segunda-feira, junho 30, 2014

Ucrânia exige: mais e melhor OAT!


Toda a Ucrânia está atentíssima ao discurso do presidente Petró Poroshenko à nação, marcado primeiramente para 22h00 (21h00 em Maputo) e depois agendado para mais tarde. Toda a gente pede o fim imediato do césar-fogo unilateral e a continuação da Operação anti-terrorista (OAT) até o fim da rebelião armada e do terrorismo russo.

As notícias que vão chegando da frente leste são à condizer:

Escreve o blogueiro Rodion Shovkoshytnyi:

Na aldeia de Metallist (arredores de Luhansk) agora mesmo (22h20), começaram os combates. Os terroristas atacam de pé. Os ucranianos já tem 3 feridos.

Outro blogueiro, Sergey Galicin, cita uma moradora de Donetsk:
Os nossos (ucranianos) no aeroporto de Donetsk receberam os equipamentos pesados, lançados de para-quedas e o armamento. Cabrões tentaram abater o avião e (destruir) a ajuda. Falharam. A carga foi recebida.
UPD: As informações que circulam na net ucraniana apontam para o fim do césar-fogo e pela continuação da OAT, eventualmente para a proclamação de estado de sítio nas províncias de Donetsk e Luhansk...

Mitologia soviética da II G.M. em exposição pública

A mitologia soviética sobre o início da guerra nazi-soviética está assenta em dois pontos principais: “agressão pérfida inesperada” e “superioridade técnica absoluta dos nazis”. Os documentos de arquivo, divulgados pela secreta ucraniana SBU, questionam ambos.

Não havia uma «agressão pérfida inesperada», pois ainda em maio de 1941, Nikita Khruschov, na altura o Secretário do Comité Central do Partido Comunista da Ucrânia, foi informado sobre a concentração das tropas alemãs perto da fronteira soviética. Os dados são dos documentos do NKVD anteriormente desconhecidos, tornados públicos pelo Arquivo Estatal do SBU.

Os arquivos oferecem o acesso livre à coleção documental “À véspera da guerra germano-soviética nos documentos do NKVD”. Os documentos dizem respeito as atividades operacionais e de espionagem do NKVD nas vésperas da guerra: os relatórios dos militares e dos agentes dos serviços secretos sobre o estado geral do exército alemão antes da guerra; as movimentações do Wermacht perto das fronteiras da URSS. Os materiais de interrogatório dos pilotos alemães abatidos nos primeiros dias da guerra e da espionagem aérea da Luftwaffe também foram divulgados.
Pilotos da Luftwaffe no cativeiro soviético
Entre os documentos, os pesquisadores do arquivo do SBU encontraram um relatório ao secretário do Partido Comunista da Ucrânia, Nikita Khruschov sobre a concentração das tropas alemãs perto da fronteira soviética em maio de 1941. O documento confirma que os preparativos cuidadosos da Alemanha nazi para a agressão contra a URSS não eram um segredo para a liderança soviética.

Os documentos publicados provam que a inteligência soviética não só recolheu os dados sobre as forças armadas e as políticas nazis, mas também estudou ativamente o estado e os sentimentos da Diáspora ucraniana, atividades clandestinas da Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN) na Ucrânia Ocidental, ocupada por nazis à partir de setembro de 1939, tentando implantar nessa organização os seus agentes.
Interrogatório do piloto da Luftwaffe Hans Kratz
Os documentos acima mencionados estão disponíveis para a consulta no Arquivo Estatal Setorial do SBU no seguinte endereço: cidade de Kyiv, rua Irynynska № 4, Tel. + 380 44 2558224 (de segunda à sexta-feira, das 14h00 às 17h00).

O Serviço de Imprensa do SBU:

Bônus

Uma fantástica reportagem da época da guerra fria (o jornal português "A Rua"), que ilustra ao pormenor as actividades do KGB em Portugal. Disto não falam os camaradas do PCP:
O projeto especial da TV ucraniana ICTV: "Na frente da batalha", dedicada aos para-quedistas: 
https://www.youtube.com/watch?v=dIsRdgjP-f8

domingo, junho 29, 2014

O ator do Cirque du Soleil apoia o exército ucraniano

O malabarista do mundialmente famoso Cirque du Soleil, Viktor Kee (45), nascido na Ucrânia, ofereceu 60.000 dólares ao exército ucraniano.

