sábado, janeiro 10, 2015

Xadrez, KGB e reféns soviéticos

O xadrez, tal como balé e cosmos, era uma das poucas áreas onde a União Soviética realmente estava melhor do que o mundo ocidental. Para manter a status quo, o jogo merecia uma atenção especial, quer do Bureau Político do PCUS, quer do seu braço armado, o KGB...

No verão – outono de 1978, nas Filipinas, decorria o jogo de apuramento do campeão de mundo de xadrez entre o campeão da URSS Anatoly Karpov e o vencedor do torneio dos pretendentes, Viktor Korchnoi, que em 1976 se tornou “o não retornado” à URSS.

Os funcionários soviéticos organizavam uma espécie de espectáculo paralelo para desmoralizar Korchnoi, criando os escândalos, recorrendo aos “psicólogos”, Karpov se recusou à apertar a mão do Korchnoi, entre outras coisas.

Mas o principal “trunfo” soviético eram os reféns: a família do Korchnoi à quem não foi permitida à saída da URSS. O seu filho, Igor Kortchnoi, foi expulso da universidade por causa da “traição” do pai, como consequência, o jovem foi imediatamente chamado à servir no exército soviético. Durante algum tempo ele estive em fuga na clandestinidade, mas quando se apresentou voluntariamente no comissariado militar, foi detido e acabou por ser sentenciado à 2,5 anos de prisão efetiva pela “recusa de cumprir o SMO”.

O método de coerção usado pelo KGB era muito simples. Cada vez quando Korchnoi ganhava uma partida (aconteceu 4 vezes), o seu filho era colocado no campo de concentração no isolamento solitário e o pai “traidor” era informado sobre a situação do filho-refém. Korchnoi, obviamente, ficava desesperado com o destino do Igor, teoricamente e efetivamente, isso diminuía a sua concentração, o que, por sua vez, deveria facilitar a vitória “limpa” do campeão soviético.

Apenas 6 anos mais tarde a família do Korchnoi consegui se livrar do “paraíso socialista”. A decisão de permitir a sua saída foi tomada diretamente pelo Secretariado do Comité Central do PCUS, com a participação especial do chefe do KGB, Yuri Andropov (Fonte).

Dado que alguns trolls pró-soviéticos tentam desmentir estes factos, o próprio Igor Kortchnoi, estabelece a cronologia dos acontecimentos:
  
1978: foi chamado para servir no exército, exactamente nas vésperas da partida em Baguio;
1979: foi condenado à prisão nas vésperas do sorteio do ciclo dos pretendentes;
1980: foi enviado ao campo de concentração de Sverdlovsk nas vésperas da partida dos quartos do final com Tigran Petrosian;
1980: no campo de concentração recebeu uma série de reprimendas antes do semifinal com Lev Polugaevsky;
1981: no campo de concentração foi encarcerado no isolamento punitivo, exatamente antes da partida do Merano.

Bónus
Leiam sobre e assistam o filme Pawn Sacrifice que narra a história do chamado “Jogo do Século”, disputa de xadrez entre o americano Bobby Fisher (ator Tobey Maguaire) e soviético Boris Spassky (Liev Schreiber).

Ler em português:

Quer ajudar derrotar o huylo?
SOS Exército; Feather Phoenix; Tetiana Rychkova, Angry iDar

1 comentário:

Anónimo disse...

Ola! Como esta! Feliz Ano Novo! Nao sei como se diz em ucraniano, mas espero que pra vc, pra nos e pra ucrania o ano de 2015 seja bom. Nos informe, por favor, sobre quaisquer noticias de desovietizacao da ucrania ao longo deste ano. Seu blog e uma das poucas fontes seguras e nao "contaminadas" de noticias sobre ucrania. Obrigado por nos fornecer informacao confiavel sem ser falsificada pelo Kremlin. Sabemos que informacoes vindas da Russia, ainda mais sobre a questao ucraniana atual, sao extremamente duvidosas e manipuladas. Mas isso nunca foi novidade desde os tempos de uniao sovietica sempre foi assim. O pior e que aqui no Brasil as iformacoes sobre os eventos que ocorrem na Ucrania sao escassas e mesmo a midia nao sendo simpatica ao Kremlin acaba reproduzindo noticias fabricadas pelos russos, elas se alimentam de agencias de noticias da Russia. Nao da pra confiar!