sexta-feira, agosto 31, 2007

Serviços Secretos e Holodomor

O Serviço da Segurança da Ucrânia (SBU) abriu ao domínio público vários documentos secretos sobre o Holodomor (fome artificial orquestrado pelo Kremlin nos anos de 1932 – 33 na Ucrânia).
O Chefe do SBU, Sr. Valentyn Nalyvaychenko e os seus colaboradores prepararam a exibição – Rozsekrechena Pamyat – Memórias Descobertas. O livro com o mesmo nome foi lançado na capital ucraniana – cidade de Kyiv no dia 27 de Agosto. Este livro inclui a informação sobre os documentos que desmascaram a decisão planeada e calculada do Stalin e do seu regime em mover um genocídio contra os ucranianos.

Um memorando detalhado sobre o assunto poderá ser encontrado aqui:
http://www.sbu.gov.ua/sbu/control/uk/index

A exibição fotográfica e dos documentos poderá ser vista aqui:
http://ssu.kmu.gov.ua/sbu/control/uk/publish/category?cat_id=63245

Informação:
Congresso Mundial Ucraniano
Comité Internacional de Holodomor (IHC)
75° Aniversário do Genocídio Ucraniano de 1932 – 1933

quinta-feira, agosto 30, 2007

Moçambicano baleado pela polícia

No dia 29 de Agosto foi baleado pela Polícia de República de Moçambique (PRM) o cidadão moçambicano Joaquim G. R., de 31 anos de idade, residente no Alto Maé e trabalhador de uma empresa familiar de pesca.

Tudo aconteceu por volta das 23h00, na Avenida do Trabalho, nas imediações da empresa Entreposto. J. G. R. estava voltar para casa depois de um convívio familiar, conduzindo o seu carro particular na companhia de alguns amigos. No mesmo local um grupo de polícias estava a fazer o trabalho de fiscalização de viaturas na estrada.

A patrulha policial mandou prosseguir a viatura do J. G. R., pois as polícias se preparavam para fiscalizar um carro que estava imediatamente a sua frente. Mas passados alguns metros depois do controlo, um dos policias presentes por razões desconhecidos disparou contra a viatura do cidadão. A bala da metralhadora AKM entrou na direcção da cabeça da vítima e só a chaparia grossa do encosto do banco do condutor salvou J. G. R., que foi atingido no rosto e pescoço não pela bala, mas pelos estilhaços do vidro e metal.

Logo depois do ocorrido, as polícias aproximaram-se à viatura atingida, tratando todos os seus ocupantes com brutalidade, empurrando, insultando, ameaçando e mais grave negando a prestar qualquer assistência médica a vítima. Os protestos dos seus amigos não eram atendidos, os polícias ameaçaram balear outros ocupantes da viatura, caso eles continuassem com “reclamações”.

Ficando cerca de 40 minutos estendido na via pública, apenas cerca de 23h41 a vítima foi transportada para o Hospital Central de Maputo (HCM), onde foi submetido aos tratamentos médicos. Os elementos da PRM não deixaram nem os seus pais, nem a esposa de visita-lo, colocando um posto policial na entrada do seu quarto.

Os autores materiais do disparo abandonaram o HCM, logo apôs a chegada dos familiares da vítima ao local. Os membros da PRM foram avisados pelos colegas da corporação em termos de: “Desaparecem rápido daqui, pois os familiares já chegaram”.

Mais estranha, foi a atitude dos polícias em levar a viatura da vítima para o Comando Central da PRM, recusando-se categoricamente de entrega-la aos familiares. Mais, tarde, por volta das 13h30 do dia 30 de Agosto a viatura foi liberada do Comando Central da PRM, depois da vítima foi obrigada coercivamente a assinar uma declaração falsa na qual se declara como único responsável pelo sucedido: “passou o sinal da polícia por distracção”.