Através da sua fundação (http://www.help-ukraine.com), Viktor Kee (nascido como Viktor Kiktev), visitou diversas cidades norte-americanas, onde interagia com os espectadores, explicando lhes a situação da Ucrânia e os seus problemas atuais.

Viktor nasceu na cidade de Pryluky, começou atuar no coletivo infantil circense “Uday”; em 1989 se inscreveu na Academia de Arte Circense e do Palco de Kyiv, imigrando mais tarde para a França, fixando-se definitivamente nos EUA (Florida).

O “Porsche” do Viktor é pintado aos cores da Ucrânia e possui o endereço Web da sua fundação “Неlр Ukraine” («Ajudar a Ucrânia»), cuja tarefa que o artista descreve assim: “é um esforço para consciencializar (as pessoas) e levantar fundos para ajudar e apoiar as famílias e os seus filhos, afetados pelos trágicos acontecimentos na Ucrânia e entregar apoio de pessoas ao redor do mundo aos cidadãos da Ucrânia que buscam a liberdade. Liberdade de escolha, a liberdade de (ficarem livres) da corrupção, a liberdade de eleger as pessoas para representar o seu governo.”
Viktor Kee
Como explica a mãe do Viktor, Larysa Tsybulska, que também vive nos EUA, tudo começou quando o seu filho reunia os fundos para apoiar os familiares dos que morreram na Maydan (A Centena Celestial): “Em primeiro lugar, o dinheiro foi dado às famílias dos heróis da Centena Celestial, que, em nossa opinião, necessitam mais a assistência financeira. Apesar do que isso não lhes devolverá os seus entes queridos perdidos, mas pelo menos é alguma ajuda”, informa o 5º canal da TV ucraniana.

Ucrânia destrói e captura os tanques russos

Contrabando dos tanques russos: algures em Rostov...
O Ministro do Interior da Ucrânia, Arsen Avakov informa que nos arredores de Sloviansk, durante o ataque contra o posto de controlo №1 das forças de OAT, o capitão Sidorin da Brigada especial da Guarda Nacional da Ucrânia, com um tiro certeiro do RPG abateu um tanque russos, usado pelos terroristas. Receberá uma condecoração pelo seu acto heróico.

Por sua vez, nos arredores de Artemovsk, os militares ucranianos capturaram o tanque T-64 pertencente ao exército da federação russa. O tanque foi fabricado na Ucrânia em Kharkiv em outubro de 1987 e enviado de seguida à uma das unidades militares da federação russa. Nunca foi usado na Ucrânia ou pelo exército ucraniano. Aos terroristas igualmente foi capturado um lança-chamas “Shmel” com a inscrição “Da Rússia com amor”, também trazido a Ucrânia do território russo, noticia o canal televisivo 5.ua

Glória aos heróis do batalhão “Donbas” (3)

O nosso blogue já dedicou a atenção aos heróis do batalhão da auto-defesa territorial “Donbas” (vejam Donbass e Donbas (2)), que com as armas nas mãos defendem a sua região e Ucrânia contra a invasão russa e a 5ª coluna dos separatistas locais.

No dia 23 de maio de 2014, nos arredores da aldeia Karlivka, uma unidade do batalhão “Donbas” foi emboscada pelos terroristas caucasianos do agrupamento “Vostok”. Na batalha que se segui os ucranianos perderam 5 voluntários, um deles foi o autor ativo da Wikipédia ucraniana, Oleh “Raider”.

Oleh era natural de Artemovsk, nasceu em 1978, foi programador e especialista em TI. Morava em Kyiv, não filiava em nenhuma organização ou partido político. Se registou na Wikipédia em 4 de abril de 2007, era um dos autores mais ativos do seu segmento ucraniano, efetuando cerca de 20.000 correções e escrevendo quase 1000 novos artigos.

