quarta-feira, janeiro 09, 2013

Natal nos Cárpatos ucranianos



Nos Cárpatos ucranianos através da trembita, os hutsules avisavam sobre a chegada da Kolyada (as festas natalinas). Os próprios kolyadnyky se reuniam em “partidos” comandados pelo “bereza” (bétula). Kolyadky são cantadas em dialeto local, com ritmos e entonações locais. Os hutsules não adornavam a árvore de Natal, nem usavam o Didukh.

por: Halyna Dobosh

O estudioso polaco da Hutsulia, Stanisław Vincenz escrevia que Kolyada veio aos Cárpatos ucranianos com São Nicolau, quando “os restos das liberdades foram extintos nas planícies, quando as canções velhas foram pisoteadas e todos os assuntos de fé e de coração foram entregues aos governos”. E desde que os Cárpatos são altos, então aqui foram “preservadas músicas antigas, danças ancestrais, todos os costumes, tão alegres, que saltam para o céu”.

A poetisa e tradutora, Halyna Petrasonyak, conta que estas canções e estas tradições passavam de geração à geração no seio familiar. Ela recorda como esperava pelo Sviatvechir (noite de natal): desde manha se preparava a comida. Todos tinham as suas tarefas. Não era desejável comer, isso é, preparar comida sim, mas comer não. E assim o dia inteiro”.

O escritor Vasyl Karpyuk recorda que a sua tarefa era pilar os sementes da papoila: nas tardes, ou desde o almoço, se reuniam os grupos e andavam a cantar kolyadky. Nas mãos tinham as cornetas e as trembitas, tocam nelas permanentemente. É um sinal (surma). Na nossa região as cornetas tocam só nas festas do Natal”.

O pintor e artista plástico, Vasyl Korpanyuk, recorda que pela primeira vez participou nas kolyadkas aos 6 anos de idade:

Onde nasce Cristo,
Da Virgem encarnado,
Como homem da mortalha
Em Deus embrulhado.

Embora houvesse kolyadky mais lentas:

Nova alegria,
Nova alegria ao mundo revelou-se:
A Virgem, Santíssima deu à luz à um filho.

ou

Oh, se ouve, se ouve na terra da trembita,
Em toda a Ucrânia, em todo o Mundo.

Fonte:

Bónus

Kolyadky ucranianos gravados em 1947 (Mp4):

1 comentário:

Mauricio Mazur disse...

Post muito interessante sobre os grupos regionais da Ucrânia, uma terra rica em cultura e preservadora de seus costumes, esse sim um nacionalismo positivo!