HCM deu alta ao J. G. R., o seu estado da saúde não expira maiores cuidados, aconselhado pelos familiares a denunciar a situação do abuso grave do poder por parte das forças policiais, vítima declinou para já essa proposta, receando possíveis perseguições por parte dos elementos da PRM.
Joaquim G. R. é casado, pai de um filho.

quarta-feira, agosto 29, 2007

Artesanato ucraniano na Internet

Quem gosta de artesanato ucraniano, como camisas bordadas (vyshyvanky), ovos de Páscoa pintadas (pysanky), cachimbos, pratos, caixinhas de joalharia e outros, pode comprar tudo isso via Internet, sugiro este sítio (mas podem ser outros).
Vyshyvanka Ukrainian Gifts



Manneken Pis em traje típico ucraniano

Manneken Pis (Menino a urinar) é um monumento em Bruxelas, Bélgica. É uma pequena fonte em bronze de um menino a urinar para a bacia da fonte. Nas festividades a estátua é enfeitada com diversos disfarces. O seu "guarda-roupa" conta, hoje em dia, com mais de 731 vestidos.
Recentemente, para assinalar 16° aniversário da Independência da Ucrânia, o monumento foi vestido em traje nacional ucraniano. Dessa maneira, os ucranianos participaram numa tradição que já dura por mais de 300 anos.

Às 11h00 do dia 24 de Agosto, durante a recepção solene na Câmara Municipal da cidade de Bruxelas, o representante da Associação Europeia dos Ucranianos, Sr. Oleksiy Tolkachov ofereceu a traje tradicional ucraniano para os representantes da Câmara. Este traje foi criado especialmente para a comemoração do Dia da Independência da Ucrânia. Junto com a traje, foi oferecido o diploma, que sublinha: “traje ucraniano para o Manneken Pis é o símbolo da vontade do Povo Ucraniano para prosseguir com o diálogo internacional e a integração europeia”.

Por sua vez, o vice – chefe da municipalidade de Bruxelas, felicitou a comunidade ucraniana pelo Dia de Independência. O representante da sociedade “Amigos do Manneken Pis” sublinhou que considera receber o traje ucraniano como a grande alegria.
A cerimónia solene também foi abrilhantada pelo coro dos estudantes ucranianos, vindos da cidade de Hanôver (Alemanha) de propósito para cantar as músicas populares da Ucrânia.
Às 11h30 o Menino já vestiu o traje ucraniano e todos os participantes na cerimónia, assim como cerca de 300 turistas testemunharam este momento especial. O Menino vestia uma camisa branca bordada feita de lá (vyshyvanka), calças azuis largas (sharovary) e calçava botas de couro vermelhas. A cara do menino ganhou os bigodes, a cabeça recebeu um gorro típico dos cossacos ucranianos, nas suas costas estava estendida a bandeira nacional da Ucrânia.
Participantes cantavam as musicas ucranianas e também a música belga dedicada ao Manneken Pis. O Menino ficou vestido com o traje ucraniano todo o dia 24 de Agosto.

No Rio de Janeiro, há uma cópia da estátua em frente à sede do clube Botafogo. A estátua foi adoptada pela claque desta equipa e apelidada de "Manequinho".

Monumento oficial
Fonte em ucraniano

sexta-feira, agosto 24, 2007

Ucrânia comemora hoje 16 anos da sua Independência





Apesar de todas as privações por quais a Ucrânia passou nos últimos séculos, depois da curta Primeira República (República Popular da Ucrânia, 1917 – 1920), depois do Holodomor orquestrado por Kremlin que levou 10 milhões de ucranianos a morrer de fome, depois de duas ondas de expurgos comunistas (1929 – 1934 e 1936 – 1938) que resultaram na eliminação de quatro – quintos da elite cultural da Ucrânia, depois de sangrenta Segunda Guerra Mundial, durante qual os nacionalistas ucranianos lutaram contra nazistas e soviéticos, a Ucrânia conseguiu proclamar a sua Independência no dia 24 de Agosto de 1991.
Hoje em dia já ninguém é perseguido por amar a bandeira da Ucrânia ou o seu escudo, algo que dava direito a prisão (anos 20 – 80) ou uma multa – repreensão (anos 80 – 90).
Embora a Revolução Laranja venceu em 2004, elegendo Viktor Yushchenko como Presidente e manifestando o desejo inequívoco dos ucranianos de pertencer a civilização Ocidental, fazendo parte da União Europeia e NATO, existe ainda um longo caminho a percorrer, minado um pouco pelo actual primeiro – ministro Viktor Yanukovych, que alem de ser um criminoso do delito comum no passado, hoje em dia declara o seu desejo de comemorar conjuntamente com os russos a Batalha de Poltava, que significou no seu tempo a perda da independência ucraniana.