No dia 16 de abril, Oleh escreveu no seu blogue que se alistou como voluntário no batalhão “Donbas”. Ele não tinha medo da guerra, pois considerava-se adulto não cansado da vida e por isso via o seu dever em lutar pelo futuro próprio e futuro dos mais novos. No batalhão, Oleh escolheu a mesma alcunha que usava na Wikipédia, “Raider”.
Oleh "Raider"
Durante a emboscada de Karlivka, “Raider” liquidou um terrorista, foi mortalmente atingido pelos estilhaços da granada, mas se recusou à render-se aos terroristas. Os terroristas o atingiram pelo fogo das lança-granadas. Infelizmente, Oleh “Raider” não foi sepultado até agora, os terroristas levaram o seu corpo, o queimado, afirmando de se tratar de uma vítima dos ucranianos.

Fonte:

O custo do césar-fogo unilateral (prorrogado até o dia 30.06)

A unidade especial de Kirovohrad repeliu o ataque dos terroristas conta a base militar ucraniana de Artemovsk. Os terroristas usavam um tanque fornecido pela Rússia.

“Não vós entregaremos a Ucrânia, essa é a nossa bandeira e ela ficará aqui. Por isso informem os militantes da rp de Donetsk: quem aqui se meteu com as armas, vão para o car@lho, enquanto estão vivos!”, - dizem os militares.

https://www.youtube.com/watch?v=rCVCb3-93ug 

sexta-feira, junho 27, 2014

Ucrânia: “Rádio Russo” vs “Rádio Russo”

Recentemente, os apresentadores do show matinal “Despertadores na (rádio) Russo” da estação musical ucraniana «RusRadio.ua», visitaram o 169º Centro de treino “Desna”, na província de Chernihiv. O Centro é o local da formação do 25º batalhão da defesa territorial “Rus de Kyiv” do Ministério do Interior da Ucrânia. É daqui que os voluntários partem para defender o leste do país contra a agressão terrorista russa.

Os dj, Kirill Kapustin, Serhiy Fedotov e Natália Dovlatova, com apoio do diretor da rádio, Serhiy Kuzin e da fundação “Apoia o exército da Ucrânia” (Facebook / Web), trouxeram consigo um mini-bus com os fardamentos, coletes prova-de-bala, calçado, medicamentos e diversos outros bens.
Os dj patriotas
Entre 25 de maio à 25 de junho, na rádio “Rádio Russo – Ucrânia”, decorreu a ação “Defenda o exército – este o defenderá”. De acordo com o regulamento, cada 10ª hryvnia ganha na comercialização da publicidade, foi destinada à compra daquilo que precisam os militares ucranianos, enviados para a frente da batalha no leste da Ucrânia. No decorrer da ação, foram recolhidos cerca de 250.000 de UAH (aproximadamente 22.000 USD), que fazem muita falta às forças ucranianas.

A reportagem da entrega dos bens (9 fotos e 2 vídeos):

Era um pequeno gesto, de uma rádio ucraniana que transmite a música, na sua maioria, em língua russa, em apoio do exército da Ucrânia na sua luta anti-terrorista. Toda a gente está contente? Não! A “Rádio Russa – Eurásia” (Rússia) é simplesmente veementemente contra...

Eis o que dizem os moscovitas: “A ESTAÇÃO DE RÁDIO RUSSA "RÁDIO RUSSO – EURÁSIA" CONDENA VEEMENTEMENTE AS ATIVIDADES DA “RÁDIO RUSSO – UCRÂNIA” NA RECOLHA DOS EQUIPAMENTOS PARA O EXÉRCITO NACIONAL UCRANIANO!” (assim mesmo, com todas as letras maiúsculas).

No entender da “RR – Eurásia”, as ações da estação homónima ucraniana, à quem os russos forneciam o conteúdo musical, são destinados “a incitar o conflito no território da Ucrânia, que leva à uma catástrofe humanitária”. Que por sua vez levou os russos a decidirem a “CESSAÇÃO DE QUALQUER RELAÇÕES COM A “RÁDIO RUSSO – UCRÂNIA!” (mais uma vez, a indignação russa esta expressa em todas MAIÚSCULAS).

