terça-feira, dezembro 16, 2008

Polónia 1981 – Grécia 2008

Os paralelos históricos entre a acção dos marginais burgueses na Grécia e do proletariado operário polaco.

Neste preciso momento, quando a esquerda radical de todo o mundo (nem que seja em seus sonhos), se aquece no fogo da devastação grega, peço vós recordar a luta dos mineiros polacos, que sem poupar a sua saúde e a vida, lutaram contra a ditadura “socialista”.

Neste dia, mas 27 anos atrás, os grupos da “polícia comunitária”, começaram a “pacificação” da mina de carvão «Manifest Lipcowy».

Mineiros polacos não queimavam as lojas (durante todo o período da Revolução Laranja na Ucrânia, quando no centro de Kyiv viveu cerca de meio milhão de pessoas, não foi partida uma única vitrine), não assaltavam os jornalistas. Eles apenas exigiam que o “poder do povo” lhes garante os seus reais direitos.

Mas quer a esquerda europeia, quer a esquerda pós – soviética, não estão interessadas nestas memórias. Uns são anti – americanos por vocação, outros vêem a herança soviética como uma espécie da “vaca sagrada”. Os marginais gregos, provenientes das famílias burgueses ficam muito mais “sexy” no papel dos heróis românticos da “esquerda”, do que o proletariado “anti – soviético” polaco. Paradoxo.

Mas os monumentos do “camarada Lenin”, tão querido aos olhos das esquerdas europeias, foram derrubados, primeiramente, nas cidades operárias polacas. E isso é lógico.

Mais, ontem, no dia 15 de Dezembro de 2008, completou-se o 8º aniversário da acção “Ucrânia sem (o presidente) Kuchma”. Movimento, inicialmente, apelidado de “marginal” que terminou com a Revolução Laranja, que por sua vez abriu a Ucrânia à Europa.

Fonte:
http://polar-bird.livejournal.com/327143.html

Vídeo sobre a Polónia de 1981. Grzegorz Ciechowski / Obywatel G.C.
http://www.youtube.com/watch?v=hBIGWquFZb8

++
Jornal polaco Gazeta Vyborcza escreve sobre os carrascos da NKVD, responsáveis pelo massacre de cerca de 22.000 soldados e oficiais polacos em Katyn.

Traduzir para o português:
http://translate.google.com/translate_t#plpt

P.S.
A Câmara do Comércio da Grécia calcula que o prejuízo acende mais de 50 milhões de Euros apenas na capital, Atenas. Na cidade foram danificados pelo menos 435 lojas a bancos, 37 deles foram totalmente destruídos.

Ver fotos da Grécia:
http://alexbogd.livejournal.com/668775.html

Sem comentários: