos deles são cidadãos da federação russa. Há também muita gente loca, de Donbas”.
 A exposição do fotógrafo na Geórgia
Ler mais:
O capelão do batalhão, padre Volodymyr
Alex "Borgese" Serediuk, perdeu o dedo mindinho no cerco de Ilovaysk 
Na sua reportagem, publicada em abril de 2015, o canal Al Jazeera chamou o batalhão “Santa Maria” de “Talibã cristão” e de “cruzados na linha da frente”. Os jornalistas citam as alegadas palavras de um dos líderes do batalhão, Alex “Borgese” Serediuk: “as pessoas imaginam um cristão como um abade pacífico, alguém sentado em torno de velas acesas. Nós não somos apenas uma organização de fé. Somos a espada em vez da cruz. Nós iremos lutar até a queda do Kremlin”.

Ler mais:

Blogueiro
Os blindados da "Santa Maria"
Atualmente, o batalhão “Santa Maria” é uma unidade do Ministério do Interior da Ucrânia, que agrupa de 150 à 200 pessoas e participa na defesa ativa da cidade de Artemivsk.