Portanto, quando uma rádio ucraniana decide apoiar o exército do seu próprio pais, é fascismo, nazismo, catástrofe humanitária e não pode ser. Mesmo, se o apoio é em material não letal, como coletes prova-de-bala. Pelos vistos, a rádio moscovita levou como a ofensa pessoal, a tentativa de proteger os militares ucranianos contra os terroristas russos armados até os dentes. Assim os terroristas terão o trabalho redobrado na sua “obra humanitária” de matar os ucranianos que até poderá se quedar em insucesso. Já quando os mesmos terroristas russos derrubavam os aviões ou helicópteros ucranianos, a rádio moscovita, pelos vistos, achava que é bom e perfeitamente normal, apesar destes actos decorrerem no território de um país vizinho, eslavo, ortodoxo e tudo o mais. Não houve o sentimento de testemunharmos uma catástrofe humanitária ucraniana... 

quinta-feira, junho 26, 2014

Ucrânia cada vez mais na moda

Cada vez mais as coisas ucranianas entram na moda. As pessoas compram as roupas com a simbologia nacional, optam pelos criadores da moda nacionais, demonstram a sua identidade com uso de diversos acessório. A jornalista da Rádio Liberdade, Yana Palianska, foi investigar quem fabrica as roupas ucranianas e quem as compra.

O projeto NUKRAINE!

As camisas com brasão da Ucrânia, as mochilas azul-amarelas, os vestidos da noite com elementos do bordado: o aumento da auto-identificação ucraniana trouxe o aumento da procura de simbologia ucraniana. Os acontecimentos da Maydan, ocupação da Crimeia e a guerra no leste mudaram o apreciação de tudo que é ucraniano, considera Oleh Zahrebnoy, o fundador e líder do projeto «NUKRAINE!». Ele conta que a sua equipa se dedica ao criação das roupas com os símbolos ucranianos desde 2009, mas apenas nos últimos seis meses o patriotismo dita as regras da moda contemporânea.


«Se as pessoas vão fabricar coisas novas, não se ficarão presas aos mesmos símbolos, serão originais e fabricarão peças de qualidade, creio que o trend irá ficar», – diz Sr. Zahrebnoy.

Neste momento o símbolo mais popular é o brasão da Ucrânia, explica ele, mas tem a certeza: é preciso procurar por outras soluções do design, para que a simbologia ucraniana fique sempre na moda. «A estilística e cultura ucranianas são, na realidade, muito profundas. Existem diversos símbolos pouco usados até agora: salgueiro, viburnum, combinações de cores” – acrescenta Zahrebnoy.

Bordado tradicional vs moda moderna

Oksana Karavanska é uma das criadoras de moda ucranianas que desde sempre usou os motivos étnicos nas suas criações. No fim de março de 2014 ela se tornou a primeira ucraniana convidada para mostrar a sua coleção no prestigioso “The National Arts Club” em Nova Iorque. As fashionistas americanas poderiam ver de perto, por exemplo, as blusas com padrões pretos que lembravam o bordado tradicional ucraniano.

“Pessoalmente, eu não uso bordados de modo trivial, mas os incorporo, organicamente, nas roupas completamente modernas”, - acrescentou a designer.

De acordo com Oksana Karavanska, aumentou a demanda não só para os símbolos ucranianos, mas também para os criadores ucranianos. No entanto, é preciso fazer produtos de qualidade, a fim de não decepcionar os clientes que anteriormente davam a preferência às marcas estrangeiras, disse ela. “Se colocarmos a fasquia bem alta, a demanda não se reduzirá. Se começarmos a falhar, será a nossa queda. Os compradores e os consumidores de hoje são muito abertos às marcas da Ucrânia” – sublinhou Karavanska.

A música e acessórios patrióticos nos desfiles

Os criadores ucranianos expressaram a sua atitude para com os acontecimentos na Ucrânia não só com a sua posição social ativa, mas também na organização de desfiles durante a última Fashion Week ucraniana, contou a fundadora do principal evento de moda ucraniana, Iryna Danylevska.

“Não é possível dizer que o simbolismo ucraniano teve um grande impacto na própria coleção, pois os nossos criadores prepararam as coleções muito antes da Fashion Week. Mas cada designer achou necessário expressar a sua posição, principalmente usando os acessórios, um pouco de música, pormenores nas performances dessa coleção. Isso foi positivamente aclamado não apenas pelos ucranianos, mas também compreendido e encarado de forma muito boa pela imprensa estrangeira”, – disse a Sra. Danylevska.