quarta-feira, agosto 22, 2007

Praga foi ocupada 39 anos atrás


No dia 21 de Agosto de 2007 a República Checa comemorou os 39 anos da ocupação do seu país pelas tropas do Pacto da Varsóvia, comandados pela URSS.
Os patriotas checos percebiam que não podiam derrotar as tropas de ocupação militarmente, por isso escolheram a via de resistência pacífica, através do jornalismo, catoons e outro tipo da sátira que os cidadãos colavam nas paredes dos prédios nos primeiros dias da ocupação (no sexto dia de ocupação saiu a lei, que proibia os cartoons políticos deste tipo).
Alguns destes cartoons sobreviveram durante quatro décadas na Biblioteca do Instituto da História Militar de Praga, guardados lá por algum patriota anónimo.

Não esquecer, que durante Agosto de 1968 cerca de cem checos e eslovacos foram mortos pela força de ocupação e que o último soldado soviético deixou o país no dia 21 de Junho de 1991.

Fonte em ucraniano

sexta-feira, agosto 17, 2007

Leonid Stadnyk – gigante ucraniano

Leonid Stadnyk, em ucraniano Леонід Стадник,
nascido na aldeia de Podoliantsi na província de Zhytomyr, em 1971 é um ucraniano, considerado o homem mais alto do mundo segundo o Livro Guinness dos Recordes 2008.

Photos © Yefrem Lukackiy/AP
© Hleb Haranych /Reuters

segunda-feira, agosto 13, 2007

O triunfo dos crocodilos











Não fiquem preocupados, isso não é uma história sobre George Orwell ou sobre os seus livros complicadíssimos, difíceis de entender pelas pessoas do bem, tipo O Triunfo dos Porcos ou sei lá o que mais. Não, esta é apenas uma pequena e simples reportagem fotográfica de uma fazenda nos arredores de Maputo, onde se faz a criação dos crocodilos.

Ucranianos compram empresa em Moçambique

O grupo empresarial ucraniano, ESV, baseado no Reino Unido, adquiriu a empresa moçambicana Inveragro, SARL e os 11 mil hectares de terreno que esta detinha, por 1 milhão de USD e mais 18.453.500 acções próprias, anunciou a empresa no seu sítio na Internet. Com esta aquisição, a ESV criou a empresa do direito moçambicano, a ESV Bio-África, Lda; que vai investir numa plantação de jatrofa (Jatropha integerrima), que o grupo pretende transformar na maior plantação daquela espécie vegetal na África Austral. O grupo adianta que 700 hectares de jatrofa já foram plantados, devendo outros 1500 hectares ser plantados até ao final do 2007, no terreno situado na província de Inhambane. O grupo prevê a primeira colheita para Dezembro próximo, com as operações de extracção do óleo a iniciarem-se no final de 2008. Este projecto, situado numa antiga plantação de algodão, emprega 480 trabalhadores (alem disso, o projecto terá um impacto económico positivo na comunidade local, que conta com aproximadamente 3,500 pessoas).
O grupo ESV iniciou a sua actividade como um fornecedor de serviços logísticos e de "trading", encontrando-se actualmente no processo de se reposicionar como um grande fornecedor de óleo vegetal para a nascente indústria europeia do bio diesel.

Fonte em Português
In English
Foto da jatrofa: R. K. Henning, http://www.jatropha.org/
Obrigado ao Sr. Dmytro Slavov

quarta-feira, agosto 08, 2007

Fotolog da Ucrânia


Pessoa mais alta do mundo

O livro de recordes de Guinness oficialmente
reconheceu ucraniano Leonid Stadnyk como a pessoa mais alta do mundo. Leonid, veterinário de 36 anos de idade, mede 2,54 m (e continua a crescer), calça sapatos número 60 (na foto) e vive na aldeia de Podolyantsi na província de Zhytomyr.
Já que não é fácil (melhor dizer impossível), comprar qualquer fato feito que ia servir ao Sr. Leonid, um dos fatos foi lhe oferecido pelo presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko.
Depois da reportagem do serviço ucraniano da BBC sobre Leonid Stadnyk, que foi passada no ar em 2004, ele começou a receber apoio de todo o mundo, mesmo o governador provincial decidiu o visitar.
Os últimos três anos, Sr. Stadnyk é o recordista não oficial do livro dos Recordes de Guinness, mas por falta dos custos necessários, o seu recorde só será oficialmente reconhecido na próxima edição do livro.