De acordo com Oleh Zahrebny, as roupas e acessórios com símbolos patrióticos são procurados pelas pessoas à partir dos 25 anos, que se interessam pelos acontecimentos do país e querem apoiar os produtores ucranianos. No entanto, o espírito ucraniano se manifesta não só nas roupas, mas também na manicura azul e amarela, grinaldas de cabelo vermelhas ou com os penteados cossacos (uso da chupryna).
Não chateia a ucraniana!
Fonte:
http://www.radiosvoboda.org/content/article/25432533.html

O agente do FSB descoberto e detido em Kyiv

A Direção Principal de Investigação da secreta ucraniana SBU começou o procedimento criminal sob Artigo 111º do Código Criminal da Ucrânia (Traição da Pátria), contra o cidadão ucraniano que foi recrutado pelo FSB, concordando em agir contra os interesses da Ucrânia, recebendo os pagamentos monetários pelas suas ações.

O agente de 59 anos, identificado apenas como «С», é professor de uma das instituições do ensino superior de Kyiv, foi recrutado pelos FSB em 2004-2005, durante as suas viagens à federação russa. O agente adormecido, “C”, manteve desde ai os contactos com o seu “curador”, um tal «Alexander Viacheslavovich», através do telemóvel, e-mail e contactos pessoais em Moscovo.

O próprio “C” se identificava nos contatos com alcunha de “Professor”, que mais tarde mudou ao pedido do seu curador. Passou do membro ativo das organizações pró-russas na Ucrânia até as ações violentas, sempre solicitadas pelos serviços secretos russos.

Assim, nas suas próprias palavras, no início do mês de maio de 2014, «С», recebeu a ordem de efetuar o acto de sabotagem no dia 26 de maio (dia das eleições presidenciais), no sistema elétrico do edifício da Comissão Central Eleitoral da Ucrânia. Cortando o cabo ou destruindo o quadro elétrico do edifício, ambos os planos falhados por causa do forte dispositivo de segurança no local.

Mas os curadores do FSB não paravam por ai, exigindo que no dia 28 de junho (dia de Constituição da Ucrânia), “C” organize o ataque contra a embaixada da Polônia em Kyiv. O edifício deveria ser alvejado com as tochas very-light e no local deveriam ser deixados os símbolos do “Setor da Direita”, no intuito de comprometer as relações bilaterais Ucrânia-Polônia.

No decorrer do plano, “C” tinha combinado com um camarada seu que este arranjaria as pessoas certas para efetuar a ação, rapidamente abandonando o local. Pela ação, os curadores russos prometeram gratificar o “Professor” com 3.000 Euros, informa o Centro de Imprensa do SBU.

Fonte (em inglês):

O depoimento do “Professor”:
https://www.youtube.com/watch?v=wE9gzdaoQbw
Blogueiro

Escrevemos sobre essa pequena vitória rotineira do SBU apenas no intuito de mostrar o modo operacional do FSB na Ucrânia. Atualmente, o FSB despende bastante esforço para a) abalar ou prejudicar as relações amistosas entre Ucrânia e Polônia; b) pretende comprometer a direita ucraniana (“Setor da Direita” e VO Liberdade); c) pretende criar e manter o clima do “caos controlado” na Ucrânia, usando como operacionais os cidadãos ucranianos, para no caso de falhanço “lavar as mãos”.

Por isso, solicitamos os nosso leitores brasileiros de origem polonesa, pensar e refletir mais, antes de emitir as opiniões infundadas sobre possíveis futuras ações que poderão envolver Polônia ou interesses polacos na Ucrânia. Lembrem-se, uma grande máquina propagandista e de sabotagem funciona para semear a desconfiança e ódios mútuos entre as duas nações irmãs.

quarta-feira, junho 25, 2014

United Colors of Ukraine

Tryzub (brasão) da Ucrânia com uso do padrão gráfico da Crimeia
Os desenhos do projeto gráfico “Unied Colors of Ukraine” são da autoria do artista ucraniano Andrey Ermolenko, os produtos com estas imagens podem ser adquiridos aqui: Chapaev Street
Crimeia
 




Apoio da Estónia


Nos super-mercados da Estónia, os produtos fabricados na Ucrânia são marcados com as cores bem visíveis da bandeira ucraniana. Assim, sem muito barulho, nem frases caras, com apoio prático simples, os vizinhos mostram quem é o verdadeiro irmão da Ucrânia. 