Fonte:

Fotolog da Letônia














http://mobs.lv/

segunda-feira, agosto 06, 2007

Why France 24 ignore Ukraine?

Why does the French TV channel France 24 ignore Ukraine while other world channels do not?

The whole story began when the author of this article complained about politics of the French satellite channel France 24 not showing Kyiv, the capital of Ukraine in its weather report. After two weeks of emailing (one- way mailing actually), France 24 neither responded nor changed such a discriminatory politics.

Nowadays when our entire world is shaken by regional conflicts, floods, forest fires and epidemics it can seem ridiculous to talk about “weather injustice”. Nevertheless, somebody should talk and that somebody is me, simple Mozambican–Ukrainian blogger, very upset with the politics of weather forecast of the French TV channel France 24.

As an international TV watcher, what did I see, when France 24 showed its weather forecast for Eastern Europe? All the time there appear only three cities: Moscow, Minsk and Bucharest. Kyiv, the capital of Ukraine, never appeared on our screen.

Well, currently I started to do some geopolitical conjunction. Like this: why Moscow? It’s simple, I guess: the capital of a big country, the G-8 member and the UN Security Council (undermining I’m pretty sure that France would like to see Russia as a balancing power that can face actual supremacy of the United States, old French “enemy of estimation”.

The second is Bucharest. Newcomer to the European Union, Romania is a country with proudly European inspiration but always keeping pity of special respect for Paris (vision of Bucharest as a Paris of the Eastern Europe still can be observed in a collective sub conscience of the elite of this country).

Minsk is the weakest link. It’s the capital of relatively small country ruled by the last dictator in Europe. A country where Soviet-style socialism still finds its victims among free journalists, students, opposition politicians and businessmen that is unhappy to serve interests of totalitarian state.
But for some strange reason France 24 welcomes this capital and this country. Why? Trying to understand this point we should return to the geopolitical way of thinking. Belarus is a pro-Russian and definitively anti-US country. That is, enemy of my enemy is my friend. Even, and we say that before, if this only enemy is enemy of our estimation. Also keep in mind French habits to do right things by using wrong ways (like liberate people from inhumane suffering selling the weapons in return). In this last sentence I was trying to say in a poetical way that France shows respect for Belarus not just to maintain a balance with the United States, but to show some support for process of unpuppetization of Aljaksandar Lukašenka from his Kremlin masters.

Finally, Kyiv. A capital that never apears on France 24 weather forecast (to be honest, last mid-week just after beginning of this campaign the France 24 finally has mentioned Ukraine but still has never shown its capital. We are still in the middle of the weather battle).

So Kyiv, also known as Kiev, the capital of Ukraine, country that claimed (well, not alone) to accommodate a geographical center of Europe. Ukraine has almost the same area as France. Its population is a bit smaller than that of the 5-th Republic but still much bigger than Belarus and Romania together.

What is a problem between France 24 and Ukraine / Kyiv? Why Ukrainian capital doesn’t appear on channel’s weather forecast?

Personally I feel that the Orange Revolution which opened Ukraine to the West, same Revolution stepped forward to attract more tourists from Europe and to provide ways to join European Union in the next future, are being seen by some folks in Paris as a treat. Some French circles see new Ukrainian project for democracy basically as an “American project”. They have so many disagreements (Iraq, relationships with USA, etc) with relatively small Baltic States that they probably don’t want to have some sort of trouble with country that in future can stay shoulder by shoulder with them (even if in the past, Ukraine gave to France the Queen – Anne of Kyiv and some politicians, like Pierre E. Bérégovoy).
Finally, how will this difference between the channel and Ukraine end? I don’t know. I just know that I will be knocking in the closed doors of the France 24 until they open and until the name of a Kyiv appears in their weather report.

sexta-feira, agosto 03, 2007

Canal France 24 discrimina a Ucrânia

Toda esta semana tentamos entrar em contacto com o canal francês http://www.france24.com/, protestando contra a política de discriminação contra a Ucrânia (a não inclusão sistemática da capital ucraniana, cidade de Kyiv, na previsão meteorológica do canal). Um esforço até agora inglório, pois nenhuma resposta, formal ou informal, foi nós facultada pelo France24.
Apesar de já receber dezenas de cartas do Brasil, Moçambique, Reino Unido e Ucrânia canal France24 continua irredutível em não mudar a sua política discriminatória e não responder a nenhuma carta do protesto.
Neste momento, até o serviço ucraniano da BBC ficou sensibilizado com a nossa luta. Mas pelos vistos France24 está decidido de ignorar mesmo os apelos dos seus colegas jornalistas.
Apesar disso tudo, estamos cientes do que a nossa luta é meritória e como disse Samora Machel: “A luta continua”!
p.s. Quem são as “cabeças duras”, os responsáveis da previsão meteorológica do canal France24, que estão ignorar a opinião pública?
Eis os nomes e posições deles:

Production System TV: Daniel Renouf
Director: François – Bernard Daughy
Art Director: Frederic Ressequier
Executive Coordination: Robert Sarda

quinta-feira, agosto 02, 2007

Futebol ucraniano na Austrália

Todos os amantes do futebol com certeza terão o interesse em visitar o sítio oficial do Torneio Internacional do Futebol Ucraniano (Austrália). O último torneio tive o lugar na cidade de Sídney entre dias 14 à 20 de Janeiro de 2007. No próximo ano, em Janeiro de 2008 haverá mais…
http://www.iuft.net/

quarta-feira, agosto 01, 2007

Gogol Bordello em Portugal

Festival de Sines, Sábado 28: Gogol Bordello
por: João Gonçalves

Se na sexta já se sentia a temperatura a aumentar proporcionalmente à afluência de público o que dizer daquilo que se viu no sábado em Sines? Durante a tarde na praia Vasco da Gama já dava para perceber que os visitantes eram em grande número, mas quando chegou a noite a moldura humana no Castelo era arrepiante!
A organização falava em recorde de assistência da história do evento, e o caso não era para menos. Mais de 6 mil pessoas despediram-se dos concertos no Castelo ao som de Erika Stucky, K`naan e Gogol Bordello. Um número semelhante de resistentes passaram toda a noite na Avenida da Praia a dançar ao som do DJ set do Bailarico Sofisticado até às 8 da manhã.
(…)
Para fechar o FMM Sines deste ano na sala principal do evento, o Castelo, chegaram os Gogol Bordello. Foi aí que o espaço terá registado a maior enchente de sempre, e as muitas t-shirts com referências ao punk envergadas entre a assistência prometia agitação. Já se sabia dos discos que os punks ciganos tinham grande pedalada em disco, o que não se sabia é que no palco o bando se transforma numa circo de punk/rock/pop vulcânico incendiando a plateia de uma ponta a outra, dentro e fora das muralhas! Com um ritmo alucinante, e uma energia de cortar o fôlego ao mais activo, os Gogol Bordello partem de uma proposta musical extremamente simples, e directa, para uma demonstração de como contagiar o ouvido e corpo horas seguidas sem querer parar. O líder ucraniano (há elementos de várias nacionalidades) Eugene Hutz entra em palco possuído por uma vontade maior de partir a loiça toda. Pula, grita, olha nos olhos do público, e jornalistas presentes no fosso em frente em palco, salta do palco para a primeira fila da plateia para cantar com os seus fãs e assina um concerto tão vibrante que o último fôlego é um encore com uma versão de um tema de Manu Chao, o que faz todo o sentido! Um concerto para a história do Festival, com a particularidade do aguardado fogo de artifício ter escoado da maneira mais feliz e natural que de há memória em Sines.
Os Gogol Bordello deixavam de rastos os festivaleiros mas não por muito tempo. Rapidamente a mole desceu até à Avenida da Praia e ocupou uns bons quilómetros entre o palco e as última tendas de comércio. Señor Coconut and His Orchestra feat. Argenis Brito deram música ao povo mas não convenceram porque o mote dado pelos Gogol tinha deixado o espírito a pedir mais acção, e menos instrumentalização. Mesmo assim lá pelas 3 e meia da matina mais de 5 mil pessoas dançava ao som de «Smoke on the Water» com que a rapaziada de Señor Coconut, impecavelmente vestida de fato e gravata, se despediu.
(...)
Foi um fim de Festival apoteótico com o Bailarico Sofisticado a por um ponto final do FMM Sines. Até para o ano!