Guerra ou paz?

Há quem diga mal da «ingenuidade» do presidente eleito da Ucrânia. Mas Moscovo já disse que – depois de pensar e resmungar – apoia o plano de paz.

E as auto-proclamadas repúblicas de Donetsk e Luhansk acabam de «em principio» aceitar o cessar-fogo de Poroshenko, e negociações, até dia 27, com a comissão liderada pelo ex-presidente Kuchma, já em reuniões em Donetsk.

Em Sloviansk diz-se existir um plano de desarmamento e evacuação de combatentes estrangeiros.

BTR-4E Butephal
Entretanto, não vá o diabo tecê-las, todas as unidades ucranianas da frente estão a receber os soberbos BTR-3 e 4 , de fabrico ucraniano, em vias de exportação para seis países da Ásie a Médio Oriente, escreve o jornalista português Nuno Rogeiro.

UPD
Nos arredores de Sloviansk os terroristas abateram mais um helicóptero ucraniano Mil Mi-8, nove militares, do exército e SBU, incluindo 3 pilotos, morreram em resultado deste crime. Os terroristas usaram o míssil russo SA-14. Desde início do césar-fogo, Ucrânia já perdeu 14 militares. Como boas notícias pode ser encarado o facto do que o armamento pesado das Forças Armadas da Ucrânia, nomeadamente sistemas BM-30 "Smerch" e sistemas de fogo anti-aéreo "Tunguska" são movidos na direção da fronteira.
  

segunda-feira, junho 23, 2014

Pavló Choriy: retratos da resistência ucraniana

Para que os voluntários fazem o seu trabalho?.. Para que os rapazes prestam o seu serviço no campo da batalha?.. Para que avançam e morrem?... Para que?.. Por quê?.. Perguntas retóricas.


Pavló Choriy. O seu nome apareceu nas SMS que eu recebia nas primeiras 24 horas após o combate da 79ª (Brigada aerotransportada especial). Nos reuníamos os dados, procurávamos pelos nossos, se perdemos nas letras, no hospital de Kharkiv ele foi registado como Chor(n)iy. Chorniy. Choriy. Mas agora eu memorizei este apelido para sempre, nunca esquecerei.

O estilhaço o atingiu no olho direito e este imediatamente esvaziou-se. Batalha às 4h de manha. Pavló é franco-atirador. Com uma mão ele apertava a ferida e com outra balançava a espingarda de precisão SVD e atirava. Tanto quanto podia, o carregador lá é curto. Não se conseguia recarregar. Batalha, estrondo dos rebentamentos, gritos dos feridos. Imaginaram? Noite. Atiram de todas as direções. IMAGINARAM? ESTÃO COM MEDO?

O valente BTR-4E fugia do campo da batalha tão rapidamente, tão propositadamente, que amassou seriamente a cabine do GAZ-66 dos para-quedistas, e lá estavam as pessoas. Eles ficaram encravadas. Mas a batalha! A noite! E assustador, porque a cabine poderia ser atingida com granadas à qualquer momento.

Pavló disparou todas as balas, deixou a espingarda e correu para retirar os feridos. Ele apertando o olho furado com uma mão, RETIROU quatro pessoas! Ele não desistiu, e até ao hospital estava consciente. Brincando, pedia a horilka e um cigarro. Ficava indignado, ele, um atirador, como é possível, é pá, o olho direito! E apenas já no hospital ficou inconsciente.

O presidente da Ucrânia condecorou o Pavló Choriy com a ordem “Pela Bravura” do 3º grau. Pavló usa uma prótese temporária e já existe a esperança que ele será levado à França para receber a prótese permanente nos termos super-bonificados. Nos apenas temos que tratar dos seus documentos da viagem e comprar a passagem aérea. Temos o dinheiro para isso.

E todo o resto? Estão lá os meus pára-quedistas, que ficaram na frente da batalha. E precisam de coletes prova-de-bala/comida/cigarros/fardamentos/primeiros-socorros/sacos-cama/colchões da campanha. Óculos, aqueles mesmos que protegem os olhos.

Quer ajudar?

79ª Brigada aerotransportada especial:
PayPal: shaoshao32@gmail.com (transferência aos amigos/familiares)
Fotos: https://www.facebook.com/wings.phoenix.foundation